Uso do Storytelling no ensino de Política Nacional de Humanização no curso de Medicina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2023.44475

Palavras-chave:

educação superior, estudantes de Medicina, humanização em saúde, Storytelling, metodologia ativa

Resumo

O uso da metodologia do Storytelling contribui para a formação profissional ao estimular a empatia e ao ampliar o olhar dos estudantes por meio de narrativas diversas. O objetivo deste artigo é o de relatar a experiência do uso do Storytelling como estratégia de ensino sobre a Política Nacional de Humanização no curso de Medicina. O método foi aplicado durante uma aula da disciplina de Interação Comunitária, com a turma dividida em pequenos grupos, visando a abordagem da Política Nacional de Humanização em Saúde. A partir das histórias compartilhadas descreve-se a participação ativa e o maior interesse dos acadêmicos com o conteúdo proposto; os mecanismos desse recurso que permitem a maior apreensão do conteúdo; bem como o êxito no emprego do método ativo pelas docentes, para a construção de conhecimento sobre Humanização em Saúde. Conclui-se que o Storytelling se mostrou capaz de sensibilizar os estudantes e ampliar a sua capacidade de envolvimento e apropriação das temáticas de ensino propostas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alessandra Cunha dos Santos, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau, SC, Brasil.

Acadêmica de Medicina na Universidade Regional de Blumenau. Membro da Liga Acadêmica de Medicina de Urgência e Emergência (LAMURGEM).

Daniela Maysa de Souza, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau, SC, Brasil.

Docente na Universidade Regional de Blumenau. Departamento de Medicina. Doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (2018). Principais temas de investigação: formação docente e metodologias ativas.

Luana Gabriele Nilson, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau, SC, Brasil.

Docente na Universidade Regional de Blumenau. Departamento de Medicina e Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva. Doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Santa Catarina (2018). Principais temas de investigação: Atenção Primária à Saúde, Telessaúde, Avaliação em Saúde.

Luísa Barbieri Kreibich, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau, SC, Brasil.

Acadêmica de Medicina na Universidade Regional de Blumenau. Membro da diretoria da Liga Acadêmica de Dermatologia da FURB (LACIDERM).

Referências

AGUIAR, Ana Caroline Inácio de Alencar et al. A Comunicação não Violenta (CNV) como instrumento de promoção da saúde mental no contexto escolar. In: ZAGO, Maria Cristina. Saúde Mental no Século XXI: Indivíduo e Coletivo Pandêmico. Guarujá, SP: Científica Digital, 2021. p. 13-23. DOI: https://doi.org/10.37885/210203315

ANTONIASSI, Clodoaldo Penha; PESSOTTO, Janine Gehrke; BERGAMIN, Luciane. Práticas restaurativas na gestão de uma equipe de Estratégia da Família: relato de experiência em Pato Branco, PR. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 43, p. 147-153, dez. 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-11042019S614. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sdeb/a/frbVS3CYcGBKJxBKprnRNcp/?lang=pt. Acesso em: 16 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-11042019s614

BARCO, Frieda Liliana Morales et al. Era uma vez… na escola: formando educadores para formar leitores. 4. ed. Belo Horizonte: Formato Editorial, 2005. p. 188.

BARR, Robert; TAGG, John. From teaching to learning: a new paradigm for undergraduate education. Change: The magazine of higher learning, v. 27, n. 6, p. 12-26, 1995. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/pdf/10.1080/00091383.1995.10544672. Acesso em: 12 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.1080/00091383.1995.10544672. DOI: https://doi.org/10.1080/00091383.1995.10544672

BRASIL. Lei nº 8.080/1990, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília DF. 19 de set. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htm. Acesso em: 7 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. HumanizaSUS: Política Nacional de Humanização (PNH): a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/humanizasus_2004.pdf. Acesso em: 7 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução Nº 3 de 20 de junho de 2014. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Medicina e dá outras providências. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, 23 jun. 2014. p. 8-11. Disponível em: http://www.toledo.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2017/07/DCN-2014.pdf. Acesso em: 7 set. 2022.

COELHO, Márcia Oliveira; JORGE, Maria Salete Bessa. Tecnologia das relações como dispositivo do atendimento humanizado na atenção básica à saúde na perspectiva do acesso, do acolhimento e do vínculo. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 14, p. 1523-1531, 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232009000800026. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/assets/csc/v14s1/a26v14s1.pdf. Acesso em: 12 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232009000800026

FELISBINO, Emanuelle Garces. Storytelling como recurso didático pedagógico no processo de ensino/aprendizagem da língua inglesa para crianças em escola privada. 2021. 24 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Concepções Multidisciplinares de Leitura) – Instituto Federal de Santa Catarina, Xanxerê, 2021. Disponível em: https://repositorio.ifsc.edu.br/handle/123456789/2211. Acesso em: 12 out. 2022.

PAIVA, Marlla Rúbya Ferreira et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. SANARE – Revista de Políticas Públicas, Sobral, v. 15, n. 2, 2016. Disponível em: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/1049. Acesso em: 7 set. 2022.

