Análise da produção da escrita e do discurso do surdo no Facebook

Autores

  • Franciany Chaves Waris Universidade Católica Dom Bosco

DOI:

https://doi.org/10.17851/1983-3652.10.1.53-65

Palavras-chave:

Surdo, Escrita, Discurso, Facebook.

Resumo

RESUMO: O presente estudo faz uma análise de como se configura a produção da escrita e do discurso do surdo na rede social Facebook, a fim de compreender os processos linguísticos envolvidos nesse contexto. Especificamente, descreve-se a relação entre o texto escrito em Língua Portuguesa e o discurso produzido pelo surdo e se analisa se a organização da escrita implica a compreensão do discurso produzido. Para tanto, realiza-se um estudo qualitativo de cunho bibliográfico baseado em autores como Severino (2007), Lakatos e Marconi (2001) e Gil (2002), composto por três etapas, e faz-se a análise dos discursos produzidos a partir da Semântica Global proposta por Maingueneau (2008). Os resultados revelaram que o surdo considera fatores pertinentes ao contexto social em que ele está inserido, pois enuncia o fruto de sua interação com o mundo. Constata-se, nos enunciados produzidos, que elementos linguísticos como o tempo e a intencionalidade discursiva são utilizados e, ainda, a referência a outras obras e fatos exteriores. Conclui-se que a estrutura gramatical dos enunciados não compromete a compreensão do discurso do surdo, tampouco é fator delimitante da aquisição da segunda língua.

 

ABSTRACT:The present study does an analysis of the written production and speech of the deaf on the social network Facebook, aiming at understanding the linguistic processes involved in this context. Specifically, it is attempted to describe the relationship between the written text in Portuguese language and the speech produced by the deaf, and evaluate whether the writing system implies the understanding of the produced speech. Therefore, a qualitative study of bibliographical nature was performed, based on authors like Severino (2007), Lakatos and Marconi (2001), and Gil (2002), consisting of three stages. The analyses of the speech produced were accomplished considering the Global Semantic proposed by Maingueneau (2008). The results showed that the deaf considers relevant factors of the social context in which they are inserted, because they speech their interaction with the world. It was observed in the produced utterances that linguistic elements such as time and discursive were intentionality used, and also reference to other works and external facts. It was concluded that the grammatical structure of utterances does not compromise the understanding of deaf’s speech, neither it is a limiting factor of the second language acquisition.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Franciany Chaves Waris, Universidade Católica Dom Bosco

Possui graduação em Letras- Língua Inglesa pela Universidade Federal do Pará (2013) e especialização em Educação Especial pela Universidade Católica Dom Bosco (2016) . Tem experiência na área de Letras, com ênfase no ensino-aprendizagem da Língua Inglesa e  educação inclusiva de pessoas deficientes. Possui qualificação na área do ensino-aprendizagem da Língua Portuguesa como L2 para surdos, formação complementar em Orientação e Mobilidade para Cegos (2012) pelo Instituto Benjamin Constant,  e na área de Surdos e Cegos (2010) pela Universidade Federal do Pará.

Referências

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. 8ª ed. São Paulo: Hucitec, 1997.

BARROS, J. da S. O texto na era do hipertexto. Academos, São Paulo, v. III, n. 3, p. 1-11, 2007. Disponível em: http://intranet.fainam.edu.br/acesso_site/fia/academos/revista3/1.pdf. Acesso em: 26 set. 2015.

BRASIL. Lei nº 10.436 de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm. Acesso em: 14 mai. 2017.

BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm. Acesso em: 14 mai. 2017.

CHARAUDEAU, P.; MAINGUENEAU, D. Dicionário de análise do discurso. 3ª ed. São Paulo: Contexto, 2014.

FACHINETTO, E. A. O Hipertexto e as Práticas de Leitura. Revista Letra Magna, São Paulo, Ano 02, n. 03, p. 1-19, 2005. Disponível em: http://forma.ifg.edu.br/index.php?option=com_docman&task=doc_view&gid=21&tmpl=component&format=raw&Itemid=69. Acesso em: 26 set. 2015.

FERNANDES, S. Práticas de letramento na educação bilíngüe para surdos. Curitiba: SEED, 2006.

FERNANDES, S. Avaliação em língua portuguesa para alunos surdos: algumas considerações. In: PARANÁ. Superintendência da Educação. Departamento de Educação Especial. Curitiba: SEED/SUED/DEE, 2007. Disponível em: www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/janeiro2013/otp_artigos/sueli_fernandes.pdf. Acesso em: 26 Set. 2015.

FISCHER, R. M. B. Foucault e a análise do discurso em educação. Cadernos de Pesquisa, Rio Grande do Sul, n. 114, p. 197-223, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/n114/a09n114.pdf. Acesso em: 26 Set. 2015.

GIL, A. C.. Como elaborar Projetos de Pesquisa. 4ª ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Metodologia do Trabalho Científico. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2001.

MAINGUENEAU, D. Novas tendências em análise do discurso. 3ª ed. Campinas, SP: Ponte/ UNICAMP, 1997.

MAINGUENEAU, D. Gênese dos Discursos. São Paulo: Parábola, 2008.

MARTELOTTA, M. E. (Org.). Manual de linguística. São Paulo: Contexto, 2008. MARTINS, S. de O. CLAUS: Uma ferramenta colaborativa para apoio à interação de surdos com páginas da web. 2012. 228 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, 2012.

QUADROS, R. M. de; SCHMIEDT, M. L. P. Idéias para ensinar português para alunos surdos. Brasília: MEC, SEESP, 2006.

SALLES, H. M. M. L. et al. Ensino de língua portuguesa para surdos: caminhos para a prática pedagógica. 2v. Brasília: MEC, SEESP, 2004.

Downloads

Publicado

2017-06-26

Como Citar

WARIS, F. C. Análise da produção da escrita e do discurso do surdo no Facebook . Texto Livre, Belo Horizonte-MG, v. 10, n. 1, p. 53–65, 2017. DOI: 10.17851/1983-3652.10.1.53-65. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/16745. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

Linguística e Tecnologia

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.