Produtos da Ciência da Informação para o processo de doação de bens permanentes em Instituições Públicas

o caso do projeto Motirõ

  • Cristiano Moreira Universidade Federal de Minas Gerais
  • Filipi Miranda Soares Universidade de São Paulo
  • Raíssa Yuri Hamanaka Universidade Federal de Minas Gerais
  • Renato Varella Bueno Universidade Federal de Minas Gerais
  • Elisângela Cristina Aganette Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Produtos da Ciência da Informação, Processo de doação, Projeto Motirõ

Resumo

A eficiência na gestão patrimonial de instituições públicas e privadas, tem se mostrado um fator importante para assegurar o desenvolvimento de suas atividades-fim. No que tange às empresas públicas, a maior visibilidade na aplicação destes recursos públicos é um dos pilares que sustenta a transparência. O descarte de ativos desnecessários em uma empresa, pode se tornar uma oportunidade para aproveitamento em outra que não possui o recurso necessário para aquisição daquele item. Com o propósito de investigar o processo de desfazimento e respectiva doação destes tipos de ativos em instituições de ensino públicas, surgiu o projeto Motirõ que examinou o processo de desfazimento na Escola da Ciência da Informação (ECI) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com base na legislação existente. Utilizando uma metodologia mista, em uma pesquisa que se caracterizou como qualitativa, foi possível desenvolver os seguintes entregáveis em relação ao processo de doação de ativos permanentes da UFMG: cronograma; escopo do projeto; tabela de temporalidade; glossário de termos técnicos; manual; plataforma digital com a relação dos produtos disponíveis para doação; modelo BPMN do processo mapeado; termo de abertura; termo de aceite, e o presente artigo, que teve como intuito descrever os procedimentos realizados na criação de produtos informacionais para um processo específico da ECI. Com base nos entregáveis, foi possível verificar que existe um protocolo a ser observado para um eficaz processo de descarte e doação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano Moreira, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em ciências contábeis pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2007). Especialista em Finanças e Controladoria pela Universidade Federal de Minas Gerais (1º/2008), Mestre em Economia de Empresas pela Fead/MG (01º/2011), Doutorando em Gestão e Organização do conhecimento (UFMG) e graduando em Biblioteconomia (Claretiano).Atuou como responsável pelo departamento contábil em instituição privada.Tem experiência na Área de Controladoria e Administração Financeira. Ministrou as disciplinas de Contabilidade Introdutória, Intermediária,avançada, Sistemas Contábeis I , Sistemas Contábeis II e contabilidade aplicada as entidades fechadas de previdência complementar no Curso de Ciências Contábeis da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais campus Coração Eucarístico, na faculdade Pitágoras as disciplinas de contabilidade introdutória, custos, comercial. Tem interesse de atuar na área de Planejamento Fiscal e Tributário, Controladoria e Contábil, como docente e pesquisador nas áreas de Contabilidade fiscal , tributaria, Contabilidade geral , avançada , teoria da contabilidade e Sistemas Contábeis. Foi orientador na Empresa Puc Contábil Junior (PCJ), e auxiliou na implantação do Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal (NAF) na faculdade Pitágoras que é um projeto desenvolvido pela Receita Federal em parceria com Instituições de Ensino Superior, cujo objetivo é oferecer serviços contábeis e fiscais gratuitos para pessoas físicas e jurídicas de menor poder aquisitivo, não substituindo, porém, um escritório de contabilidade. Realizando as orientações sobre as praticas contábeis aplicadas pelos envolvidos, participou no desenvolvimento de atividades de extensão. Publicou o livro Futebol Brasileiro e a Contabilidade Aplicada em 2015, atualmente desenvolve cursos aplicado na área de gestão esportiva para a CBF.

Filipi Miranda Soares, Universidade de São Paulo

Doutorando em Engenharia Elétrica com ênfase em Engenharia da Computação pelo PPGEE-USP, mestre em Gestão e Organização do Conhecimento PPGGOC-UFMG, bacharel em Biblioteconomia pela ECI-UFMG, intercâmbio acadêmico no curso Ciências e Tecnologias da Documentação e Informação pelo Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto, Portugal, ISCAP (2016-2017). Possui ampla experiência como consultor em normalização técnica de textos científicos. Tem interesse em temas relacionados a tesauros, taxonomias, ontologias, taxonomia e sistemática (zoologia), Darwin Core, teorias da classificação, classificação de espécies, organização do conhecimento e da informação, normalização de documentos acadêmicos, etc.

