Videorresenhas em ambiente digital

Autores

  • Flávia Thaís Alves Britto Universidade Federal de Campina Grande
  • Williany Miranda da Silva Universidade Federal de Campina Grande

DOI:

https://doi.org/10.17851/1983-3652.12.2.1-29

Palavras-chave:

videorresenha, ambiente Digital, YouTube.

Resumo

RESUMO: As diversificadas formas de interatividade conferidas às redes sociais no ambiente digital têm proporcionado a proliferação de uma variedade de textos cada vez mais híbridos em suas semioses. Muitos deles fruto de uma nova roupagem que os gêneros assumem com novas estruturas e funções, dando origem a novos gêneros. Haja vista esse contexto, o presente estudo tem por objeto de investigação a videorresenha, gênero que se assemelha à resenha, porém apresenta características multimodais que modificam seus aspectos estruturais e funcionais. Assim, objetivamos reconhecer o gênero videorresenha, identificando-o a partir de uma descrição estrutural e funcional em canais do YouTube.

PALAVRAS-CHAVE: videorresenha; ambiente Digital; YouTube.

 

ABSTRACT: The diverse forms of interaction granted to the social networks in the digital environment have provided a spread of a variety of increasingly hybrid texts in their semioses. Many of them result from a new guise that the genres assume with new structures and functions giving rise to new genres. Considering this context, this study has as its investigation object the video review, a genre that resembles the review, but contains multimodal characteristics that modify its structural and functional aspects. Thus, we aim at recognizing the video review genre, identifying it from a structural and functional description, especially on YouTube channels.

KEYWORDS: video review; digital environment; YouTube.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Thaís Alves Britto, Universidade Federal de Campina Grande

Graduada em Licenciatura Plena em Letras pela Universidade Federal de Campina Grande e mestranda pelo programa de Pós-graduação em Linguagem e Ensino da Universidade Federal de Campina Grande.

Williany Miranda da Silva, Universidade Federal de Campina Grande

Professora Associada IV da Unidade Acadêmica de Letras e membro do Programa de Pós Graduação em Linguagem e Ensino da Universidade Federal de Campina Grande. Possui mestrado e doutorado em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco e atua na área de Linguística, com ênfase em Leitura e Produção de Textos, destacando-se os seguintes temas: materiais didáticos, ambientes digitais, concepções de ensino, formação docente, livro didático, escrita e oralidade. Com estágio de pós-doutoramento concluído pela Universidade Federal de Minas Gerais (2013), atualmente desenvolve projetos de pesquisa; envolvendo tecnologias, linguagens, gêneros textuais orais e escritos e atuação docente, com orientações tanto na pós graduação quanto na graduação, em programas PIBIC e PIBID- Letras, em que atuou como coordenadora do subprojeto PIBID-LETRAS, de 2016-2018. Membro do grupo de pesquisa Teorias da linguagem e ensino, na linha de pesquisa Lingua(gem) em contexto de ensino de português .

Referências

ADAM, J. A linguística textual: introdução à análise textual dos discursos. São Paulo: Cortez, 2008.

ARAÚJO, A. D. Lexical Signalling: A Study of Unspecific Nouns in Book Reviews. 1996. 284f. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1996.

AMARAL, A.; NATAL, G. Et.al. Netnografia como aporte metodológico da pesquisa em comunicação digital. Porto Alegre: Famecos/PUCRS. N° 20, 2008. p. 34-40.

BAKHTIN, M. M. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, M. M. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997 [1979].

BARTON, D.; LEE, C. Linguagem online: textos e práticas digitais. 1. ed. Tradução de Milton Camargo Mota. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

BAZERMAN, C; DIONÍSIO, A. P.; HOFFNAGEL, J. C. Gênero, agência e escrita. São Paulo: Cortez, 2006.

BEZERRA, B. G. A resenha acadêmica em uso por autores proficientes e iniciantes. In: BIASI-RODRIGUES, B.; ARAÚJO, J. C.; SOUSA, S. C. T. (orgs.). Gêneros textuais e comunidades discursivas: um diálogo com John Swales. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009. p. 95-116.

BURGUESS, J.; GREEN, J. YouTube e a Revolução Digital: como o maior fenômeno da cultura participativa transformou a mídia e a sociedade. São Paulo: Aleph, 2009.

