Ambiente construído e paisagem natural

desafios para integração da natureza no processo de preservação do centro histórico de Tiradentes, MG

  • Matheus Cássio Blach Iphan - Historiador

Resumo

Este artigo consiste em uma análise da delimitação da área de tombamento e de entorno do sítio histórico da cidade de Tiradentes e suas relações com a preservação ambiental, sobretudo, no que diz respeito ao processo de proteção da Serra de São José.  Entre a área de preservação ambiental da Serra de São José e o sítio tombado da cidade de Tiradentes surgiram diversos conflitos sob a égide da dicotomia entre preservação ambiental e patrimônio cultural versus desenvolvimento urbano. Esses conflitos resultam na adoção de estratégias e práticas ilegais por parte dos proprietários, como queimadas, incêndios criminosos, obras e reformas irregulares realizadas aos domingos e feriados, quando não há fiscalização. Analisar o significado do ato de tombamento e os processos que levaram à aplicação deste instrumento, na dita fase heroica do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Sphan), é fundamental para uma compreensão da delimitação das áreas de proteção. O Sphan, ao selecionar o que preservar e o que “esquecer”, revelava qual o conceito de patrimônio vigente à época, possibilitando questionar os motivos que poderiam ter levado a Serra de São José a não estar inserida no plano de tombamento inicial da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-05-31