Avaliação da mudança do trabalho clínico na Faculdade de Odontologia da UFMG

  • Marcelo de Faria Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG
  • Mauro Henrique Nogueira Guimarães de Abreu Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG
  • Simone Dutra Lucas Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG
  • Marcos Azeredo Furquim Werneck Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG

Resumo

A nova sede da Faculdade de Odontologia da UFMG modificou o seu ambiente de trabalho clínico, após 90 anos de existência. Assim, esse estudo procurou conhecer as atitudes e percepção dos estudantes, bem como a atitude de professores e funcionários, relativas às propostas de trabalho em equipe contidas no novo modelo de atenção definido para a nova sede da FO-UFMG. Além disso, foram avaliados os elementos facilitadores e dificultadores da adesão a esse novo modelo. A metodologia qualitativa utilizada envolveu a
observação participante nas clínicas da Faculdade e um grupo focal com estudantes. Foi realizada análise descritiva das observações realizadas e análise de conteúdo do grupo focal. Dos itens observados, a maioria dos estudantes e funcionários executou adequadamente o trabalho em equipe, exceto para a utilização da técnica de instrumentação. Número de funcionários, envolvimento de alguns docentes e falta de equipamentos foram elementos dificultadores. Os estudantes trabalharam efetivamente em equipe, uma vez que dividiram
as funções e passos do atendimento, apesar da baixa proporção de acertos na técnica de instrumentação. A configuração do espaço físico dos módulos implementados nas clínicas da FO-UFMG, seus elementos e características ergonômicas permitiram a execução de um atendimento em equipe. Deve-se elaborar um processo de acompanhamento permanente da execução do novo modelo, tendo em vista a superação de elementos dificultadores e a consolidação dos aspectos positivos observados.
Descritores: Educação em Odontologia. Saúde pública. Recursos humanos em Odontologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo de Faria, Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG
Prof. Assistente, Dept. Odontologia Social e Preventiva, FO-UFMG
Mauro Henrique Nogueira Guimarães de Abreu, Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG
Prof. Adjunto, Dept. Odontologia Social e Preventiva, FO-UFMG
Simone Dutra Lucas, Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG
Profª. Adjunta, Dept. Odontologia Social e Preventiva, FO-UFMG
Marcos Azeredo Furquim Werneck, Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG
Prof. Associado, Dept. Odontologia Social e Preventiva, FO-UFMG

Referências

1. Ham C, Kipping R, McLeod H. Redesigning work processes in health care: lessons from the National Health Service. Milbank Q.
2003;81:415-39.
2. Thornton LJ, Stuart-Buttle C, Wyszynski TC. Wilson ER. Physical and psychosocial stress exposures in US dental schools: the need for
expanded ergonomics training. Appl Ergon. 2004;35:153-7
3. Vallachi B, Vallachi K. Preventing musculoskeletal disorders in clinical dentistry: strategies to address the mechanisms leading to musculoskeletal disorders. J Am Dent Assoc. 2003;134:1604-12.
4. Frazão P. A participação do pessoal auxiliar odontológico em dez sistemas locais de saúde de cinco municípios no Estado de São Paulo
[Dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública; 2004.
5. Frazão P. 20 years of experience with the Brazilian Unified National Health System: strides and challenges for oral health. Cad
Saude Publica. 2009;25:712.
6. Pan American Health Organization/World Health Organization/NESCON. Organização do cuidado a partir de problemas: uma alternativa metodológica para atuação da equipe de saúde da família/José Paranaguá de Santana (org); colaboração do Ministério da
Saúde e do Pólo de capacitação em saúde da família da UFMG: NESCON – Faculdade de Medicina e escola de Enfermagem. Brasília: organização Pan-americana de Saúde / Representação do Brasil. 2000.
7. Ross MK, Turner S, Ibbetson RJ. The impact of team working on the knowledge and attitudes of final year dental students. Br Dent
J. 2009;206:163-7.
8. Morison S, Marley J, Stevenson M, Milner S. Preparing for the dental team: investigating the views of dental and dental care professional
students. Eur J Dent Educ. 2008;12:23-8.
9. Becker HS. Métodos de pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Hucitec, 1993.
10. Castro JRF. Adequação do consultório dentário para trabalho com pessoal auxiliar. Odontol Mod. 1983;10:32-38.
11. Porto FA. O consultório odontológico. São Paulo: Scritti, 1994.
12. Finkbeiner BL. Are you ready to switch to fourhanded dentistry? Dent Off. 2004;9:10-77.
13. Finkbeiner BL, Muscari M. Let ergonomics and true four-handed dentistry help you. Dent Off. 2006;11:18-22.
14. Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70;1977.
15. Kohn WG, Harte JA, Malvitz DM, Collins AS, Cleveland JL, Eklund KJ. Guidelines for infection control in dental health care settings
2003. J Am Dent Assoc. 2004;135:33-47. 16. Pordeus IA, Resende VLS. Prevenção e controle de infecção na assistência odontológica. In: Martins MA. Manual de infecção hospitalar. 2ª ed. Belo Horizonte: Medsi, 2001. p.877-94.
17. Merhy EE. Saúde. A cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec; 2002.
18. Freire P, Shor I. Medo e ousadia. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1996
Publicado
2016-03-14
Como Citar
de Faria, M., Abreu, M. H. N. G. de, Lucas, S. D., & Werneck, M. A. F. (2016). Avaliação da mudança do trabalho clínico na Faculdade de Odontologia da UFMG. Arquivos Em Odontologia, 44(4). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3484
Seção
Artigos