AS ORIGENS DA ONTOLOGIA DO SER SOCIAL: A QUESTÃO DO MÉTODO / Origins of the ontology of social being: the question of the method

Autores

  • Hormindo Pereira de Souza Junior FaE/UFMG

Resumo

Neste artigo procuramos chamar a atenção para a necessidade do exame de duas obras da fecunda produção de Karl Marx para as origens da ontologia do ser social: a Sagrada Família, publicada originalmente em 1845, e a Miséria da Filosofia, publicada originalmente em 1847. Buscamos deixar claro o rompimento de Marx com o pensamento especulativo contido na Filosofia da Miséria e na Sagrada Família, bem como em seus "mistérios" para a construção dos lineamentos iniciais e fundamentais de uma primeira crítica ontológica. A partir disso, podemos compreender que o ponto de partida não é a "lógica da coisa e, sim, a coisa da lógica". Quando buscamos compreender, entender e apreender a vida, o mundo, partimos da vida e do mundo e não do conceito sobre a vida e sobre o mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hormindo Pereira de Souza Junior, FaE/UFMG

Doutor em História e Filosofia da Educação pela Pucsp, Pós-doutorado em Filosofia Política e Educação pela UFF, Mestre em Educação pela FaE/UFMG,  Graduação em Ciências Sociais pela UFMG. Professor Associado da FaE/UFMG, Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Marx, Trabalho e Educação (GEPMTE), vinculado ao Núcleo de Estudos sobre Trabalho e Educação (NETE) da FaE/UFMG.

Downloads

Publicado

2015-12-11

Como Citar

SOUZA JUNIOR, H. P. de. AS ORIGENS DA ONTOLOGIA DO SER SOCIAL: A QUESTÃO DO MÉTODO / Origins of the ontology of social being: the question of the method. Trabalho & Educação, [S. l.], v. 24, n. 1, p. 143–155, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9417. Acesso em: 15 jan. 2021.