Professores de Química em Formação Inicial: o que Pensam e Dizem sobre as Relações entre Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Sociedade

Palavras-chave: Educação em Ciências, Educação CTS, Educação Ambiental, Formação de professores de Ciências/Química

Resumo

Este artigo tem como objetivo investigar as compreensões de licenciandos em Química sobre as relações entre Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Sociedade no sentido de subsidiar processos formativos a serem desenvolvidos no contexto do ensino de Ciências. Para tal, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com alunos de uma universidade estadual, que expressaram a maneira como compreendem essas relações a partir de situações problemáticas e/ou controversas presentes na atualidade e recorrentes nas mídias sociais. As informações obtidas foram analisadas por meio da Análise Textual Discursiva que possibilitou o estabelecimento de três categorias principais: i) Ciência e Tecnologia: “Tudo depende de como eu uso?”; ii) É possível conservar e desenvolver? e; iii) A Ciência e a Tecnologia podem salvar o planeta? Dentre os resultados encontrados destacam-se: ausência de percepção e reconhecimento do processo de construção da Ciência-Tecnologia (CT); fuga da realidade objetiva e silenciamento/ocultamento da discussão acerca da base material capitalista; existência de concepções contraditórias e imprecisas a respeito da (não) neutralidade da CT; variedade de posicionamentos sobre a (in) conciliação entre conservação e desenvolvimento, quase sempre ligados à uma compreensão de Meio Ambiente próxima de natureza impactada e; uma visão otimista acerca das implicações sociais da CT e do papel das pessoas no encaminhamento e resolução dos problemas sociais. Além disso, de maneira geral, os licenciandos apresentam respostas pouco elaboradas, em que predominam visões reducionistas e focalistas que precisam ser problematizadas nos cursos de formação inicial de professores de Ciências.

 

Referências

Aikenhead, G. (1994). What is STS science teaching? In J. Solomon, & G. Aikenhead (Eds.). STS Education: international perspectives on reform. New York: Teachers College Press, 47–59.

Amaral, I. A. (2001). Educação Ambiental e Ensino de Ciências: uma história de controvérsias. Proposições, 12(1), 73–93. Recuperado de: https://perioquero dicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8644012

Auler, D. (2002). Interações entre ciência-tecnologia-sociedade no contexto da formação de professores de ciências. (Tese de Doutorado). UFSC, Florianópolis, Santa Catarina. Recuperado de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/82610

Auler, D. (2018). Cuidado! Um cavalo viciado tende a voltar para o mesmo lugar. 1ª ed. Curitiba: Appris.

Auler, D., & Delizoicov, D. (2001). Alfabetização científico-tecnológica para quê? Ensaio – Pesquisa em Educação em Ciências, 3(2), 105–115. https://doi.org/10.1590/1983-21172001030203

Auler, D., & Delizoicov, D. (2006). Ciência-Tecnologia-Sociedade: relações estabelecidas por professores de ciências. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 5, 337–35. Recuperado de: http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen5/ART8_Vol5_N2.pdf

Auler, D., & Delizoicov, D. (2015). Investigação de temas CTS no contexto do pensamento latino-americano. Linhas Críticas. 21(45), 275–296. Recuperado de: http://periodicos.unb.br/index.php/linhascriticas/article/view/16728

Bourdieu, P. (1996). Razões práticas sobre a teoria da ação. Tradução Mariza Corrêa Campinas, São Paulo: Papirus. Recuperado de: https://auladesociologia.files.wordpress.com/2012/04/bourdieu-pierre-razc3b5esprc3a1ticas.pdf

Deconto, D. C. S., Cavalcanti, C. J. H., & Ostermann, F. (2016). A perspectiva Ciência, Tecnologia e Sociedade na formação inicial de professores de Física: estudando concepções a partir de uma análise Bakhtiniana. Alexandria - Revista de Educação em. Ciência e Tecnologia, 9(2), 87–119. https://doi.org/10.5007/1982-5153.2016v9n2p87

Delizoicov, D. (2004). Pesquisa em ensino de ciências como ciências humanas aplicadas. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 21 (2), 145–175. https://doi.org/10.5007/%25x

Delizoicov, D., & Auler, D. (2011). Ciência, Tecnologia e Formação social do espaço: questões sobre a não-neutralidade. Alexandria - Revista de Educação em. Ciência e Tecnologia, 4 (2), 247–273. https://doi.org/10.5007/%25x

Firme, R. N., & Amaral, E. M. R. (2008). Concepções de professores de Química sobre Ciência, Tecnologia, Sociedade e suas inter-relações: um estudo preliminar para o desenvolvimento de abordagens CTS em sala de aula. Ciência & Educação. 14(2), 251–269. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-73132008000200005

Fourez, G. (1995). A construção das ciências: introdução à filosofia e à ética das ciências. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista.