FURB. Universidade Regional de Blumenau. Projeto Pedagógico do Curso de Medicina. Blumenau: FURB, 2022. Disponível em: https://www.furb.br/web/upl/graduacao/projeto_pedagogico/202207291608100.2018%20PPC%20MEDICINA-atualizacao%202022%20.pdf. Acesso em: 7 set. 2022.

HEINEMEYER, Catherine. The dying art of storytelling in the classroom. The Conversation, 2018. Disponível em: https://theconversation.com/the-dying-art-of-storytelling-in-the-classroom-93088. Acesso em 12 out. 2022.

KIENLE, Gunver; KIENE, Helmut. Como escrever um relato de caso. Arte Médica Ampliada, v. 31, n. 2, p. 34-37, 2011. Disponível em: http://www.abmanacional.com.br/arquivo/aae76d6a6616e9828db3f643ee49a0a323efed20-31-2-relato-de-caso.pdf. Acesso em: 25 maio 2023.

LAZZARI, Daniele Delacanal; JACOBS, Gabrielle Jacobs; JUNG, Walnice. Humanização da assistência na enfermagem a partir da formação acadêmica. Revista de Enfermagem da UFSM, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 116-124, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/3705. Acesso em: 7 set. 2022.

LOPES, Iraneide Etelvina; NOGUEIRA, Júlia Aparecida Devidé; ROCHA, Dais Gonçalves. Eixos de ação do programa saúde na escola e promoção da saúde: revisão integrativa. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 42, n. 118, p. 773-789, jul./set. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-1104201811819. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sdeb/a/SNsdFnbvBdfdhn76GQYGDtM/?lang=pt. Acesso em: 7 set. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-1104201811819

MCKEE, Robert. Story: substância, estrutura, estilo e os princípios da escrita de roteiro. Tradução: Chico Marés. Curitiba: Arte & Letra, 2017. p. 430.

MERHY, Emerson Elias; FRANCO, Túlio Batista. Reestruturação produtiva e transição tecnológica na saúde. São Paulo: Hucitec, 1997. Disponível em: https://www.professores.uff.br/tuliofranco/wp-content/uploads/sites/151/2017/10/32reestruturacao_produtiva_e_transicao_tecnologica_na_saude_emerson_merhy_tulio_franco.pdf. Acesso em: 12 out. 2022.

MERHY, Emerson Elias. Um ensaio sobre o médico e suas valises tecnológicas: contribuições para compreender as reestruturações produtivas do setor saúde. Interface – comunicação, saúde, educação, Botucatu, v. 4, n. 6, p. 109-116, 2000. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-32832000000100009. Disponível em: https://www.scielo.br/j/icse/a/hWjdyMG9J4YhwPLLXdY3kfD/?lang=pt. Acesso em: 7 set. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-32832000000100009

MUHLEN, Mara Cristiane Von; VIVIAN, Aline Groff. Psicanálise e universidade: potencialidades teóricas no cenário da pesquisa. Aletheia, n. 38-39, p. 240-243, 2012. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1150/115028213020.pdf. Acesso em: 12 out. 2022.

NAVILLE, Sarah Isabella Maas. “M-learning”: uma ferramenta eletrônica para professores para a identificação de sinais de desatenção e hiperatividade. 2017. Dissertação (Mestrado em Distúrbios do Desenvolvimento) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2017. Disponível em: https://dspace.mackenzie.br/bitstream/handle/10899/22725/Sarah%20Isabella%20Maas%20Naville.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 12 out. 2022.

NOVAES, Marcos Adriano Barbosa et al. Active methodologies in the teaching and learning process: emerging didactic alternatives. Research, Society and Development, v. 10, n. 4, p. e37710414091, 2021. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14091. Acesso em: 7 set. 2022.

OLIVEIRA, Daniele de Souza Lopes; CASTAMAN, Ana Sara. Guia para uso do Storytelling em espaços educacionais na Educação Profissional e Tecnológica. 2020. Produto Educacional (Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica – ProfEPT) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2020. Disponível em: https://educapes.capes.gov.br/handle/capes/571084?mode=full. Acesso em: 7 set. 2022.

PALACIOS, Fernando; TERENZZO, Martha. O guia completo do Storytelling. Rio de Janeiro: Alta Books Editora, 2016. p. 448. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=99R0DwAAQBAJ&oi=fnd&pg=PA98&dq=guia+completo+do+storytelling&ots=JonKJ3HQBa&sig=IVAp0WqO0zd4OzXkL1ibavxoytE. Acesso em: 12 out. 2022.

