Sociabilidades, espaço público e formação do povo em Minas Gerais no período regencial (1831/1840)

  • Marcilaine Soares Inácio Centro Pedagógico/EBAP/UFMG
  • Luciano Mendes de Faria Filho FaE/UFMG

Resumo

Sociabilidades, intelectuais e instrução pública no período regencial (Minas Gerais-1831/1840)

 

RESUMO

O artigo sintetiza parte dos resultados de uma investigação sobre a relação entre política e educação, em Minas Gerais tomando como objeto de investigação as sociedades políticas, literárias e filantrópicas no período regencial (1831-1840). Essas associações multiplicaram-se, não só em Minas, como em todo o Brasil, durante as Regências. Para um grupo de políticos e letrados mineiros, membros do setor abastecedor, a instalação das Regências funcionou como uma estrutura de oportunidades políticas. Sua inserção no movimento associativo foi um espaço de aprendizado da arte de governar e de arregimentação de votos que lhes abriu espaço para a participação política e, consequentemente, para conduzirem o nascente Estado brasileiro na direção desejada. Para tanto esses sujeitos se engajaram intensamente na criação e na manutenção de associações políticas, literárias e filantrópicas que se constituíram em espaços privilegiados de formulações de diagnósticos e de projetos individuais e coletivos para o Estado Nacional.

PALAVRAS-CHAVE: Sociabilidades, intelectuais; instrução pública.

Publicado
2019-09-30