Especialização em preceptoria no Sistema Único de Saúde

um percurso formativo

Palavras-chave: Serviços de integração docente-assistencial, Educação superior, Avaliação educacional

Resumo

O objetivo deste manuscrito é revelar, por meio de relato de experiência, o percurso formativo de uma estudante do curso de especialização em Preceptoria no Sistema Único de Saúde, focando três grandes eixos identificados como sendo de maior relevância no movimento de construção de conhecimento: metodologias ativas de aprendizagem, integração ensino-serviço-comunidade e avaliação do processo de aprendizagem. Pretende-se, ainda, refletir sobre as potencialidades e os desafios encontrados no desenvolvimento do curso, bem como sobre as influências da experiência nas práticas de docência no ensino superior desenvolvidas na rotina de trabalho da especializanda. O percurso formativo feito nesse curso foi marcado pela construção de conhecimentos ressignificados a partir da problematização da prática e da repercussão dessas vivências no trabalho profissional docente.

Biografia do Autor

Graciela Soares Fonsêca, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

Cirurgiã-dentista pela Universidade Estadual de Feira de Santana, especialista em Preceptoria no SUS pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês, mestre e doutora em Ciências Odontológicas pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FO-USP), pós-doutoranda pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP). Docente do curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Chapecó, SC, Brasil.

Referências

ALVES, Leonir. Portfólios como instrumentos de avaliação dos processos de ensinagem. In: ANASTASIOU, Léa das Graças; ALVES, Leonir. Processos de Ensinagem na Universidade: processos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville: Univille, 2006.

BONDÍA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, v. 19, p. 20-28, jan./abr. 2002.

BORDENAVE, Juan; PEREIRA, Adair. Estratégias de ensino-aprendizagem. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 1988.

BRASIL. Resolução CNE/CES 3/2014. Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Medicina. Diário Oficial da União, Brasília, 23 de junho de 2014 – Seção 1 – p. 8-11.

CALEMAN, Gilson et al. Projeto Aplicativo: termos de referência. 1. reimp. São Paulo: Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa; Ministério da Saúde, 2016.

DEMO, Pedro. Universidade, aprendizagem e avaliação: horizontes reconstrutivos. 2. ed. Porto Alegre: Mediação, 2005.

DIAS, Henrique et al. A trajetória da política nacional de reorientação da formação profissional em saúde no SUS. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 6, p. 1613-1624, jun. 2013.

FERREIRA, Marli; CARVALHO, Lizete. Evolução dos jogos de Física, a avaliação formativa e a prática reflexiva do professor. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 26, n. 1, p. 57-61, 2004.

FEUERWERKER, Laura; CAPOZZOLO, Angela. Mudanças na formação dos profissionais de saúde: alguns referenciais de partida do eixo trabalho em saúde. In: CAPOZZOLO, Angela; CASSETO, Sidnei; HENZ, Alexandre (ed.). Clínica comum: itinerários de uma formação em saúde. São Paulo: Hucitec, 2013.

FONSÊCA, Graciela; JUNQUEIRA, Simone. Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde: ressignificando a formação dos profissionais de saúde. Curitiba: Appris, 2014.

GOMES, Andréia et al. Avaliação no ensino médico: o papel do portfólio nos currículos baseados em metodologias ativas. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 34, n. 3, p. 390-396, 2010.

KASTRUP, Virgínia. Um mergulho na experiência: uma política para a formação dos profissionais de saúde. In: CAPOZZOLO, Angela; CASSETO, Sidnei; HENZ, Alexandre (ed.). Clínica comum: itinerários de uma formação em saúde. São Paulo: Hucitec; 2013.

LIMA, Valéria. Abordagem educacional construtivista. In: OLIVEIRA, Marilda et al. Preceptoria no SUS: caderno do curso 2017. São Paulo: Hospital Sírio Libanês; Ministério da Saúde, 2017.

LIMA, Valéria et al. Estrutura do curso. In: OLIVEIRA, Marilda et al. Preceptoria no SUS: caderno do curso 2017. São Paulo: Hospital Sírio Libanês; Ministério da Saúde, 2017.

MADRUGA, Luciana et al. O PET-Saúde da família e a formação de profissionais da saúde: a percepção de estudantes. Interface, Botucatu, v. 19, (suppl. 1), p. 805-816, 2015.

OLIVEIRA, Geraldo. Uso de metodologias ativas em educação superior. In: CECY, Carlos; OLIVEIRA, Geraldo; COSTA, Eula (org.). Metodologias Ativas: aplicações e vivências em educação farmacêutica. Brasília: ABENFARBIO, 2013.

OLIVEIRA, Marilda. Apresentação. In: OLIVEIRA, Marilda et al. Preceptoria no SUS: caderno do curso 2017. São Paulo: Hospital Sírio Libanês; Ministério da Saúde, 2017.

PERRENOUD, Philippe. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

ROMANOWSKI, Joana; WACHOWICZ, Lílian. Avaliação formativa no ensino superior: que resistências manifestam os professores e os alunos? In: ANASTASIOU, Léa das Graças; ALVES, Leonir. Processos de ensinagem na universidade: processos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville: Univille, 2006.

SANTOS, Karina et al. Percepção discente sobre a influência de estágio extramuro na formação acadêmica odontológica. Revista de Odontologia da UNESP, São Paulo, v. 42, n. 6, p. 420-425, nov./dez. 2013

SAVASSI, Leonardo et al. Formação médica, atenção primária e interdisciplinaridade: relato de experiência sobre articulações necessárias. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 8, n. 1, p. 189-204, jan./jun. 2018.

SILVA, Rinaldo; SCAPIN, Luciana. Utilização da avaliação formativa para a implementação da problematização como método ativo de aprendizagem. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 22, n. 50, p. 537-532, set./dez. 2011.

Publicado
2019-06-10
Como Citar
FONSÊCA, G. S. Especialização em preceptoria no Sistema Único de Saúde. Revista Docência do Ensino Superior, v. 9, p. 1-14, 10 jun. 2019.
Edição
Seção
Artigos