Hortas Escolares: análise da etapa piloto do Projeto Hortas Pedagógicas prevendo expansão por competição de Hackathon

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2022u10811107

Palavras-chave:

Projeto Horas Pedagógicas, Hortas Escolares, Hackathon, Project Model Canvas

Resumo

Este trabalho tem o objetivo de propor uma competição de hackathon para construir soluções inovadoras para os desafios encontrados na implantação da etapa piloto do Projeto Hortas Pedagógicas. Trata-se de pesquisa de abordagem qualitativa, de natureza aplicada, classificada como exploratória. Como procedimento de pesquisa adotou-se a pesquisa bibliográfica e optou-se pela revisão sistemática para análise dos dados. A proposta apresentada para a realização do hackathon foi baseada na metodologia Project Model Canvas e tem o objetivo de desenvolver um aplicativo capaz de conectar escolas que desejam implementar hortas, entidades ofertantes de serviço de assistência técnica e instituições interessadas em financiar a implantação do Projeto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kelliane da Consolação Fuscaldi, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Possui graduação em Administração pela Universidade Federal de Lavras (2000), especialização em Gestão do Agronegócio (2008) e Mestrado em Agronegócio pela Universidade de Brasília (2010), e Doutorado em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2021). Exerceu diversos cargos no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, dentre eles, Assessora Técnica do Gabinete do Ministro, Chefe de Gabinete da Secretaria de Política Agrícola e Chefe de Gabinete da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo. É Analista da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa. Atualmente está cedida para o Ministério da Cidadania, no qual exerce o cargo de Coordenadora Geral de de Apoio à Agricultura Urbana e Periurbana da Secretaria Nacional de Inclusão Social e Produtiva.

Ivan Rocha Neto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco (1970), mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal da Paraíba (1972) e PhD em Eletrônica - University of Kent (1975). Atualmente é professor voluntário credenciado pela UFRGS para lecionar e orientar a formação de mestres e doutores funcionários da Capes, CNPq e MCTIC. Tem experiência na área de Política Planejamento e Gestão de Ciência e Tecnologia, atuando principalmente nos seguintes temas: educação em engenharia, gestão do conhecimento, tecnologia, inovação e gestão estratégica. Foi dirigente da Capes, do CNPq, das Universidades Federal da Paraíba e Católica de Brasília e atuou como Secretário Adjunto da ABIPTI.

Referências

Alba, M., Avalos, M., Guzmán, C., & Larios, V. M. (12–15 de Setembro, 2016). Synergy between smart cities’ Hackathons and living labs as a vehicle for accelerating tangible innovations on cities. IEEE International Smart Cities Conference, Trento, Itália.

Angelidis, P., Berman, L., Casas-Perez, M. L., Celi, L. A., Dafoulas, G. E., Dagan, A., Escobar, B., Lopez, D. M., Noguez, J., Osorio-Valencia, J. S., Otine, C., Paik, K., Rojas-Potosi, L., Symeonidis, A. L., & Winkler, E. (2016). The hackathon model to spur innovation around global mHealth. Journal of Medical Engineering & Technology, 40(7–8), 392–399. https://doi.org/10.1080/03091902.2016.1213903

Briscoe, G., & Mulligan, C. (2014). Digital Innovation: The Hackathon Phenomenon. Creativeworks London Working Paper. http://www.creativeworkslondon.org.uk/wp-content/uploads/2013/11/Digital-Innovation-The-Hackathon-Phenomenon1.pdf

Chesbrough, H. W. (2003). The Era of Open Innovation. MIT Sloan Management Review, 44(3), 35–41. https://sloanreview.mit.edu/article/the-era-of-open-innovation/

Costa Filho, E. R. (2017). Minha jornada na OXIOT: Como desenvolvemos uma startup de hardware em saúde no Brasil do hackathon ao primeiro cliente (Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil). Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. https://doi.org/10.11606/D.12.2018.tde-08012018-173238

Cruz Junior, N. R. (2018). O uso das TIC na educação em Irecê/BA: ciclo de formação humana, ambientes de tecnologia e o “faça você mesmo” (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil). Repositório Institucional da UFBA https://repositorio.ufba.br/handle/ri/28910