Freire, P. (1987). Pedagogia do oprimido. (17ª ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freitas, L. M., & Ghedin, E. (2015). Pesquisas sobre estado da arte em CTS: análise comparativa com a produção em periódicos nacionais. Alexandria - Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 8(3), 3–25. https://doi.org/10.5007/1982-5153.2015v8n3p3

Gil-Pérez, D., Montoro I. F., Alís J. C., Cachapuz, A., & Praia, J. (2001). Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação, 7(2), 125–153. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v7n2/01.pdf

Kist, C. P., & Ferraz, D. F. (2010). Compreensão de professores de biologia sobre as interações entre ciência, tecnologia e sociedade. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 10(1). Recuperado de: https://seer.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/2187/1587

Latour, B., & Woolgar, S. (1997). A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Relume Dumará. Recuperado de: https://pedropeixotoferreira.files.wordpress.com/2011/02/latourewoolgar_1997_a-vida-de-laboratorio-e28093-a-producao-dos-fatos-cientificos_book.pdf

Lessa, S., & Tonet, I. (2008). Introdução à filosofia de Marx. São Paulo: Expressão Popular. Recuperado de: http://sergiolessa.com.br/uploads/7/1/3/3/71338853/introdufilomarx.pdf

Luz, R., Prudêncio, C. A. V., & Caiafa, A. N. (2018). Contribuições da Educação Ambiental Crítica para o processo de ensino e aprendizagem em Ciências visando à formação cidadã. Investigações em ensino de Ciências (online), 23 (3), p. 60–81. https://doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2018v23n3p60

Luz, R., Araújo-Queiroz, M. B., Prudêncio, C. A. V. (2019). CTS ou CTSA: o que (não) dizem as pesquisas sobre Educação Ambiental e Meio Ambiente? Alexandria (UFSC), 12(1), p. 31–54. http://dx.doi.org/10.5007/1982-5153.2019v12n1p31

Luz, R., Santana, U. S., Monteiro, A. S. S., Santos, S. F. C., Cirqueira, J. S., Almeida, R. (2017). Concepções ambientais dos estudantes do curso de Licenciatura em Biologia da UFRB. Educação Ambiental em Ação, 60(1), p. 1–11. Recuperado de: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=2738

Luz, R. S. (2016). Contribuições da Educação Ambiental no processo de ensino e aprendizagem em ciências para a formação cidadã do estudante. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Biologia) – Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB, Cruz das Almas, Bahia. Recuperado de: http://www.repositoriodigital.ufrb.edu.br/bitstream/123456789/1182/1/Monografia%20Rodrigo%20Silva.pdf

MEC, (2000). Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais (Ensino Médio). Brasília: Ministério da Educação. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/blegais.pdf

Morais, R., & Galiazzi, M. C. (2011). Análise textual discursiva. (2ª ed.) Ijuí: Unijuí.

Prudêncio, C. A. V. (2013). Perspectiva CTS em estágios curriculares em espaços de divulgação científica: contributos para a formação inicial de professores de Ciências e Biologia. Tese (Doutorado) – São Carlos, UFScar. Recuperado de: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2332?show=full

Reis, P., Rodrigues, S., & Santos, F. (2006). Concepções sobre cientistas em aluno do 1º ciclo do ensino básico: poções, máquinas, monstros, invenções e outras coisas malucas. Revista Eletronica de Enseñanza de las Ciencias, 5(1), 57–73. Recuperado de: http://repositorio.ul.pt/handle/10451/4618

Roso, C. C. (2017). Transformações na educação CTS: uma proposta a partir do conceito de Tecnologia Social. (Tese de Doutorado). UFSC, Florianópolis, Santa Catarina. Recuperado de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/187060

Roso, C. C., & Auler, D. (2016). A participação na construção do currículo: Práticas Educativas Vinculadas ao movimento CTS. Ciência & Educação, 22(2), 371–389. http://dx.doi.org/10.1590/1516-731320160020007

Santos, W. L. P. (2007). Contextualização no Ensino de Ciências por meio de temas CTS em uma perspectiva crítica. Ciência & Ensino, 1(esp.). Recuperado de: http://www.cienciamao.usp.br/tudo/exibir.php?midia=rcen&cod=_contextualizacaonoensino

Santos, W. L. P., & Schnetzler, R. P. (2010). Educação em Química: compromisso com a cidadania. (4ª ed.) Ijuí: Unijuí.

Santos, W. L. P, & Mortimer, E. F. (2002). Uma análise de pressupostos teóricos da Abordagem CTS (Ciência-Tecnologia-Sociedade) no contexto da Educação Brasileira. Ensaio - Pesquisa em Educação em Ciências, 2(2), 110–132. http://dx.doi.org/10.1590/1983-21172000020202

Silva, A. T. R. (2015). A conservação da biodiversidade entre os saberes da tradição e a ciência. Estudos Avançados. 29(83), 233–259. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142015000100012

Strieder, R. B. (2012). Abordagens CTS na educação científica no Brasil: Sentidos e perspectivas. (Tese de Doutorado). USP, São Paulo. Recuperado de: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/81/81131/tde-13062012-112417/pt-br.php

Strieder, R. B., Bravo-Torija, B., & Gil-Quilez, M. J. (2017) Ciencia-tecnología sociedad: ¿Qué estamos haciendo en el ámbito de la investigación en educación em ciencias? Enseñanza de las Ciencias, 35(3), 29–49. Recuperado de: https://www.raco.cat/index.php/Ensenanza/article/view/32920

Strieder, R. B., & Kawamura, M. R. D. (2017). Educação CTS: Parâmetros e Propósitos Brasileiros. Alexandria - Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 10(1), 27–56. https://doi.org/10.5007/1982-5153.2017v10n1p27

Publicado
2019-10-27
Como Citar
Silva, R. L., Almeida, E. dos S., Nascimento, E. S. do, & Prudêncio, C. A. V. (2019). Professores de Química em Formação Inicial: o que Pensam e Dizem sobre as Relações entre Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Sociedade. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 19, 537-563. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2019u537563
Seção
Artigos