A experiência da graduação por uma pessoa com deficiência

reflexões para se avançar na inclusão e acessibilidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2022.39525

Palavras-chave:

educação superior, pessoa com deficiência, inclusão social, acessibilidade arquitetônica, enfermagem

Resumo

A lei de cotas propiciou o ingresso de muitos estudantes com deficiência nas universidades. Contudo, concluir o curso não tem sido tarefa fácil para essas pessoas. O objetivo deste estudo foi descrever as vivências de uma pessoa com deficiência na graduação em uma universidade pública. Trata-se de um relato de experiência realizado por uma graduanda cadeirante. Dentre as dificuldades enfrentadas estiveram a falta de acessibilidade arquitetônica e preconceitos, geradores de desestímulo, sofrimento e isolamento. Para ela, a participação em projetos de extensão com bolsa contribuiu para sua permanência, bem como cursar disciplinas de formação transversal com a temática da inclusão. Os avanços alcançados nos últimos anos para a inclusão e acessibilidade no ambiente universitário foram muito importantes, mas ainda há muito a se avançar para que estudantes com deficiência tenham uma experiência mais prazerosa e digna. Dessa forma, o combate ao capacitismo se faz urgente nas instituições de ensino superior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Regina Marques, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil

Estudante de graduação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Jaqueline Almeida Guimarães Barbosa, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Mestre e doutora em Enfermagem pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Docente adjunta do Departamento de Enfermagem Básica da Escola de Enfermagem da UFMG. Membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Cuidado e Desenvolvimento Humano.

Referências

ALMEIDA, José Guilherme Andrade; FERREIRA, Eliana Lúcia. Sentidos da inclusão de alunos com deficiência na educação superior: olhares a partir da Universidade Federal de Juiz de Fora. Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 22, p.67-75, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2175-3539/2018/047. Disponível em:

https://www.scielo.br/j/pee/a/ktwZW6gvH8bH8xqfkyS7rtm/?lang=pt. Acesso em: 07 jan. 2022.

BORGES, Maria Leonor; MARTINS, Maria Helena; LUCIO-VILLEGAS, Emilio; GONÇALVES, Teresa. Desafios institucionais à inclusão de estudantes com necessidades educativas especiais no ensino superior. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 30, n. 2, p. 7-31, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.21814/rpe.10766. Disponível em: https://revistas.rcaap.pt/rpe/article/view/10766. Acesso em: 23 jan. 2022.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União, Brasília, DF. 06 jul. 2015.

BRASIL. Lei nº 13.409, de 28 de dezembro de 2016. Altera a Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012, para dispor sobre a reserva de vagas para pessoas com deficiência nos cursos técnicos de nível médio e superior das instituições federais de ensino. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 28 dez. 2016.

BRASIL. Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Acessibilidade, edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. 2020. Disponível em: https://www.canoas.rs.gov.br/wp-content/uploads/2020/07/norma-abnt-NBR-9050-2015-emenda-1-2020.pdf. Acesso em: 02 fev. 2022.

CANTORANI, José Roberto Herrera; PILATTI, Luiz Alberto; HELMANN, Caroline Lievore; SILVA, Sani de Carvalho Rutz. A acessibilidade e a inclusão em uma instituição federal de ensino superior a partir da Lei nº 13.409. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 25, p. 1-26, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782020250016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/ScZhcZWdL5ZtqNQxkJ6KLrj/?lang=pt. Acesso em: 02 fev. 2022.

CIANTELLI, Ana Paula Camilo; LEITE, Lúcia Pereira. Ações exercidas pelos núcleos de acessibilidade nas universidades federais brasileiras. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 22, n. 3, p. 413-428, jul./set. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-65382216000300008. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbee/a/xThwG4TvvVT86tFY9cG66nN/?lang=pt. Acesso em: 02 mar. 2022.

DINIZ, Débora. O que é deficiência. São Paulo: Brasiliense, 2007.

FACCI, Marilda Gonçalves Dias; SILVA, Silvia Maria Cintra da; SOUZA, Marilene Proença Rabello de. O acesso ao ensino superior: será que vivemos, realmente, o processo de inclusão? Psicologia Escolar e Educacional, Maringá, v. 22, p. 11-13, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2175-35392018001.Disponível em:

https://www.scielo.br/j/pee/a/ZwvrynrnRBmrzLMfW68gGNN/?lang=pt. Acesso em: 15 mar. 2022.

FLORES, Fábio Fernandes; SILVA, Catiélia Santos; SANTOS, Lilian Anelita dos; SOUZA, Luiz Humberto Rodrigues. A Educação Física do CAPS: experiências do estágio em Guanambi – BA. Cenas Educacionais, Caetité, v. 2, n. 1, p. 169-185, jan./jun. 2019. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/6308. Acesso em: 28 mar. 2021.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Sabotagem, 2002. Arquivo PDF. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/espanhol/pdf/pedagogia_da_autonomia_-_paulofreire.pdf. Acesso em: 13 out. 2021.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2022.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Saúde – PNS. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/saude/9160-pesquisa-nacional-de-saude.html?=&t=resultados. Acesso em: 02 mar. 2022.

INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior. Brasília, DF: Inep/MEC, 2019. Disponível em: https://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2019/censo_da_educacao_superior_2018-notas_estatisticas.pdf. Acesso em: 02 mar. 2022.

LÜDKE, Menga; CRUZ, Giseli Barreto da. Contribuições ao debate sobre a pesquisa do professor da educação básica. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, Belo Horizonte, v. 2, n. 3, p. 86-107, 2010. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/20. Acesso em: 03 fev. 2022.

MARQUES, Alexandre Henrique. Análise da inclusão e da acessibilidade no ensino superior: um sonho que se tornou realidade. Tópicos Educacionais, Recife, v. 23, n. 2, p. 24-54, jul./dez. 2017. DOI: https://doi.org/10.51359/2448-0215.2017.235080. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/topicoseducacionais/article/view/235080. Acesso em: 22 dez. 2022.

MENDES, Enicéia Gonçalves. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 33, p. 387-405, set./dez. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782006000300002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/KgF8xDrQfyy5GwyLzGhJ67m. Acesso em: 07 fev. 2022.

MUSSI, Ricardo Franklin de Freitas; FLORES, Fábio Fernandes; ALMEIDA, Claudio Bispo de. Pressupostos para a elaboração de relato de experiência como conhecimento científico. Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 17, n. 48, p. 60-77, out./dez. 2021. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/9010. Acesso em: 01 jul. 2021. DOI: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i48.9010.

SÁ, Ana Cláudia Maranhão; DÉA, Vanessa Helena Santana Dalla. Acessibilidade e Inclusão no ensino superior: reflexões e ações em universidades brasileiras. Goiânia: Cegraf UFG, 2020. E-book.

icone

Downloads

Publicado

30-11-2022

Como Citar

MARQUES, A. R. .; BARBOSA, J. A. G. . A experiência da graduação por uma pessoa com deficiência: reflexões para se avançar na inclusão e acessibilidade. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 12, p. 1–16, 2022. DOI: 10.35699/2237-5864.2022.39525. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/39525. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

Seção especial: universidade e inclusão