Percepção dos usuários do Sistema Único de Saúde de Montes Claros/MG quanto à saúde bucal e ao serviço público odontológico

  • Adrianne Calixto Freire de Paula Universidade Estadual de Montes Claros- Unimontes
  • Raquel Conceição Ferreira Universidade Estadual de Montes Claros- Unimontes
  • João Felício Rodrigues Neto Universidade Estadual de Montes Claros -Unimontes
  • Alfredo Maurício Batista de Paula Universidade Estadual de Montes Claros- Unimontes

Resumo

Esse estudo avaliou a percepção dos usuários quanto à saúde bucal e ao serviço público odontológico no município de Montes Claros/MG. Os participantes foram selecionados de uma lista dos usuários adultos
agendados para tratamento odontológico no Programa de Saúde da Família (PSF). Após assinatura do termo de consentimento, os usuários foram entrevistados, sendo suas falas gravadas, transcritas e submetidas à
análise de conteúdo. Os usuários relacionaram saúde bucal com saúde sistêmica, cuidados com a boca e aparência. Muitos desconheceram o significado de PSF, bem como sua lógica de funcionamento. Para os
usuários, o PSF favoreceu a proximidade com o profissional de saúde, contribuindo para o acolhimento satisfatório. Houve reflexões sobre universalidade. Os agentes comunitários e as reuniões coletivas foram
considerados facilitadores do acesso ao serviço odontológico. No discurso sobre os fatores limitantes do acesso houve referência do grande número de usuários e do tempo de espera para atendimento odontológico.
Descritores: Percepção. Saúde bucal. Programa Saúde da Família.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adrianne Calixto Freire de Paula, Universidade Estadual de Montes Claros- Unimontes
Departamento de Odontologia, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros, MG, Brasil
Raquel Conceição Ferreira, Universidade Estadual de Montes Claros- Unimontes
Departamento de Odontologia, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros, MG, Brasil
João Felício Rodrigues Neto, Universidade Estadual de Montes Claros -Unimontes
Departamento de Clínica Médica, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros, MG, Brasil
Alfredo Maurício Batista de Paula, Universidade Estadual de Montes Claros- Unimontes
Departamento de Clínica Médica, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros, MG, Brasil