Damanpour, F. (1991). Organizational innovation: A meta-analysis of effects of determinants and moderators. Academy of Management Journal, 34(3), 555–590. https://doi.org/10.5465/256406

Embrapa Informática Agropecuária (2016). Hackathon Embrapa Universitário. https://www.embrapa.br/informatica-agropecuaria/hackathon

Embrapa (2017). Hackathon Embrapa Acadêmico. https://www.embrapa.br/hackathon

Embrapa (2021). Inclusão Produtiva no seu município. http://mapas.cnpm.embrapa.br/mds/

Emprel — Empresa Municipal de Informática (2020). Hacker Cidadão 8.0. Temática: Recife - Minha cidade em 15 minutos. http://hackercidadao.rec.br/

Enap — Escola Nacional de Administração Pública (2020). CORONATHON —Enfrentando os impactos econômicos. https://coronathon.enap.gov.br/

Ferreira, G. D. (2017). O papel dos Hackathons promovidos no setor público brasileiro: um estudo na perspectiva de inovação aberta, citizen-sourcing e motivação dos participantes (Dissertação de Mestrado, Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil). Repositório Institucional da UnB. https://repositorio.unb.br/handle/10482/23452

Figueiredo, P. C. N. (2003). Capacidade tecnológica e inovação: Conceitos básicos. In P. C. N. Figueiredo (Ed.), Aprendizagem tecnológica e performance competitiva (pp. 14–43). Editora FGV.

Gorga, M. J. T., Haber, L. L., & Vieira, D. F. A. (2019). Hortas Pedagógicas: Manual do Gestor. Embrapa.

Hohmann, L. M. (2020). Atitudes de design e inovação: um estudo de caso em uma organização mediatech (Dissertação de Mestrado, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil). Repositório Digital da Biblioteca da Unisinos. http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/9662

Komssi, M., Pichlis, D., Raatikainen, M., Kindström, K., & Järvinen, J. (2014). What are hackathons for?. IEEE Software, 32(5), 60–67. https://dx.doi.org/10.1109/MS.2014.78

Lima Junior, J. A. (2017). Aspectos motivacionais em plataformas de Open Government: um olhar sob as perspectivas do utilizador e do desenvolvedor (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, Pernambuco, Brasil). Biblioteca Digital de Teses e Dissertações — UFRPE. http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede2/handle/tede2/7878

Linders, D. (2012). From e-government to we-government: Defining a typology for citizen coproduction in the age of social media. Government Information Quarterly, 29(4), 446–454. https://doi.org/10.1016/j.giq.2012.06.003

Matsumoto, M. T. (2020). Recker: o audiovisual no movimento maker (Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual Paulista, Bauru, São Paulo, Brasil). Repositório Institucional UNESP. http://hdl.handle.net/11449/192475

Mattson, G. A. (1986). The promise of citizen coproduction: some persistent issues. Public Productivity Review, 10(2), 51–56. https://doi.org/10.2307/3380451

Mergel, I. (2015). Opening government: Designing open innovation processes to collaborate with external problem solvers. Social Science Computer Review, 33(5), 599–612. https://doi.org/10.1177/0894439314560851

Mergel, I., & Desouza, K. (2013). Implementing open innovation in the public sector: The case of Challenge.gov. Public Administration Review, 73(6), 882–890. https://doi.org/10.1111/puar.12141

Ministério da Justiça (2016). Hackathon – Participação no Combate à Corrupção. https://www.justica.gov.br/labpi

Nam, T. (2012). Suggesting frameworks of citizen-sourcing via Government 2.0. Government Information Quarterly, 29(1), 12–20. https://doi.org/10.1016/j.giq.2011.07.005

Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (2015). Manual de Oslo: diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação tecnológica (3ª ed.). FINEP.

