Um ‘olhar discursivo’ sobre predicação e gênero

aproximações metodológicas entre corpus e discurso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/1983-3652.2022.36213

Palavras-chave:

Humanidades digitais, Linguística de corpus, Mineração de dados textuais, Análise de discurso, Estudos de gênero

Resumo

Este artigo propõe uma sinergia metodológica entre os estudos linguísticos com base em grandes corpora e os estudos do discurso, trazendo como contribuição as possibilidades de trabalho com anotação linguística. A análise tem o elemento gênero como operador analítico, selecionando uma de suas dimensões: caracterizações atribuídas a personagens femininas e masculinas. A pesquisa tomou por base um grande acervo composto por mais de 200 obras da literatura brasileira em domínio público (cerca de 5 milhões de palavras). A partir da busca por estruturas linguísticas indicativas de predicação, distinguimos quatro eixos de análise, ampliando um tipo de trabalho que normalmente se restringe aos estudos de caso. Ao longo do artigo, e graças às ferramentas computacionais, alternamos entre lentes que nos afastam e nos aproximam do texto, tentando tirar o melhor proveito de cada uma delas. Por fim, argumentamos que é possível - e desejável - superar as dicotomias quantitativo x qualitativo e conteúdo x discurso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARTSTEIN, R. Inter-annotator agreement. In: IDE, N.; PUSTEJOVSKY, J. (Ed.). Handbook of linguistic annotation. Dordrecht: Springer, 2017. p. 297–313.

BAKER, P.; GABRIELATOS, C.; KHOSRAVINIK, M. et al. A useful methodological synergy? Combining critical discourse analysis and corpus linguistics to examine discourses of refugees and asylum seekers in the UK press. Discourse & society, Sage Publications Sage UK: London, England, v. 19, n. 3, p. 273–306, 2008.

BAKER, P.; GABRIELATOS, C.; MCENERY, T. Sketching Muslims: A corpus driven analysis of representations around the word ‘Muslim’in the British press 1998–2009. Applied linguistics, Oxford University Press, v. 34, n. 3, p. 255–278, 2013.

BAKHTIN, M.; VOLOCHINOV, V. N. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1979.

BAKTHIN, M. M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BICK, E. The parsing system palavras: Automatic grammatical analysis of Portuguese in a constraint grammar famework. Aarhus: Aarhus Universitetsforlag, 2000.

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003[1990].

DENZIN, N. K; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006.

FAIRCLOUGH, N. Discourse and Social Change. Cambridge: Polity Press, 1992.

FINATTO, M. J. B. et al. Linguı́stica de corpus: perspectivas. Rio Grande do Sul: UFRGS. Instituto de Letras, 2018.

FOUCAULT, M. A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004 [1969].

FOUCAULT, M. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Tradução: Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Edições Loyola, 2012.

FREITAS, C. Estudos linguı́sticos e Humanidades digitais: corpus e descorporificação. Gragoatá, v. 22, n. 44, p. 1207–1227, 2017.

FRIGINAL, E.; HARDY, J. A. The Routledge Handbook of Corpus Approaches to Discourse Analysis. [S.l.]: Routledge, 2020.

HEARST, M. A. Automatic acquisition of hyponyms from large text corpora. In: COLING 1992 volume 2: The 15th international conference on computational linguistics. Nantes: [s.n.], 1992. Disponível em: http://www.aclweb.org/anthology/C92-2082. Acesso em: 15 fev. 2022.

IDE, N.; PUSTEJOVSKY, J. Handbook of linguistic annotation. Dordrecht: Springer Netherlands, 2017.

LEITE, M; FREITAS, C. Pesquisa em Educação: perspectivas (qualitativas?) na exploração de grandes corpora. OSLa-Oslo Studies in Language, v. 7, n. 1, p. 139–152, 2015.

MAINGUENEAU, D. Discurso e análise do discurso. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

MAINGUENEAU, D. Discurso literário. São Paulo: Contexto, 2006.

MANNING, C.; SCHUTZE, H. Foundations of statistical natural language processing. Cambridge, Massachusetts: MIT press, 1999.

MCENERY, T.; HARDIE, A. Corpus linguistics: Method, theory and practice. Cambridge: Cambridge University Press, 2011.

MORETTI, F. A literatura vista de longe. Porto Alegre: Arquipélago Editorial, 2008 [2005].