Referências

1. Cunha AG. Dicionário etmológico nova fronteira da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 1982.
2. Silva CJP, Ferreira EF, Magnago FM, Alves RG. Percepção de saúde bucal dos usuários do Sistema Único de Saúde do município de
Coimbra/Minas Gerais. Rev Fac Odontol Porto Alegre. 2006;47:23-8.
3. Paixão HH. Saúde e Doença: Um estudo de representação social. Arq Centro de Estud Curso Odontol. 1986;23:9-17.
4. Abreu MHNG, Pordeus IA, Modena CM. Representações sociais de saúde bucal entre mães no meio rural de Itaúna (MG). Ciênc
Saúde Coletiva. 2002;10:245-9.
5. Amaral LA, Nader Filho A, Rossi Júnior OT, Ferreira FLA, Barros LFS. Água de consumo humano como fator de risco à saúde em
propriedades rurais. Rev Saúde Pública. 2003;37:510-4.
6. Bosi MLM, Affonso KC. Cidadania, participação popular e saúde: com a palavra, os usuários da Rede Pública de Serviços. Cad
Saúde Pública. 1998;14:355-65.
7. Yépez MT, Morais NA. Reivindicando a subjetividade dos usuários da rede básica de saúde: para uma humanização do atendimento.
Cad Saúde Pública. 2004;20:80-8.
8. Solla JJSP, Medina MG, Dantas MBP. O PACS na Bahia: avaliação do trabalho dos agentes comunitários de saúde. Rev Saúde Debate.
1996;51:4-15.
9. Andrade KLC, Ferreira EF. Avaliação da inserção da odontologia no Programa Saúde da Família da Pompéu (MG): a satisfação do
usuário. Ciênc Saúde Coletiva. 2006;11:123-30.
10. Manfredini MA. Saúde bucal no Programa Saúde da Família no Brasil. In: Dias AA. Saúde bucal coletiva: metodologia de trabalho e
práticas. São Paulo: Santos; 2006. p.43-73.
11. Oliveira JLC, Saliba NA. Atenção odontológica no Programa de Saúde da Família de Campos dos Goitacazes. Ciênc Saúde Coletiva.
2005;10:297-302.
12. SIAB/DATASUS - Secretaria municipal de Saúde de Montes Claros-MG, 2007.
13. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 2ªed. São Paulo: Hucitec; 2000.
14. Giddon DB. Oral health and the quality of life. J Am Coll Dent. 1987;54:10-5.
15. MacEntee MI, Gibson GWR. Oral health in a long term care institution equipped with a dental service. Community Dent Oral Epidemiol. 1985;13:260-3.
16. Bernd B, Souza CB, Lopes CB, Lisbôa, IC, Curra LCD, Souza LNS, et al. Percepção popular sobre saúde bucal: o caso das gestantes do
Valão. Rev Saúde em Debate. 1992;34:33-9.
17. Mendonça TC. Mutilação dentária: concepções de trabalhadores sobre a responsabilidade pela perda dentária. Cad Saúde Pública.
2001;17:1545-7.
18. Vargas AMD. Políticas públicas e qualidade de vida: um estudo epidemiológico sobre a perda dentária [tese]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Veterinária;
2002.
19. Boltanski L. As classes sociais e o corpo. 3ªed. Rio de Janeiro: Graal; 1989.
20. Capra F. O ponto de mutação. a ciência, a sociedade e a cultura emergente. São Paulo: Cultrix; 1989.
21. Wolf SMR. O significado psicológico da perda dos dentes em sujeitos adultos. Ver Assoc Paul Cir Dent. 1998;52:1545-7.
22. Faria CNG. Corpolatria: uma busca de relação [monografia]. Belo Horizonte: Universidade do Estado de Minas Gerais. Instituto de Ensino
Superior; 2005.
23. Trad LAB, Bastos ACS, Santana EM, Nunes MO. O estudo etnográfico da satisfação de usuário do Programa de Saúde da Família (PSF) na Bahia. Ciênc Saúde Coletiva. 2002;7:581-89.
24. Ramos DD, Lima MADS. Acesso e acolhimento aos usuários em uma unidade de saúde de Porto Alegre, Rio Grande de Sul, Brasil.
Cad Saúde Pública. 2003;19:27-34.
25. Rodrigues MP, Lima KC, Roncalli AG. A representação social do cuidado no Programa Saúde da Família na cidade de Natal. Ciênc
Saúde Coletiva. 2008;13:71-82.
26. Merhy EE. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. 2ªed. São Paulo: Hucitec; 2002.
27. Teixeira MCB. A dimensão cuidadora do trabalho de equipe em saúde e sua contribuição para a odontologia. Ciênc Saúde Coletiva.
2006;11:45-51.
28. Lopes MJM, Silva JLA. Estratégias metodológicas de educação e assistência na atenção básica de saúde. Rev Latinoam Enferm. 2004;12:683-8.
29. Aguiar ACS, Moura ERF. Percepção do usuário sobre a atuação da equipe de saúde da família de um distrito de Caucaia – CE. Ver Brás
Promoção Saúde. 2004; 17:163-9.
30. Santos MP. Avaliação da qualidade dos serviços públicos de atenção à saúde da criança sob a ótica do usuário. Rev Bras Enferm. 1995;48:109-19.
Publicado
2016-04-04
Como Citar
Paula, A. C. F. de, Ferreira, R. C., Neto, J. F. R., & Paula, A. M. B. de. (2016). Percepção dos usuários do Sistema Único de Saúde de Montes Claros/MG quanto à saúde bucal e ao serviço público odontológico. Arquivos Em Odontologia, 45(4). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3516
Seção
Artigos