Perfil metodológico de experimentos sensoriais de alimentos de 2014 a 2019

Palavras-chave: Revisão integrativa, Análise sensorial, Bibliometria, Sensometria

Resumo

A análise sensorial surgiu da necessidade da melhoria da qualidade dos alimentos para além de suas características físicas, químicas e microbiológicas. Os atributos sensoriais são utilizados para acessar a qualidade sensorial de um alimento bem como o quanto este está de acordo com os desejos do consumidor. Experimentos são planejados na indústria e nos centros de pesquisa com o intuito de detectar diferenças entre formulações e preparos de alimentos com o objetivo de eleger os mais saborosos e nutritivos, e que tenham maior probabilidade de venda ou comercialização. No entanto, a literatura é escassa de estudos de revisão sobre as principais características metodológicas dos experimentos sensoriais. Este trabalho se trata de uma revisão de literatura integrativa que objetiva traçar o perfil dos experimentos sensoriais de 2014 a 2019. Em uma pesquisa de 1989 artigos, filtrada para 236 e refinada para 66, observou-se que a mediana do número de participantes foi de 50 pessoas e 10 para provadores treinados, 1 alimento ou produto analisado, 4 amostras para avaliação, 3 tratamentos e apenas 1 repetição (sessão). Os principais atributos utilizados são, cor, aroma, sabor e textura. O conhecimento das características comumente utilizadas em experimentos sensoriais pode auxiliar pesquisadores a planejar novos experimentos, ou ainda, ser alvo de críticas, para que os próximos experimentos sejam melhorados, sob algum ponto de vista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Aho, K. Asbio: a collection of statistical tools for biologists. 2019. R package version 1.5-5.

Antunes, M. C.; Cuquel, F. L.; Zawadneak, M. A. C.; Mogor, A. F.; Resende, J. T. V. 2014. Ostharvest quality of strawberry produced during two consecutive seasons. Horticultura Brasileira 32: 168-173. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362014000200008.

Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. 1993. Análise sensorial dos alimentos e bebidas: terminologia. NBR 12806. 8 p.

Bemfeito, R. M.; Rodrigues, J. F.; Silva, J. G.; Abreu, L. R. 2016. Temporal dominance of sensations sensory profile and drivers of liking of artisanal Minas cheese produced in the region of Serra da Canastra, Brazil. Jornal of. Dairy Science, 99: 7886-7897. Doi:10.3168/jds.2016-11056.

Beyea, S.; Nicoll, L.H. Writing an integrative review. 1998. AORN J., 67: 877-80. Doi:10.1016/s0001-2092(06)62653-7.

Bitencourt, C.; Dutra, F. L. G; Pinto, V. Z.; Helbig, E.; Borges, L. R. 2014. Elaboração de bolos enriquecidos com semente de abóbora: avaliação química, física e sensorial. B. CEPPA, 32: 19-32. Doi: http://dx.doi.org/10.5380/cep.v32i1.36927.

Carvalho, A. M.; Moreno, E.; Bonatto, F. R. O; Silva, I. P. Aprendendo Metodologia Científica. 2000. São Paulo: O Nome da Rosa. v.1.

De-La-Torre-Ugarte-Guanilo, M. C.; Takahashi, R. F.; Bertolozzi, M. R. 2011. Revisão sistemática: noções gerais. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 45:1255-1261. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000500033.

Duarte, A. L. A.; Rosário, D. K. A.; Oliveira, S. B. S.; Souza, H. L. S.; Carvalho, R. V.; Carneiro, J. C. S.; Silva, P. I.; Bernardes, P. C. 2018. Ultrasound improves antimicrobial effect of sodium dichloroisocyanurate to reduce Salmonella Typhimurium on purple cabbage. International Journal of Food Microbiology, 269: 12-18. Doi: https://doi.org/10.1016/j.ijfoodmicro.2018.01.007.

Fernandes, S. S.; Salas-Mellado, M. M. 2017. Addition of chia seed mucilage for reduction of fat content in bread and cakes. Food Chemistry, 227: 237-244. Doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.foodchem.2017.01.075.