Portal de Tecnologia — Prefeitura de São Paulo (2021). INPI promove hackathon para aprimorar serviços. https://tecnologia.prefeitura.sp.gov.br/?p=4058

Prefeitura — Cidade de São Paulo (2019). Prefeitura de São Paulo promove hackathona com dados de radares. Secretaria Especial de Comunicação. http://www.capital.sp.gov.br/noticia/prefeitura-de-sao-paulo-promove-hackathona-com-dados-de-radares

Rodrigues, R. T. (2019). Panorama de Hackathons no Brasil (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, São Paulo, Brasil). Repositório Institucional da UFSCar. https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/11557

Schumpeter, J. A. (1982). A teoria do desenvolvimento econômico. Abril Cultural.

Sefaz-AL. (2017). Hackathon Desafio Insano da ideia à prática em 72h. https://doity.com.br/1hackathoninsanosefazal

Senge-PR — Sindicato dos Engenheiros no Estado do Paraná (2020). Hackathon do Governo busca soluções para o pós-coronavírus. http://www.senge-pr.org.br/noticia/governo-do-parana-divulga-solucoes-inovadoras-para-o-combate-ao-covid-19/

Serpro (2021). HackSerpro. https://www.serpro.gov.br/menu/quem-somos/eventos/hackserpro/

Severo, F. G. (2016). TICs e TACs: o refazimento de softwares e engenheiros no limiar entre as ciências e os segredos (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil). https://www.cos.ufrj.br/index.php/pt-BR/publicacoes-pesquisa/details/15/2634

Silva, J. (2017). Uma Experiência de Desenvolvimento Aberto e Colaborativo de Ambientes Virtuais de Participação Social na UNIRIO (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil). Repositório Institucional Digital da Produção Científica e Intelectual da UFJF. https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/6336

Sousa, M. de M., Ferreira, V. da R. S., Najberg, E., & Medeiros, J. J. (2015). Portraying innovation in the public service of Brazil: Frameworks, systematization and characterization. Revista de Administração, 50(4), 460–476. https://www.revistas.usp.br/rausp/article/view/108273

Tether, B. S. (2003). What is innovation? Approaches to distinguishing new products and processes from existing products and processes. Manchester: Centre for Research on Innovation and Competition, University of Manchester.

Tidd, J., & Bessant, J. (2015). Inovação - o que é e por que importa. In J. Tidd & J. Bessant (Eds.), Gestão da inovação (pp. 3–97). Bookman Editora.

Universidade de Brasília (2021). Hackathon IL e PCTec/UnB – Comunicação das minorias linguísticas em tempos de Pandemia. http://www.pctec.unb.br/eventos/138-hackathon-letras

Vianna, M., Vianna, Y., Adler, I., Lucena, B., & Russo, B. (2012). Design Thinking - Inovação em negócios (2ª ed.). MJV Technology & Innovation.

Walker, R. M., Damanpour, F., & Devece, C. A. (2011). Management innovation and organizational performance: The mediating effect of performance management. Journal of Public Administration Research and Theory, 21(2), 367–386. https://doi.org/10.1093/jopart/muq043

Wanderley, A. R. M. C. (2019). Um método baseado em personas e hackathon para soluções tecnológicas no contexto de cidades inteligentes e sustentáveis (Dissertação de Mestrado, Centro Universitário Campo Limpo Paulista, Campo Limpo Paulista, São Paulo, Brasil). https://www.cc.faccamp.br/Dissertacoes/AlexRodrigoMoisesCostaWanderley.pdf

Wanderley, M. P. (2018). Um estudo de caso sobre iniciativas de inovação aberta no âmbito do Governo Federal (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Pernambuco, Brasil). Repositório Institucional — ATTENA. https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/33578

Zapico, J. L., Pargman, D., Ebner, H. & Eriksson, E. (10–13 de Junho, 2013). Hacking sustainability: Broadening participation through Green Hackathons. Fourth International Symposium on End-User Development, Copenhagen, Dinamarca.

Downloads

Publicado

2022-10-21

Como Citar

Fuscaldi, K. da C., & Rocha Neto, I. (2022). Hortas Escolares: análise da etapa piloto do Projeto Hortas Pedagógicas prevendo expansão por competição de Hackathon. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, e38427, 1–27. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2022u10811107

Edição

Seção

Artigos