Estádios de futebol o movimento da memória na atribuição de sentidos à Boca do Lobo

Main Article Content

Naiara Souza da Silva

Resumo

O presente texto origina-se de uma pesquisa de Doutorado na área de Letras, cuja temática principal trata do funcionamento do futebol em nossa sociedade, e, nessa linha, muitas discussões puderam ser propostas na sequência enquanto seguimentos de reflexões teóricas e analíticas. Assim sendo, com o aparato teórico e analítico da Análise de Discurso, tratada também como AD, cujo precursor é Michel Pêcheux, buscamos compreender o sentido atribuído ao Esporte Clube Pelotas, um estádio situado no interior sul do Rio Grande do Sul. Precisamente, atentamo-nos às palavras de um sujeito tatuado torcedor áureo-cerúleo quando participou de uma entrevista oral semiestruturada com preponderância à aberta, realizada em 2017, a respeito de sua relação com seu time de preferência. Nosso objetivo é observar a representação do estádio de futebol e os efeitos de sentido que daí se (re)produzem, a partir do movimento da memória  “do edifício ao torcedor” e do “torcedor ao edifício”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Silva, N. S. da. (2021). Estádios de futebol: o movimento da memória na atribuição de sentidos à Boca do Lobo. FuLiA / UFMG, 5(2), 97–115. https://doi.org/10.35699/2526-4494.2020.22232
Seção
DOSSIÊ

Referências

ALVES, Eliseu de Mello. O futebol em Pelotas: subsídios para a história do futebol em Pelotas (1901-1941). Pelotas: Livraria Mundial, 1984.

CAZARIN, Ercília. Enunciados em rede na tessitura do discurso. In: GRIGOLETTO, Evandra; STOCKMANS Fabiele; SCHONS, Carme. (Orgs.) Discurso em rede: práticas de (re)produção, movimentos de resistência e constituição de subjetividades no ciberespaço. Recife: Ed. Universitária – UFPE, 2011. p. 1-14.

DAMO, Arlei Sander. Do dom à profissão: uma etnografia do futebol de espetáculo a partir da formação de jogadores no Brasil e na França. 2005. 435 p. Tese de Doutorado em Antropologia Social. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2005.

ÉDER, José. BRAPEL: A rivalidade no sul do Rio Grande. Pelotas, RS: Editora Livraria Mundial, 2010.

FRANCO JÚNIOR, Hilário. A dança dos deuses: futebol, cultura, sociedade. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

HENRY, Paul. Os fundamentos teóricos da “análise automática do discurso” de Michel Pêcheux (1969). In: Por uma análise automática do discurso. 4. ed. Organização de Françoise Gadet e Tony Hak. Tradução de Bethania Mariani et al. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2010 [1990], p. 11-38.

ORLANDI, Eni. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Petrópolis: Vozes, 1996.

ORLANDI, Eni. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 10. ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2012a.

ORLANDI, Eni. À flor da pele: indivíduo e sociedade. In: Discurso em análise: sujeito, sentido e ideologia. Campinas, SP: Pontes Editores, 2012b, p. 187-197.

ORLANDI, Eni. Processos de significação, corpo e sujeito. In: ¬______. Discurso em Análise: sujeito, sentido e ideologia. Campinas, SP: Pontes Editores, 2012c, p. 83-96.

PÊCHEUX, Miguel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. Eni Puccinelli Orlandi et al. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2009 [1988].

ORLANDI, Eni. Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Organização: Françoise Gadet e Tony Hak. Trad. Bethania Mariani et al. Campinas: Editora da Unicamp, 2010 [1990].

RIGO, Luiz Carlos. Memórias de um futebol de fronteira. Pelotas: Editora Universitária UFPEL, 2004.

SILVA, Naiara. Futebol e ideologia: a língua e a tatuagem no discurso de sujeitos torcedores da dupla Bra-Pel. Tese (Doutorado em Letras). Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2019.

SILVA, Renata. O tempo discursivo na constituição do imaginário do trabalhador no discurso da CUT. Tese. Universidade Católica de Pelotas, 2010.

SUJEITO TORCEDOR ÁUREO-CERULEO. Entrevista sobre a tatuagem de seu time. Entrevistador: Naiara Souza da Silva. Pelotas, mar., 2017, 1 arquivo mp3 (16:18), 1 fotografia da tatuagem.

VERÍSSIMO, Luis Fernando. Infantilidades. In: ______. Time dos sonhos: paixão, poesia e futebol. Rio de Janeiro, RJ: Objetiva, 2010, p. 25-6.