Raíssa Yuri Hamanaka, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestre em Gestão e Organização do Conhecimento PPGGOC-UFMG (2018-2019), bacharel em Biblioteconomia pela ECI-UFMG (2014-2017), técnica em Informática pela Escola Técnica Vital Brasil (2011-2013). Tem interesse em temas relacionados a organização do conhecimento e da informação, Sistemas de Organização do Conhecimento (SOCs), modelagem de processos, gestão de processos de negócio e metodologias de gestão de processos.

Renato Varella Bueno, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestrando do Programa de Pós-Graduação Gestão e Organização do Conhecimento/PPGGOC da Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG. Possui Especialização em Gestão de Instituições Federais de Educação Superior/GIFES/UFMG. Bacharelado em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Atualmente é colaborador na Secretaria Administrativa da Diretoria de Relações Internacionais da UFMG. Tem interesse em Ciência da Informação com ênfase em Arquitetura e Organização do Conhecimento/AOC, Mapeamento e Modelagem de Processos de Negócio.

Elisângela Cristina Aganette, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Ciência da Informação (UFMG-2015), Mestre em Ciência da Informação (UFMG-2010), Especialista em Gestão da Informação e do Conhecimento (CEFET-2008) e Bacharel em Biblioteconomia (UFMG-2005). Professora Ajunto da Universidade Federal de Minas Gerais. Mais de 15 anos de experiência como Consultora em Gestão e Tecnologia da Informação, consultora especialista nas áreas de organização da informação, representação da informação e do conhecimento, mapeamento de processos, soluções de Enterprise Content Management (ECM), Business Process Modeling (BPM). Pesquisa: representação da informação e do conhecimento, taxonomias corporativas e ontologias.

