Condição gengival de adolescentes residentes no Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais.

  • Lorena Olegário Leite Universidade Federal de Minas Gerais - FO-UFMG
  • Emílio Prado Fonseca Universidade Federal de Minas Gerais - FO-UFMG
  • Efigênia Ferreira e Ferreira Universidade Federal de Minas Gerais - FO-UFMG
  • Andréa Maria Duarte Vargas Universidade Federal de Minas Gerais - FO-UFMG
  • Andréa Clemente Palmier Universidade Federal de Minas Gerais - FO-UFMG
  • Mauro Henrique Nogueira Guimarães de Abreu Universidade Federal de Minas Gerais - FO-UFMG

Resumo

Objetivo: Este estudo teve por objetivo descrever a condição gengival de adolescentes de 15 a 19 anos no Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais. Materiais e Métodos: O estudo foi realizado com amostra calculada
de 450 indivíduos em treze municípios selecionados de forma aleatória simples, após estratificação dos mesmos de acordo com porte populacional e o desempenho do serviço de saúde bucal municipal. A avaliação
da condição gengival foi analisada por um único examinador calibrado (Kappa≥0,85). O instrumento da análise utilizado foi um questionário com variáveis sociodemográficas e hábitos, respondido individualmente por cada
adolescente. Para os dados clínicos, utilizou-se-se a codificação 0, 1 e 2 do Índice Periodontal Comunitário (CPI) realizado no local de residência do adolescente, com utilização de sonda periodontal tipo OMS. A
avaliação foi obtida classificando: ausência de alteração gengival; apresentação de sangramento gengival à sondagem; presença de cálculo dentário; e presença de cálculo dentário e sangramento gengival. Resultados:
Dos 450 adolescentes examinados, 16 (3,55%) apresentaram-se sem alterações gengivais, 235 (52,22%) com sangramento, 36 (8,00%) com cálculo dentário e 163 (36,22%) com sangramento e cálculo. De um total de
2699 sextantes, 791 (29,30%) estavam hígidos, 1392 (51,56%) com sangramento, 94 (3,48%) com cálculo e 422 (15,63%) com sangramento e cálculo e um sextante estava perdido (0,03%). Conclusão: Uma importante
proporção de adolescentes apresenta-se com sangramento e cálculo.
Descritores: Adolescente. Gengivite. Epidemiologia. Saúde bucal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lorena Olegário Leite, Universidade Federal de Minas Gerais - FO-UFMG
Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais (FO-UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil
Emílio Prado Fonseca, Universidade Federal de Minas Gerais - FO-UFMG

Programa de Pós-Graduação em Odontologia/Saúde Coletiva, Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais (FOUFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Efigênia Ferreira e Ferreira, Universidade Federal de Minas Gerais - FO-UFMG

Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais (FO-UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Andréa Maria Duarte Vargas, Universidade Federal de Minas Gerais - FO-UFMG

Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais (FO-UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Andréa Clemente Palmier, Universidade Federal de Minas Gerais - FO-UFMG
Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais (FO-UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.
Mauro Henrique Nogueira Guimarães de Abreu, Universidade Federal de Minas Gerais - FO-UFMG
Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais (FO-UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Referências

