O abolicionismo como projeto de reforma: a liberdade controlada

  • Ricardo Alves da Silva Santos Secretaria de Estado da Educação de Alagoas

Resumo

RESUMO: Ao observar o movimento abolicionista brasileiro na perspectiva de Alagoas, percebe-se nos discursos veiculados nos jornais que a questão da liberdade dos negros vinha acompanhada da ideia de reforma, ou seja, abolir a escravidão de maneira segura, sem maiores prejuízos à economia e à estrutura política. Um marco nessa reforma foi a Lei do Ventre Livre, pois buscava a solução para o problema do “elemento servil” por meio de uma reforma que pudesse conciliar os interesses políticos e econômicos dos grupos dominantes para manter o status quo e evitar uma “revolução”. A partir dessa lei abriu-se um período em que a propaganda abolicionista se caracterizou como tal e dela emergiram dois projetos para o fim da escravidão: o dos emancipadores e o dos abolicionistas. Os primeiros defendiam o fim do trabalho escravo através do Parlamento, com leis que garantissem a indenização dos proprietários e de forma gradual. Já os abolicionistas, eram propugnadores de uma Abolição imediata e sem indenização.

Biografia do Autor

Ricardo Alves da Silva Santos, Secretaria de Estado da Educação de Alagoas
Mestrando em História pela Universidade Federal de Alagoas
Publicado
2019-09-30