Referências

AGANETTE, E. C.; MACULAN, B. C. M. dos S.; LIMA, G. Â. B. BPM acadêmico: mapeamento de processos e de fluxos informacionais na ECI/UFMG. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia, João Pessoa, v. 13, n. 1, 2018.
ALMEIDA, F. O bom negócio da sustentabilidade. [São Paulo]: Nova fronteira, 2009.
ARAÚJO, W. J. et al. Desenvolvimento de sistemas de organização do conhecimento: partindo dos simples para os complexos. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 19., Londrina, 2018. Anais […]. Londrina: Universidade Estadual de Londri-na, 2018. p. 1222-1230.
ASSOCIATION OF BUSINESS PROCESS MANAGEMENT PROFESSIONALS – ABPMP. Guia para o gerenciamento de processos de negócio: corpo comum de conhecimento. 3. ed. [s. l.]: ABPMP, 2013.
CLARO, P. B. de O; CLARO, D. P.; AMÂNCIO, R. Entendendo o conceito de sustentabilidade nas organizações. Revista de Administração - RAUSP, São Paulo, v. 43, n. 4, 2008.
BALDAM, R. et al. Gerenciamento de processos de negócio: BPM - Business Process Mana-gement. 2 ed. São Paulo: Érica, 2007. 240 p.
BRASIL. Código Civil. Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 11 jan. 2002. Seção 1. p. 1.
BRASIL. Lei n.º 8.666, de 21 de junho de 1993. Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constitui-ção Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 22 jun. 1993. Seção 1, p. 8269. Disponível em: . Acesso em: 1 de nov. 2018.
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. 292 p.
BRASIL. Lei nº 8.987, de 13 de fevereiro de 1995. Dispõe sobre o regime de concessão e permis-são da prestação de serviços públicos previsto no art. 175 da Constituição Federal, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 14 fev. 1995. Seção 1. p. 1917. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2018.
COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. CPC 27: ativo imobilizado. Brasília, DF: Comitê de Pronunciamentos Contábeis, 2009. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2018.
CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Classificação, temporalidade e destinação de do-cumentos de arquivo relativos às atividades-meio da administração pública. Rio de Janeiro, 2001. 198 p.
COSTA, J. A.; THEÓPHILO, C. R.; YAMAMOTO, M. M.. A aderência dos pronunciamentos contábeis do CPC às normas internacionais de contabilidade. Contabilidade, Gestão e Go-vernança, Brasília, DF, v. 15, n. 2, 2012. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2018.
DAVENPORT, T. H. Reengenharia de processos. Rio de Janeiro: Campus, 1994.
DYLLICK, T; HOCKERTS, K. Beyond the business case for corporate sustainability. Business Strategy and the Environment, [s. l.], v. 11, n. 2, p. 130-141, 2002.
ESTENDER, A. C; PITTA, T. T. M. O conceito do desenvolvimento sustentável. Revista Tercei-ro Setor & Gestão-UNG-Ser, [s. l], v. 2, n. 1, p. 22-28, 2008.
FERREIRA, P., FRANCO, A. A. M.; CAVALCANTI, T. Direito constitucional. In: ENCICLOPÉ-DIA Saraiva do Direito. [São Paulo]: Saraiva, 1995. v. 25.
FLORES, E. G.; AMARAL, M. M. Mapeamento de processos utilizando a metodologia BPM: uma ferramenta de suporte estratégico no desenvolvimento de sistemas em uma instituição federal de ensino superior. In: WORKSHOP DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E CO-MUNICAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR, 11., 2017, Recife. Anais eletrônicos […]. Recife: UFBA, 2014, p. 325-328. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2018.
GLOSSÁRIO. In: CUNHA, M. B. da; CAVALVANTI, C. R. de O. Dicionário de Bibliotecono-mia e Arquivologia. Brasília, DF: Briquet de Lemos/Livros, 2008. 451 p.
GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de adminis-tração de empresas, [s. l.], v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2018.
JUNIOR, J. V. B; ROMANEL, C. Sustentabilidade na indústria da construção: uma logística pa-ra reciclagem dos resíduos de pequenas obras. Urbe: Revista Brasileira de Gestão Urbana, [s. l.], v. 5, p. 27-37, 2013.
LAYRARGUES, P. P. O cinismo da reciclagem. In: LOUREIRO, C.F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S. (org.). Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cor-tez, 2002. p. 179-219.
OLIVEIRA, M. I. de. Classificação e avaliação de documentos: normalização dos procedimen-tos técnicos de gestão de documentos. Acervo, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1/2, p. 125-132, jan./dez. 2007.
PONTES, A. L. Terminologia científica: o que é e como se faz. Rev. de Letras, v. 19, n. 44, jan./dez 1997.
RAUPP, F. M.; BEUREN, I. M. Metodologia da Pesquisa Aplicável às Ciências. In: RAUPP, F. M.; BEUREN, I. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2006.
REIS, L. G. dos; NOGUEIRA, D. R. Disclosure do ativo imobilizado: análise das práticas pelas empresas do novo mercado considerando o CPC 27. Estudos Contábeis, v. 3, n. 4, p. 54-67, 2012. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2018.
SANTOS, H. M. et al. Um estudo exploratório sobre adoção de BPM em organizações públicas. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, 5., 2011, Salvador. Anais […]. Salvador: BDBComp, 2011. p. 501-508.
SCHELLENBERG, T. R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. 6. ed. Rio de Janeiro: Edito-ra FGV, 2006. 388 p.
SILVA, A. C. L. BMP: Business Process Management. São Paulo: Bookess, 2017. 323 p.
STREHLER, R. G. A socioterminologia como base para a elaboração de glossários. Ciência da informação, Brasília, DF, v. 24, n. 3, 1995.
VALENTE, R. S. Glossário sistêmico de eletrônica com equivalência em inglês, espanhol e francês. Ciência da informação, Brasília, DF, v. 24, n. 3, 1995.
VAN MARREWIJK, M. Concepts and definitions of CSR and corporate sustainability: Between agency and communion. Journal of business ethics, [s. l.], v. 44, n. 2/3, p. 95-105, 2003. Dis-ponível em: https://link.springer.com/article/10.1023/A:1023331212247. Acesso em: 27 nov. 2018.
VIEIRA, V. A. As tipologias, variações e características da pesquisa de marketing. Revista da FAE, [Belo Horizonte], v. 5, n. 1, 2002.
TAUILE, J. R.; DEBACO, E. S. Autogestão no Brasil: o salto de qualidade nas políticas públicas. Indicadores Econômicos FEE, [s. l.], v. 32, n. 1, p. 197-220, 2004.
Publicado
2020-06-22
Como Citar
MOREIRA, C.; SOARES, F. M.; HAMANAKA, R. Y.; BUENO, R. V.; AGANETTE, E. C. Produtos da Ciência da Informação para o processo de doação de bens permanentes em Instituições Públicas. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 10, 22 jun. 2020.