POWNER, Leanne; ALLENDOERFER, Michelle. Evaluating hypotheses about active learning. InternationalStudies Perspectives, v. 9, n. 1, p. 75-89, 2008. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1528-3585.2007.00317.x. Disponível em: https://academic.oup.com/isp/article-abstract/9/1/75/1813526. Acesso em: 12 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1528-3585.2007.00317.x

REIS-BORGES, Grasiela Cristina; NASCIMENTO, Edinalva Neves; BORGES, Daniel Martins. Impacto da Política Nacional de Humanização na Estratégia Saúde da Família e na Rede de Saúde. Distúrbios da Comunicação, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 194-200, 2018. DOI: https://doi.org/10.23925/2176-2724.2018v30i1p194-200. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/dic/article/view/33313. Acesso em: 7 set. 2022. DOI: https://doi.org/10.23925/2176-2724.2018v30i1p194-200

ROCHA, Carlos José Tridade; FARIAS, Sidilene Aquino. Metodologias ativas de aprendizagem possíveis ao ensino de ciências e matemática. REAMEC – Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, v. 8, n. 2, p. 69-87, 2020. DOI: 10.26571/reamec.v8i2.9422. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/14385. Acesso em: 12 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.26571/reamec.v8i2.9422

SANTOS, Adriano Maia et al. Vínculo e autonomia na prática de saúde bucal no Programa Saúde da Família. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 42, n. 3, p. 464-470, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102008005000025. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/assets/rsp/v42n3/6189.pdf. Acesso em: 12 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102008000300011

SEGRE, Marco; FERRAZ, Flávio. Carvalho. O conceito de saúde. Revista de Saúde Pública, v. 31, n. 5, p. 538-542, 1997. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89101997000600016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rsp/a/ztHNk9hRH3TJhh5fMgDFCFj/?lang=pt. Acesso em: 12 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89101997000600016

SIEGA, Cheila Karei et al. Storytelling como estratégia didática na formação de profissionais da Enfermagem: relato de experiência. Saberes Plurais: Educ. Saúde, v. 5, n. 2, p. 15-26, 2021. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/saberesplurais/article/view/114424. Acesso em: 29 mai. 2023. DOI: https://doi.org/10.54909/sp.v5i2.114424. DOI: https://doi.org/10.54909/sp.v5i2.114424

SILVA, Ana Carolina de Moraes; SEI, Maíra Bonafé. A Contação de Histórias e a humanização no hospital: vivências de profissionais da saúde. Rev. SBPH, Rio de Janeiro, v. 22, n. 2, jul./dez. 2019. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rsbph/v22n2/v22n2a05.pdf. Acesso em: 29 mai. 2023.

SILVA, Arthur Fernandes da et al. Entre ouvidos e palavras: um ensaio sobre medicina narrativa, redes sociais e humanização na Atenção Primária à Saúde. Interface –Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 27. e220467, 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/interface.220467. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/icse/2023.v27/e220467/pt. Acesso em: 29 mai. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/interface.220467

STORR, Will. The science of Storytelling: why stories make us human and how to tell them better. Nova Iorque: Abrams Press, 2020.

SUZUKI, Wendy A. et al. Dialogues: the science and power of Storytelling. Journal of Neuroscience, v. 38, n. 44, p. 9468-9470, 2018. DOI: 10.1523/JNEUROSCI.1942-18.2018. Disponível em: https://www.jneurosci.org/content/jneuro/38/44/9468.full.pdf. Acesso em: 13 out. 2022. DOI: https://doi.org/10.1523/JNEUROSCI.1942-18.2018

VALENÇA, Marcelo; TOSTES, Ana Paula Balthazar. O Storytelling como ferramenta de aprendizado ativo. Carta Internacional, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, 2019. DOI: https://doi.org/10.21530/ci.v14n2.2019.917. Disponível em: https://www.cartainternacional.abri.org.br/Carta/article/view/917. Acesso em: 24 set. 2022. DOI: https://doi.org/10.21530/ci.v14n2.2019.917

WRIGHT, Andrew. Storytelling with children. New York: Oxford University Press, 1995. p. 222. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=IuQOKN63TCwC&oi=fnd&pg=IA6&dq=WRIGHT,+A.+Storytelling+with+Children.+New+York:+Oxford,+1995&ots=0B5WuYMpv4&sig=Y_dxIqM5iJDQ5wB0ZjGX8KYC728. Acesso em: 12 out. 2022.

XAVIER, Adilson. Storytelling: Histórias que deixam marcas. Rio de Janeiro: BestSeller, 2015. p. 304. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=onQyBwAAQBAJ&oi=fnd&pg=PT5&dq=XAVIER,+Adilson.+Storytelling:+Hist%C3%B3rias+que+deixam+marcas.+1.ed.+Rio+de+Janeiro:+BestSeller,+2015.+304+p&ots=jewOSI0D-y&sig=jMmfZQlVNt8liQLii07_p17xNEc. Acesso em: 12 out. 2022.

Publicado

29-11-2023

Como Citar

SANTOS, A. C. dos; SOUZA, D. M. de; NILSON, L. G.; KREIBICH, L. B. Uso do Storytelling no ensino de Política Nacional de Humanização no curso de Medicina. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 13, p. 1–19, 2023. DOI: 10.35699/2237-5864.2023.44475. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/44475. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos