Proposta de sequência didática para disciplina de Química Geral explorando o uso de tecnologias digitais

Palavras-chave: Tecnologia de Informação e Comunicação, Ensino de Química, Aprendizagem Significativa

Resumo

Este artigo apresenta um relato de experiência de uma proposta de sequência didática integrada envolvendo as disciplinas de Química Geral e Introdução à Computação, ambas para alunos do primeiro semestre de cursos de graduação em Química. As atividades foram planejadas com base em aspectos básicos da Teoria de Aprendizagem Significativa de Ausubel. O uso de análise de dados e a confecção de gráficos em ambientes computacionais, além da aplicação de computação simbólica, mostraram ser ferramentas interessantes no ensino de conceitos de Química. A proposta foi aplicada, e, com isso, observou-se um maior engajamento dos alunos no processo ensino-aprendizagem e um melhor aproveitamento dos estudantes nas avaliações. A sequência didática mostrou ter potencial para aplicação em outras disciplinas de Ciências Exatas do ensino superior.

Biografia do Autor

Julliane D. Yoneda, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Engenheira Química, licenciada e doutora em Química, é professora do Departamento de Química do Instituto de Ciências Exatas da UFF.

José Augusto Oliveira Huguenin, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Doutor, bacharel e licenciado em Física, é professor do Departamento de Física do Instituto de Ciências Exatas da UFF. É credenciado no Programa de Pós-Graduação em Física da UFF e no Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física, polo 15, UFF/Instituto Federal do Rio de Janeiro.

Referências

AUSUBEL, David P. Educational psychology – a cognitive view. New York: Holt, Rinehart and Winston, 1968.

AUSUBEL, David P.; NOVAK, Joseph D.; HANESIAN, Helen. Educational psychology: a cognitive view. 2. ed. New York: Holt, Rinehart and Winston, 1978.

BOGISCH, Maria Inês P.; ALCANTARA, Paulo Roberto. Uma comparação entre estratégias de ensino da Química na educação superior. Revista Diálogo Educacional, v. 3, p. 95-104, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, 2002.

CARLOS, Jairo G. Interdisciplinaridade no ensino médio: desafios e potencialidades. 2007. 171 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) – Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

FAZENDA, Ivani Catarina A. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 4. ed. Campinas: Papirus, 1994.

LEITE, Bruno S. Tecnologias no Ensino de Química: Teoria e Prática na Formação Docente. Curitiba: Editora Appris, 2015.

LIMA, Érika R. P. O.; MOITA, Filomena Maria G. da S. C. A tecnologia e o ensino de Química: jogos digitais como interface metodológica. Campina Grande: EDUEPB, 2011.

MENDONÇA, Leda G.; LEITE, Sidnei Q. M.; RODRIGUES, Lúcia R. Aprendizagem significativa nas aulas da graduação tecnológica de Química: Análise da prática pedagógica mediada por teatro. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 7., 2009, Florianópolis. Anais... Florianópolis: ENPEC, 2009.MOREIRA, Marco Antônio. Unidades de enseñanza potencialmente significativas – UEPS. Aprendizagem Significativa em Revista/Meaningful Learning Review, v. 1, p. 43-63, 2011.

MOREIRA, Marco Antônio. Aprendizagem significativa: a teoria e textos complementares. São Paulo: Livraria da Física, 2012.

PAIVA, João; RAMOS, Isabel. Adivinhas: Quem é Quem na Tabela Periódica. Química e Ensino, v. 92, p. 61-63, 2004.

PEIXOTO, Joana; ARAÚJO, Cláudia H. S. Tecnologia e educação: algumas considerações sobre o discurso pedagógico contemporâneo. Educação & Sociedade, v. 33, p. 253-268, 2012.

PINHEIRO, Iânderson R. et al. Símbolos químicos com uso da planilha eletrônica do Microsoft Excel. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE QUÍMICA, 54., 2014, Rio Grande do Norte. Anais... Rio Grande do Norte: CBQ, 2014.

PONTE, Cristina. Uma geração digital? A influência familiar na experiência mediática de adolescentes. Sociologia, problemas e práticas, v. 65, p. 31-50, 2011.

RUSSELL, John B. Química Geral. São Paulo: Makron Books, 1994. v. 2.

SANDES, Rafael D. D.; AMBROSIO, Renato C.; ANGELUCCI, Camilo A. Integração numérica de leis de velocidade diferenciais com o uso do SCILAB. Química Nova, v. 36, p. 181-186, 2013.

SERRA, Gladis M. D. Contribuição das TIC no ensino e aprendizagem de Ciências: tendências e desafios. 2009. 383 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

TAVARES, Ricarte; SOUZA, Rodolpho O. O.; CORREIA, Alayne O. Um estudo sobre a TIC e o ensino da Química. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, 1., 2013, Sergipe. Anais... Sergipe: UFS, 2013. p. 657-669.

TERUYA, Leila C. et al. Visualização no ensino de Química: apontamentos para a pesquisa e desenvolvimento de recursos educacionais. Química Nova, v. 36, p. 561-569, 2013.

Publicado
2018-12-10
Como Citar
YONEDA, J. D.; HUGUENIN, J. A. O. Proposta de sequência didática para disciplina de Química Geral explorando o uso de tecnologias digitais. Revista Docência do Ensino Superior, v. 8, n. 2, p. 60-77, 10 dez. 2018.
Seção
Artigos