1. American Academy of Periodontology-Research, Science, and Therapy Committee. Treatment of plaque-induced gingivitis, chronic periodontitis, and other clinical conditions. Pediatr Dent. 2005-
2006;27:202-11.
2. Goodson JM, Tanner ACR, Haffajee AD, Sornerberger GC, Socransky SS. Patterns of progression and regression of advanced destructive periodontal disease. J Clin Periodontol. 1982;
9:472-81.
3. Antunes JLF, Peres MA, Frias AC, Crosato EM, Biazevic MGH. Saúde gengival de adolescentes e a utilização de serviços odontológicos, Estado de São Paulo. Rev Saude Publica. 2008;42:191-9.
4. Boing AF, Peres MA, Kovaleski DF, Zange SE, Antunes JLF. Estratificação socioeconômicas em estudos epidemiológicos de cárie dentária e doenças periodontais: características da produção
na década de 90. Cad Saúde Pública. 2005;21:673- 8.
5. Franca MSM, Gomes RCB, Lins RDAU, Santos PAV, Lima FJ. Influência do fumo sobre a condição periodontal. Rev Stomatos. 2010;16:23-36.
6. Jenkins B, Heasman, P. Prevenção e controle da doença periodontal. In: Murray JJ, Nunn JH, Steele JG. Doenças orais: medidas preventivas. 4ªed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2005.
p.123-41.
7. Brasil. Ministério da Saúde. SB Brasil. Pesquisa Nacional de Saúde Bucal 2010. Resultados principais. Brasília, DF: Ministério da Saúde;
2011.
8. Ribeiro EM, Galizoni FM, Silvestre LH, Calixto JS, Assis TP, Ayres EB. Agricultura familiar e programas de desenvolvimento rural no
Alto Jequitinhonha. Rev Econ Sociol Rural. 2007;45:1075-102.
9. Lwanga SK, Lemeshow S. Sample size determination in health studies: a practical manual. Geneva: World Health Organization;
1991.
10. Brasil. Ministério da Saúde. Projto SB 2003: condições de saúde bucal da população brasileira 2002-2003: resultados principais. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2004.
11. World Health Organization. Oral health surveys: basic methods. 4th ed. Geneva: WHO; 1997.
12. Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Critério de classificação econômica Brasil. [acesso em 2012 June 17]. Disponível em http://www. abep.org/novo/Content.aspx?ContentID=301.
13. American Academy on Pediatric Dentistry Clinical Affairs Committee, American Academy on Pediatric Dentistry Council on Clinical Affairs Committee on the Adolescent. Guideline
on adolescent oral health care. Pediatr Dent. 2012;34(6 Suppl):137-44.
14. Santos NCN, Alves, TDB, Freitas VS. A saúde bucal de adolescentes: aspectos de higiene, de cárie dentária e doença periodontal nas cidades de Recife, Pernambuco e Feira de Santana, Bahia. Ciênc Saúde Colet. 2007;12:1155-66.
15. Varenne B, Petersen PE, Oral health status of children and adults in urban and rural areas of Burkina Faso, Africa. Ouattara S.Int Dent
J. 2004;54:83-9.
16. Neves AM, Passos IA, Oliveira AFB. Estudo da prevalência e severidade de gengivite em população de baixo nível socioeconômico.
Odontol Clin-Cient. 2010;9:65-71.
17. Ferreira JMS, Aragão AKR, Sampaio FC, Jardim MCAM. Gengivite e índice de higiene oral em crianças de Cabedelo– Paraíba – Brasil. Rev Bras Cienc Saúde. 2003;7:177-86.
18. Garcia-Graville AF, Lorena-Sobrinho JE, Araújo, JC, Menezes VA, Costa EMMB. Influência do fator socioeconômico no comportamento dos adolescentes em relação à saúde bucal. Rev Odonto. 2008;16: 53-61.
19. Lisboa IC, Abegg C. Hábitos de higiene bucal e uso de serviços odontológicos por adolescentes e adultos do Município de Canoas, Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Epidemiol Serv Saude.
2006;15:29-39.
20. Pucca GA Jr. A política nacional de saúde bucal como demanda social. Ciênc Saúde Coletiva. 2006;11:243-6.
21. Löe H, Theilade E, Jensen SB. Experimental gingivitis in man, J Periodontol 1965;36:177-87.
22. Papapanou PN. Periodontal diseases: epidemiology. Ann Periodontol. 1996;1:1-36.
23. Costa FO, Guimarães AN, Cota LO, Pataro AL, Segundo TK, Cortelli SC, et al. Impact of different periodontitis case definitions on periodontal research. J Oral Sci. 2009;51:199-206
Publicado
2016-06-10
Como Citar
Leite, L. O., Fonseca, E. P., Ferreira, E. F. e, Vargas, A. M. D., Palmier, A. C., & Abreu, M. H. N. G. de. (2016). Condição gengival de adolescentes residentes no Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais. Arquivos Em Odontologia, 49(2). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3629
Seção
Artigos