A historiografia sobre as leis florestais do medievo inglês

(séc. XI – XIII)

  • José Vitor de Lucena Canabrava Universidade de Brasília

Resumo

O tema das florestas reais na Inglaterra medieval ainda é pouco explorado, embora as leis florestais apareçam em diversos trabalhos de síntese histórica que versam sobre o período posterior à Conquista Normanda. Tais obras têm como intuito explicar a Conquista e veem nas leis florestais um ponto de inflexão importante, especialmente por serem caracterizadas como importação de um costume estrangeiro. Já para o período posterior ao normando, os historiadores tendem a considerar as leis florestais como uma fonte de renda para a coroa, assim como uma ferramenta estratégica para alianças e negociações políticas levadas a cabo pelo monarca. Normalmente a historiografia, então demonstra a imposição das leis florestais e o consequente caráter autoritário normando, especialmente quando contrastado com o kinship anglo-saxão. O proposto aqui é um rearranjo da forma com que são vistas estas normas, mais próximas de um consenso entre os magnatas do que uma simples imposição, como normalmente demonstrado por diversos historiadores.

Publicado
2019-09-30