Análise de comunidades de Química da Rede Social Orkut: comunicação, conceito e linguagem no Ensino de Química

  • Wesley Fernandes Vaz Universidade Federal de Goiás- Regional Jataí
  • Márlon Herbert Flora Barbosa Soares Universidade Federal de Goiás
Palavras-chave: Ensino de Química, redes sociais, Orkut.

Resumo

As tecnologias de informação e comunicação têm modificado as formas da sociedade se comunicar, relacionar e aprender. Entre as diversas possibilidades que as tecnologias oferecem, escolhemos investigar a internet, especificamente as comunidades da rede social Orkut relacionadas à Química. Dentre as centenas de comunidades selecionadas que se referem às palavras chaves utilizadas na procura (Química e Ensino de Química) foram analisadas quatro delas, que representam os principais tipos de assuntos/comunidades encontrados na busca. Os resultados mostram que o propósito dos usuários em participar da comunidade é o sentimento de afinidade pelo grupo. As poucas discussões, que aparecem em relação à Química, baseiam-se assuntos gerais, como uma forma de entretenimento utilizando-se o conhecimento científico. Assim, infere-se que o Orkut como rede social na qual constam comunidades para utilização de fóruns de discussão não é definitivamente o lócus do conhecimento, ainda que possa proporcionar momentos de aprendizagem informal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wesley Fernandes Vaz, Universidade Federal de Goiás- Regional Jataí
Doutor e Mestre em Química pela Universidade Federal de Goiás (UFG) (2012) (2007) e graduação em Licenciatura em Química pela Universidade Estadual de Goiás (2005). É professor adjunto da UFG - Campus Jataí atuando no curso de Química e no Mestrado em Educação desta Universidade. Tem experiência na Área de Educação, com ênfase no Ensino de Ciências.
Márlon Herbert Flora Barbosa Soares, Universidade Federal de Goiás
Cursei Licenciatura em Química na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), entre 1992 e 1998. Desde 1993, até antes de me mudar para São Carlos -SP em 1999 para cursar o mestrado, ministrava aulas de química e física no ensino médio público. Em 2001, após dois anos, terminei meu mestrado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), trabalhando com ensino de química analítica. Minha dissertação versava sobre a caracterização e aplicação de corantes naturais de flores em equilíbrio químico, mudança de coloração, indicadores naturais enfim. No mesmo ano, 2001, logo após a defesa de dissertação, fui aprovado para o doutorado em química, também pela UFSCar, minha tese versava sobre o uso de jogos em ensino de química. Conclui o doutorado em 2004, três anos após meu ingresso e dois anos após ter sido aprovado em concurso público para professor assistente na Universidade Federal de Goiás, onde estou atualmente. Hoje sou professor Adjunto IV e sou um dos professores a área de ensino de química do Instituto de Química da UFG. Coordeno o Laboratório de Educação Química e Atividades Lúdicas (LEQUAL), grupo registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq e que também conta com financiamento deste mesmo órgão. Sou coordenador do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência do curso de Licenciatura em Química do IQ - UFG. Coordenei o estágio de licenciatura por 5 anos, entre 2003 e 2008, período de direcionamento, implantação e regulamentação do estágio docente no Brasil e na UFG. Sou pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Ensino de Ciências (NUPEC) da UFG, com financiamento do CNPq e do FINEP. Orientei 5 alunos de doutorado, 12 alunos de mestrado e 14 alunos de Iniciação Científica até o presente momento, além de 14 monografias de final de curso, implantadas em 2007 na licenciatura em Química da UFG. Atualmente, oriento 4 alunos de mestrado pelo programa de mestrado em ensino de ciências, na UFG e 3 alunos de doutorado pelo programa de doutorado interistitucional em Química - UFG/UFU/UFMS, com linha de pesquisa em ensino de química. Publiquei até o momento 32 artigos em periódicos especializados e 185 trabalhos em anais de eventos científicos, sendo 31 deles, trabalhos completos. Tenho quatro capítulos de livro publicados, e no final do ano de 2008, lancei meu primeiro livro: Jogos em Ensino de Química, teoria, métodos e aplicações, que já se encontra na 2a edição. Finalmente, as linhas de pesquisa em que atuo são: Jogos e Atividades Lúdicas Aplicadas ao Ensino de Química; Ciência e Religião; Formação de Conceitos; Inclusão Digital de Professores de Ciências e Robótica Educacional em Ensino de Ciências.
Publicado
2014-08-08
Como Citar
Vaz, W. F., & Soares, M. H. F. B. (2014). Análise de comunidades de Química da Rede Social Orkut: comunicação, conceito e linguagem no Ensino de Química. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 14(1), 101-123. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4284
Seção
Artigos