Humanismo Humanismo, Estado e Nacionalismo

Por uma história das ideias pedagógicas no Brasil

  • Pedro Henrique da Silva Paes UFRN

Resumo

A linguagem possui importância fundamental na definição de conceitos. Em contrapartida os sujeitos responsáveis pela construção destes conceitos se localizam em um espaço social que condicionam as suas percepções. Ao pensarmos a produção de ideias sobre a educação tomamos os sujeitos que a produziram a partir de um lugar de fala e influenciado pelas redes intelectuais tecidas a partir de uma posição institucional e das leituras realizadas. Neste sentido, os conceitos de “nacionalismo” e “educação” se interligam através de suas complementaridades. As imagens produzidas pelos discursos nacionalistas só ganham proporção quando enquadrados nos conteúdos ensinados em sala de aula. Portanto, ao pensar os intelectuais escolanovistas nos preocupamos em problematizar um discurso de nacionalismo identificado com o discurso político vigente. Assim, tomamos Michel de Certeau (1982) para pensar as ideias como constructo de sujeitos localizados em espaços de produção e sociabilidade do conhecimento, concebendo as ideias, os intelectuais e as instituições como objeto historiográfico. Nesse sentido, procuramos pensar o conceito de “educação” como problemática histórica e dialogado com pesquisadores da pedagogia como Gadotti (2003), Romanelli (2005) e Saviani (2008).

Publicado
2019-09-30