CIRIBELI, J. P.; PAIVA, V. H. P. Redes e mídias sociais na internet: realidades e perspectivas de um mundo conectado. Mediação, Belo Horizonte, v. 13, n. 12, 2011, p. 57-74.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B.; HALLER, S. O oral como texto: como construir um objeto de ensino. In: SCHENEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. CampinasSP: Mercado de Letras, 2004. p. 149-188.

DORNELLES, J. P. O fenômeno Vlog no YouTube: análise de conteúdo de Vloggers brasileiros de sucesso. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2015.

HARDAGH, C. C. Redes Sociais Virtuais: uma proposta de Escola Expandida. 2009. 157 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

HODGE, R.; KRESS, G. Social Semiotics. London: Polity Press, 1988.

JEFFMAN, T. M. W. Booktubers: performances e conversações em torno do livro e da comunidade booktube. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) – Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação. Universidade do Vale de Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2017.

LOPES, L. P. M. (org.). Por uma Linguística Aplicada Indiscipinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

MACHADO, A. R. Gêneros textuais: configuração, dinamicidade e funcionalidade. In: KARWOSKI et al. (orgs.). Gêneros textuais: reflexões e ensino. Palmas, TO / União da Vitória, PR: Kayguangue, 2005. p. 19-36.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, Â. Paiva; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (orgs.). Gêneros Textuais & Ensino. Rio de Janeiro: Editora Lucerna, 2002. p. 19-36.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: reflexões e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2006.

MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS, MACHADO DE ASSIS (24). Ler Antes de Morrer. YouTube. 22 mai. 2015. 9min59s. Disponível em: https://www.YouTube.com/watch?v=cbYjiH7-2jk. Acesso em: 17 mai. 2018.

MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS – Resenha e Análise #Vestibulando2017. Juh Simão. YouTube. 10 mar. 2017. 8min59s. Disponível em: https://www.YouTube.com/watch?v=tKzBp1sJb54. Acesso em: 17 mai. 2018.

MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS – Resumo. Otávio Turcatti. YouTube. 30 out. 2016. 8min54s. Disponível em: https://www.YouTube.com/watch?v=8JUmJw-I9nA. Acesso em: 17 mai. 2018.

MOREIRA, H.; CALEFFE, L. G. Metodologia científica para o professor pesquisador. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

MOTTA-ROTH, D. Rhetorical features and disciplinary cultures: a genre-based study ofacademic book reviews in linguistics, chemistry and economics. 1995. 358f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1995.

MILLER, C. R. Genre as Social Action. Quarterly Journal of speech, 70, p. 151-240, 1984.

PETRY, A. S. Análise de produções em linguagem hipermidiática. Revista Cibertextualidades, Fernando Pessoa, n. 3, 2009, p. 141-159.

PINHEIRO, N. F. A noção de gêneros para a análise de textos midiáticos. In: MEURER, J. L.; MOTTA-ROTH, D. Gêneros textuais. São Paulo: EDUSC, 2002, p. 259-290.

ROJO, R.; BARBOSA, J. P. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

ROSA, T. J. F. A produção de sentidos em hipertextos: os hiperlinks como anáforas. 2006. 224 f. Dissertação (Mestrado em Teorias do Texto e do Discurso) – Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Federal do Rio, 2006.

SANTOS, Z. B.; PIMENTA, S. M. O. Da Semiótica Social à multimodalidade: a orquestração de significados. Cadernos de Semiótica Aplicada, v. 12, n. 2, 2014, p. 295-324.

SIGNORINI, I. A questão da língua legítima na sociedade democrática: um desafio para a Linguística Aplicada contemporânea. In: LOPES, L. P. M. (org.). Por uma Linguística Aplicada Indiscipinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006, p. 169-190.

SILVA, A. V. Recursos linguísticos em resenhas acadêmicas e a apropriação do gênero. Curitiba: Appris, 2011. [FUVEST | UNICAMP #1] Memórias Póstumas de Brás Cubas/Machado de Assis. Tatianagfeltrin. YouTube. 24 mai. 2015. 13min48s. Disponível em: https://www.YouTube.com/watch?v=saJAcvW2BFw. Acesso em: 17 mai. 2018.

Downloads

Publicado

2019-07-15

Como Citar

BRITTO, F. T. A.; DA SILVA, W. M. Videorresenhas em ambiente digital. Texto Livre: Linguagem e Tecnologia, Belo Horizonte-MG, v. 12, n. 2, p. 1–29, 2019. DOI: 10.17851/1983-3652.12.2.1-29. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/16840. Acesso em: 2 dez. 2021.

Edição

Seção

Linguística e Tecnologia