MORETTI, F.; SOBCHUK, O. Hidden in Plain Sight: Data Visualization in the Humanities. New Left Review, New Left Review Ltd., v. 118, p. 86–115, 2019.

MUSSALIM, F. Análise do discurso literário. Domı́nios de Lingu@ gem, v. 12, n. 1, p. 581–603, 2018.

OLIVEIRA, L. A. (Org.). Estudos do discurso: perspectivas teóricas. São Paulo: Parábola, 2013.

PAIXÃO DE SOUSA, M. C. A filologia digital em língua portuguesa: alguns caminhos. Patrimônio Textual e Humanidades Digitais: da antiga à nova Filologia, Évora: CIDEHUS, 2013.

POSSENTI, S. Análise do discurso; um caso de múltiplas rupturas. In: INTRODUÇÃO à lingüìstica: fundamentos epistemológicos. São Paulo: Editora Cortez, 2004. p. 353–366.

RAJAGOPALAN, K. Nova pragmática: fases e feições de um fazer. São Paulo: Parábola, 2010.

ROCHA, D.; DEUSDARÁ, B. Análise de Conteúdo e Análise do Discurso: aproximações e afastamentos na (re) construção de uma trajetória. Alea: estudos neolatinos, SciELO Brasil, v. 7, p. 305–322, 2005.

SAMPSON, G. Empirical linguistics. London ; New York: Continuum, 2002.

SANTOS, D. Corporizando algumas questões. In: TAGNIN, S. E. O.; VALE, O. A. (Ed.). Avanços da Lingüística de Corpus no Brasil. USP, São Paulo: Editora Humanitas, 2008. p. 41–66. Disponível em: http://www.linguateca.pt/Diana/download/Santos2008livroStellaOtofinal.pdf%22. Acesso em: 2 nov. 2020.

SANTOS, D. Literature studies in Literateca: between digital humanities and corpus linguistics. In: DOERR, M. et al. (Ed.). Humanists and the digital toolbox: In honour of Christian-Emil Smith Ore. Oslo: Novus Forlag, 2019. p. 89–109. Disponível em: http://www.linguateca.pt/Diana/download/DianaSantosFSCEO.pdf.

SANTOS, D. Podemos contar com as contas? In: ALUÍSIO, Sandra Maria; TAGNIN, Stella E. O. (Ed.). New Language Technologies and Linguistic Research: A Two-Way Road. Cambridge: Cambridge Scholars Publishing, maio 2014. p. 194–213. Disponível em: http://www.linguateca.pt/Diana/download/Santos2014contas.pdf.

SANTOS, D.; FREITAS, C.; BICK, E. OBras: a fully annotated and partially human-revised corpus of Brazilian literary works in public domain. In: CORLEX. Canela, RGS: [s.n.], 24 de setembro 2018. Disponível em: http://www.linguateca.pt/Diana/download/CorLex.pdf.

SILVA, F. M. da R. P. da. Diferenciações de gênero na caracterização de personagens: uma proposta metodológica e primeiros resultados. Rio de Janeiro, RJ: Departamento de Letras, PUC-Rio, abr. 2021. 169 p. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/54130/54130.PDF.

SILVERSTEIN, M. Shifters, linguistic categories, and cultural description. Meaning in anthropology, University of New Mexico Press, p. 11–55, 1976.

SMITH, S. L; CHOUEITI, M.; PIEPER, K. Gender bias without borders: An investigation of female characters in popular films across 11 countries. Los Ángeles University of Southern California, 2014.

STROM, M.; ALCOCK, E. Floods, waves, and surges: the representation of Latin immigrant children in the United States mainstream media. Critical Discourse Studies, Taylor & Francis, v. 14, n. 4, p. 440–457, 2017.

THOMPSOM, J. B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crı́tica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995 [1990].

UNDERWOOD, T.; BAMMAN, D.; LEE, S. The transformation of gender in English-language fiction. Journal of Cultural Analytics, Department of Languages, Literatures, e Cultures, v. 3, n. 2, p. 11035, 2018.

Downloads

Publicado

15-02-2022

Como Citar

FREITAS, C.; MARTINS, F.; BIAR, L. Um ‘olhar discursivo’ sobre predicação e gênero: aproximações metodológicas entre corpus e discurso. Texto Livre, Belo Horizonte-MG, v. 15, p. e36213, 2022. DOI: 10.35699/1983-3652.2022.36213. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/36213. Acesso em: 19 jun. 2024.