Critérios para produção de arte sacra imaginária no Brasil colonial, a partir das Constituições Primeiras do Arcebispado da Bahia.

Palavras-chave: Arte sacra, imaginária, Brasil colonial.

Resumo

O artigo propõe um estudo acerca dos critérios de produção da arte sacra imaginária, no séc. XVIII, do Brasil Colonial. Ancorado nas legislações do Concílio de Trento e nas Constituições Primeiras do Arcebispado da Bahia, organizadas por D. Sebastião Monteiro da Vide, o artigo tem como objetivo contribuir para processos de sistematização e análise da orientação canônico-pastoral para a produção da imaginária religiosa brasileira setecentista. Para isso, busca-se aqui trabalhar as categorias de representação e cultura, nos critérios de produção de arte sacra, no Brasil Colonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danilo Pinto dos Santos, Universidade de Brasília
Mestrado em História Social, da Área de Concentração: Sociedade, Cultura e Política da Universidade de Brasília.
Publicado
2019-09-30