Dos vermes aos astros

a disputa pela teoria e cura da peste febril em Pernambuco (1680-1690)

Resumo

Nas últimas três décadas do século XVII, é observável o fluxo de pessoas nas rotas do império português em função do combate e prevenção de doenças. Tais itinerários, não limitados por fronteiras terrestres ou marítimas, convencionais ou imaginárias, se faziam propícios não só para o trânsito de agentes, mas também para a troca de bens, ideias e saberes mobilizados em iniciativas diversas no âmbito dos impérios europeus da primeira modernidade. Com isso em vista, este trabalho pretende estudar os desdobramentos da epidemia que assolou o Pernambuco urbano entre as décadas de 1680-1690. Propõe-se a analisar a disputa entre o médico licenciado João Ferreira da Rosa e o cirurgião Antonio Brebon pelo título de descobridor da cura do contágio, com o objetivo de explorar as dinâmicas de produção e legitimação de saberes médico-curativos no império português de fins do XVII.

Palavras-chave: História da ciência, Medicina, América portuguesa.

Publicado
2019-09-30