EAD no Tocantins: o egresso como agente de transformação social

Autores

  • Elizabeth Maria Lopes Toledo Unitins
  • Holda Coutinho Barbosa Unitins
  • Maria Fatima Viana Brasileiro Unitins

DOI:

https://doi.org/10.17851/1983-3652.6.1.92-107

Palavras-chave:

Curso de Pedagogia. Educação a distância. Egressos. Impactos sociais.

Resumo

O presente texto tem como tema central a apresentação dos resultados de uma pesquisa com os egressos do curso Normal Superior Telepresencial, modalidade de ensino a distância, como agentes de transformação social. O objeto de estudo foi a primeira turma de egressos do curso Normal Superior Telepresencial, no estado do Tocantins. O instrumento utilizado foi uma entrevista aplicada pelos acadêmicos dos cursos de Pedagogia e Serviço Social. Procurou-se dissertar sobre os espaços de atuação, desafios e conquistas do profissional como um todo após a conclusão do curso e sobre os impactos sociais ocorridos no profissional e na comunidade da qual ele faz parte. Como resultado desse estudo, constatamos que o Curso Normal Superior Telepresencial - CNST representou um marco na história educacional, social e cultural do estado do Tocantins, sendo um “divisor de águas” na vida desses egressos e consequentemente na vida das pessoas dos municípios onde eles residem, possibilitando mudanças benéficas na vida pessoal e profissional dessas pessoas, bem como a oportunidade de exercerem a cidadania de forma consciente, em busca de uma sociedade mais justa, mais humana e igualitária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizabeth Maria Lopes Toledo, Unitins

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Viçosa - UFV (1979). Mestre em Educação pela UnB (2009). Especialista em Educação a distância; Especialista em Administração Educacional e didática do ensino Superior. Possui experiência na área de Educação, exercendo vários cargos e funções desde a década de 80, nos níveis de Ensino Fundamental, Médio e Superior. Atualmente é professora titular da Fundação Universidade do Tocantins - UNITINS e da Fundação Educacional de Paraíso do Tocantins - FECIPAR. Têm experiência na modalidade EaD (Educação a Distância), com ênfase em TIC - Tecnologias da Informação e Comunicação, atuando principalmente na área de Formação de Professores com ênfase nas disciplinas de Práticas Pedagógicas, Docência Reflexiva, Estágio Superivisionados, Gestão Participativa e Formação Pedagógica Inicial e Continuada. Área de concentração de estudos: Estágio.

Holda Coutinho Barbosa, Unitins

Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba/UFPB/João Pessoa (1999) e graduação em Ciências Sociais (Bacharelado) pela Universidade Federal da Paraíba/UFPB/Campina Grande (1992). Atualmente é professora da Fundação Universidade do Tocantins. Membro da Câmara de Pesquisa e do Comitê Técnico Científico da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Coordena o grupo de pesquisa criança e adolescente/GPCAd. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia Rural, atuando principalmente nos seguintes temas: movimentos sociais, relações de poder, informação, práticas informacionais, educação a distância e na área da criança e do adolescente.

Maria Fatima Viana Brasileiro, Unitins

Mestre pelo Programa de pós graduação da Universidade Nacional de Educação a Distância UNED; Educação Intercultural ; Pós graduada em nível de especialização com os temas Gerenciamento de Recursos Humanos, pela Faculdade Estácio de Sá - Rio de Janeiro e Metodologia e Linguagem em Educação a Distância. pela Fundação Universidade do Tocantins UNITINS. Graduada em Pedagogia pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (1986). Com habilitação em Orientação Educacional e Magistério do Ensino Superior. Professora Mestre da Fundação Universidade do Tocantins nos cursos de Pedagogia e Serviço Social em EAD. Compõe os grupos de pesquisa cadastrados no CNPQ : Grupo de pesquisa Criança e Adolescente e Grupo de pesquisa em Políticas Públicas de Gestão da Educação. Atualmente como professora pesquisadora do projeto Adolescentes em situação de risco pessoal e social . Membro Voluntária da diretoria da Entidade Não Governamental Ação Social Arquidiocesana de Palmas ASAP, com o cargo de presidente. Membro do Fórum Estadual dos Direitos da Criança do Adolescente e Conselheira do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Palmas - TO. Atuou como professora da Educação Básica nos anos iniciais do ensino Fundamental. Coordenadora pedagógica do Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente Rio de Janeiro. Educadora e Supervisora do projeto Axé Salvador Bahia. Diretora Social da Secretaria estadual de Assistência Social do Tocantins e Diretora do Centro de Atendimento a Criança e ao Adolescente do Município de Palmas. Presidente do Conselho Estadual da Assistência Social do Tocantins e Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da criança do Adolescente de Palmas TO. Membro do Conselho Municipal de Educação de Palmas TO por dois mandatos.

Referências

BIRGIN, Alejandra. La docencia como trabajo: la construcción de nuevas pautas de inclusión y exclusión. In: GENTILI, Pablo; FRIGOTTO, Gaudêncio (Compiladores). La ciudadanía negada: políticas de exclusión en la educación y el trabajo. Buenos Aires: CLACSO: ASDI, 2002.

BRITO, Gláucia da Silva; PURIFICAÇÃO, Ivonélia da. Educação e novas tecnologias: um repensar. Curitiba: IBPEX, 2009.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. Petrópolis: Vozes, 2006.

DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. O planejamento da pesquisa qualitativa. Teorias e abordagens. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Porto Alegre: Artes médicas, 1970.

FRIGOTTO, Gaudêncio; GENTILI, Pablo. A Cidadania Negada – Políticas de Exclusão na Educação e no Trabalho. São Paulo: Cortez, 2002.

GADOTTI, M. A. Histórias das ideias pedagógicas. São Paulo: Ática, 1995.

GARCÍA CANCLINI, N. Cultura y organización popular. Cuadernos Políticos, número 38, Ediciones Era, México, D. F., enero-marzo 1984. p. 75-82.

KENSKI, Vani M. Tecnologias e Ensino Presencial e a Distância. Campinas/SP: Papirus, 2003.

KENSKI, Vani M. Educação e tecnologias. São Paulo: Ed. Inesp, 2005.

LANDIM, Cláudia M. Educação a distância: algumas considerações. Rio de Janeiro: RJ, 1997.

LAVILLE, Christian; DIONNE, Jean. Tradução de Heloísa Monteiro e Francisco Settineri. A construção do saber – Manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artes Médicas; Belo Horizonte: UFMG, 1999.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos, para quê? 10. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

LITWIN, Edith (Org.). Educação a distância: temas para o debate de uma nova agenda educativa. Porto Alegre: Artmed, 2001.

PIMENTA, Selma Garrido (Org). Pedagogia e pedagogos: caminhos e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2002.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. 24 ed. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1991, SAVIANI, Dermeval (Org.) et al. Capitalismo, Trabalho e Educação. Campinas, SP: Autores Associados 2002.

Downloads

Publicado

2013-07-10

Como Citar

TOLEDO, E. M. L.; BARBOSA, H. C.; BRASILEIRO, M. F. V. EAD no Tocantins: o egresso como agente de transformação social. Texto Livre, Belo Horizonte-MG, v. 6, n. 1, p. 92–107, 2013. DOI: 10.17851/1983-3652.6.1.92-107. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/16632. Acesso em: 5 jul. 2022.

Edição

Seção

Educação e Tecnologia