Ferreira, A. B. H. 2006. Dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: IBGE, 86 p. 1v. il. ISBN 978-85-240-4074-0.

Grupo Anima Educação. 2014. Manual Revisão Bibliográfica Sistemática Integrativa: a pesquisa baseada em evidências. Belo Horizonte: Grupo Anima Educação.

Harzing, A. W. 2007. Publish or Perish. Lievore, P.; Simões, D. R. S.; Silva, K. M.; Drunkler, N. L.; Barana, A. C.; Nogueira, A.; Demiate, I. M. 2015. Chemical characterisation and application of acid whey in fermented milk. Journal of Food Science and Technology, 52: 2083-2092. Doi: 10.1007/s13197-013-1244-z.

Lima, M. V.; Vieira, H. D.; Martins, M. L. L.; Pereira, S. M. F. 2008. Preparo do café despolpado, cereja descascado e natural na região sudoeste da Bahia. Revista Ceres, 55: 124-130.

Martinez-Saez, N.; Ullate, M.; Martin-Cabrejas, M. A.; Martorell, P.; Genovés, S.; Ramon, D.; Castillo del, M. D. 2014. A novel antioxidant beverage for body weight control based on coffee silverskin. Food Chemistry, 150: 227-234. Doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.foodchem.2013.10.100.

Minim, V. Análise sensorial: Estudo com consumidores. 2006. Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa, 3ed.

Oliveira, D. A. L. 2014. Práticas clínicas baseadas em evidências. Especialização em Saúde da Família. Módulo Pedagógico. 53p.

Pereira, A. L.; Bachion, M. M. 2006. Atualidades em revisão sistemática de literatura, critérios de força e grau de recomendação de evidência. Revista Gaúcha de Enfermagem, 27:491.

Polit, D. F.; Beck, C. T. 2006. Using research in evidence-based nursing practice. Essentials of nursing research. Methods, appraisal and utilization. Philadelphia (USA): Lippincott Williams & Wilkins;.p.457-94.

R Core Team. 2019. R: A language and environment for statistical computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing.

Ribeiro, B. B.; Mendonça, L. M. V. L.; Assis, G. A.; Mendonça, J. M. A.; Malta, M. R.; Montanari, F.F. 2014. Avaliação química e sensorial de blends de Coffea canephora Pierre e Coffea arabica L. Coffee Science, 9:178-186. Disponível em: offeescience.ufla.br/index.php/Coffeescience/article/view/596.

Rossini, K.; Anzanello, M. J.; Fogliatto, F. S. 2012. Seleção de atributos em avaliações sensoriais descritivas. Produção, 22: 380-390. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-65132012005000032.

Silveira, R. C. C. P. 2005. O cuidado de enfermagem e o cateter de Hickman: a busca de evidências [dissertação]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 18: 276-284 2005. Doi: 10.11606/D.22.2005.tde-15082007-153503.

Souza, M.T .; Silva, M. D.; Carvalho, R. 2010. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, 8:102-1066. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/s1679-45082010rw1134.

Stillwell, S. B.; Fineout-Overholt, E.; Melnyk, B. M.; Williamsom, K. M. 2010. Searching for the Evidence: Strategies to help you conduct a successful search. American Journal of Nursing, 110:51-53. Doi: 10.1097/01.NAJ.0000372071.24134.7e.

Teixeira, L. V. Análise Sensorial na Indústria de Alimentos. 2009 Revista da Instituto de Laticínios “Cândido Tostes”, 366: 12-21.

Vilela, A.; Monteiro, B.; Correia, E. 2015. Sensory profile of Port wines: categorical principal component analysis, an approach for sensory data treatment. Ciência Técnica e Vitivinícola, 30:1-8. Doi: https://doi.org/10.1051/ctv/20153001001.

Publicado
2020-02-29
Como Citar
Camocardi, A. F., & Ferreira, E. B. (2020). Perfil metodológico de experimentos sensoriais de alimentos de 2014 a 2019. Caderno De Ciências Agrárias, 12, 1-16. https://doi.org/10.35699/2447-6218.2020.15962
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS

Most read articles by the same author(s)