PROFISSÃO DOCENTE NA AMÉRICA LATINA

CIDADANIA, POLÍTICAS PÚBLICAS PARA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO IDENTITÁRIA DE PROFESSORES(AS) DE HISTÓRIA

Autores

  • Fernando Lucas Oliveira Figueiredo Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)
  • Santuza Amorim da Silva Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2019.12245

Palavras-chave:

América Latina, Identidade docente, Políticas Públicas

Resumo

Este texto visa relacionar os elementos identitários de um grupo de professores(as) de História que atuam na educação básica de Belo Horizonte à constituição das identidades na América Latina, seus aspectos gerais e as políticas públicas educacionais na região. Investigou-se sobre a(s) identidade(s) profissional(is) docente(s) visando  correlacionar as temáticas presentes no texto com o relato de profissionais docentes que atuam em escolas de educação básica na região metropolitana de Belo Horizonte. Para tal, como método para a investigação, foi aplicado um questionário, com perguntas fechadas e abertas, solicitando informações de dados pessoais e percepções sobre a atividade docente. Percebeu-se que o(a) professor(a) de História da Educação Básica vai moldando sua(s) identidade(s) e, durante a fase de estabilização de Huberman (1995), o professorado já tem maior consciência de suas atribuições e contribuições para a sociedade, mesmo percebendo o movimento das políticas públicas que desprofissionalizam sua função e os fazem repensar sobre as expectativas e projeções de futuro. Percebeu-se, também, grandes problemas na área educacional e na relação dos(as) professores(as) com as políticas públicas educativas implantadas nas últimas décadas. Logo, a condição docente no início do século XXI se mostra heterogênea em compasso com as modificações no campo do trabalho do mundo capitalista e tangenciada por elementos que interferem na qualidade de vida dos(as) profissionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Lucas Oliveira Figueiredo, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Bacharel e licenciado em História pela UFOP (2005). Especialista em Cultura Afro-brasileira e Africana (UNIFEMM, 2009) e em Educação para a diversidade e cidadania (UFOP, 2010). Mestre em Educação pela UEMG (2018). Professor de educação básica efetivo da rede municipal de Lagoa Santa e da rede estadual de Minas Gerais. Elaborador de materiais didáticos para a kroton e Editora Bernoulli.

Santuza Amorim da Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Graduou-se em Biblioteconomia pela UFMG (1993) e Licenciatura em História (PUC/MG). Possui mestrado em Educação (1997), doutorado em Educação (2007) pela UFMG. Realizou estágio de pós-doutorado na Université Paris 8 (2011/12). Atua como professora no Curso de Pedagogia e no Mestrado em Educação da FAE/UEMG. Atuou como Coordenadora Adjunta do Programa de Mestrado em Educação e Formação Humana da Faculdade de Educação/UEMG em 2013/14. Atualmente integra os seguintes grupos de pesquisas: Nepel (UEMG), Prodoc (UFMG) e Nera/Programa Ações Afirmativas (UFMG)

Referências

CASTILLO, Raúl Ramirez. Reelaborar la identidad docente para formar en competencias. México, Itaca, 2014.

FANFANI, Emílio Tenti. La escuela y la cuestión social: ensayos de sociologia de la educación. Buenos Aires: Siglo XIX, Primera Edición, 2007. Cap.1

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETTO, Elba Siqueira de Sá; ANDRÉ, Maria Eliza Dalmazo de Afonso. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO-MEC, 2011.

GATTI, Bernadete Angelina. Reconhecimento social e as políticas de carreira docente na educação básica. Cadernos de pesquisa. v. 42, n. 145, p. 88-111, jan./abr. 2012

GUIMARAES, Selva Fonseca. Formação de professores de História: reflexões sobre um campo de pesquisa (1987 – 2009). Cadernos de História da Educação – v.11, n. 1 – jan./jun. 2012. p. 285 – 303.

HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida professional dos professores. In: NÓVOA, António. (org.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 1995, p. 31-61.

MARCELO García, Carlos. A identidade docente: constantes e desafios. Revista Brasileira sobre formação de Professores. v. 01, n. 01, p. 109-131, agosto, 2009.

MIRANDA, Marília Gouvea de. Novo Paradigma de conhecimento e politicas educacionais na América Latina. Caderno de Pesquisa, n. 100, p. 37-48, mar. 1997.

MONTEIRO, Ana Maria Ferreira da Costa. Professores de História: entre saberes e práticas. Rio de Janeiro: Mauad X, 2010. (2 ed).

MONTEIRO, Gabriela Alves. Estudo sobre o bem-estar/mal-estar docente na perspectiva dos professores de História da Educação Básica. Revista Vozes, Pretérito & Devir, Piauí, v. VII, n. 1, p. 268-285, 2017. Disponível em: http://revistavozes.uespi.br/ojs/index.php/revistavozes/article/view/160/178. Acesso em: 28 jun. 2018.

NÓVOA, António. (org.). Profissão Professor. Porto: Porto Editora, 1999. (2ª ed.).

OLIVEIRA, Dalila. Andrade. Educação básica: gestão do trabalho e da pobreza. 2° ed. Petrópolis: Vozes, 2010, p. 210-269.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Nova gestão pública e governos democrático-populares: contradições entre a busca da eficiência e a ampliação do direito à educação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 36, nº. 132, p. 625-646, jul.-set., p. 2015 625.

PRYJMA, Leila Cleuri. de. Ser professor: representações sociais de professores. 143 f. Tese (doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologias, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente. 2016.

PUIGGRÓS, Adriana. Las alternativas cambian con el tiempo. In: PUIGGRÓS, Adriana. De Simón Rodríguez à Paulo Freire: educación para la integración iberoamericana. Buenos Aires: Colihue, 2010, p.7-37.

SORJ, Bernardo, MARTUCCELLI, Danilo. A nação e os desafios da identidade. In: SORJ, Bernardo, MARTUCCELLI, Danilo. O desafio latino-americano coesão social e democracia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008, pp. 242-262.

Downloads

Publicado

2019-08-29

Como Citar

FIGUEIREDO, F. L. O.; SILVA, S. A. da. PROFISSÃO DOCENTE NA AMÉRICA LATINA: CIDADANIA, POLÍTICAS PÚBLICAS PARA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO IDENTITÁRIA DE PROFESSORES(AS) DE HISTÓRIA. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 28, n. 2, p. 145–157, 2019. DOI: 10.35699/2238-037X.2019.12245. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/12245. Acesso em: 4 dez. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS