Gestão e ambientes de trabalho na atenção primária à saúde

Revisão de escopo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2022.40472

Palavras-chave:

Local de Trabalho, Atenção Primária à Saúde, Enfermagem, Grupos Focais

Resumo

Objetivo: identificar subsídios teóricos e empíricos sobre ambientes de trabalho na APS em sua relação a saúde do trabalhador (questão preliminar) que indiquem elementos relativos à gestão (questão específica). Métodos: Scoping Review de seis etapas com consulta aos sujeitos, busca na literatura no período de 2010 a 2019 em seis bases de dados e bibliotecas virtuais com seleção de 21 artigos. A etapa complementar, de consulta, operacionalizou grupo focal com 14 trabalhadores da Atenção Primária à Saúde em um município do Sul do Brasil. Resultados: organizados em três categorias temáticas: Aspectos administrativos no ambiente de trabalho: dificuldades relacionadas à gestão; Percepções sobre as relações de trabalho: barreiras entre equipe e gestão; Conflitos no ambiente de trabalho: estratégias de enfrentamento. Considerações finais: questões de ordem burocrática e de rotina da APS influenciam as relações interpessoais e os resultados alcançados, sendo fundamentais para o alcance de ambientes saudáveis de trabalho dos atores em cena. O suporte institucional, o diálogo e a possibilidade em exercer um trabalho pleno de sentido e valor é direito do trabalhador, reafirmando a promoção de ambientes de trabalho saudáveis na APS como prioridade ético-política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Jose Menezes Brito, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Departamento de Enfermagem. Belo Horizonte, MG -Brasil.

Professora Titular Aposentada da Universidade Federal de Minas Gerais- Escola de Enfermagem. Graduada em Enfermagem pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1985), Mestre em Enfermagem pela UFMG (1998); Doutora em Administração pela Faculdade de Ciências Econômicas (FACE/CEPEAD - UFMG (2004). Pós-Doutorado na Universidade Federal de Santa Catarina (2011).

Referências

Giovanella L, Mendonça MHM, Buss PM, Fleury S, Gadelha CAG, Galvão LAC, et al. From Alma-Ata to Astana. Primary health care and universal health systems: an inseparable commitment and a fundamental human right. Cad Saúde Pública [Internet]. 2019[citado 2020 ago. 19];35(3):e00012219. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00012219

Ferreira L, Barbosa JSA, Esposti CDD, Cruz MM. Permanent Health Education in primary care: an integrative review of literature. Saúde Debate [Internet]. 2019[citado em 2020 ago. 19];43(120):223-39. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0103-1104201912017

Marziale MHP. Universal access to health and universal health coverage: nursing contributions. Rev Latino-Am Enferm [Internet]. 2016[citado em 2020 set. 7];24:e2667. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1518-8345.0000.2667

Menezes ELC, Verdi MIM, Scherer MDA, Finkler M. Modes of care production and universal access – an analysis of federal guidance on the work of Primary Healthcare teams in Brazil. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2020[citado em 2021 dez. 10];25(5):1751-64. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232020255.33462019

Cunha MLS, Freire JM, Repullo JR, Hortale VA. Bureaucratic state and health management training from a historical perspective: similarities and differences between Brazil and Spain. Saúde Soc [Internet]. 2019[citado em 2020 ago. 19];28(2):80-94. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-12902019180616

Pires DEP, Vandresen L, Forte ECN, Machado RR, Melo TAP. Management in primary health care: implications on managers workloads. Rev Gaúch Enferm [Internet]. 2019[citado em 2020 ago. 19];40:e20180216. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2019.20180216

Pires DEP, Vandresen L, Machado F, Machado RR, Amadigi FR. Primary healthcare management: what is discussed in the literature. Texto & Contexto Enferm [Internet]. 2019[citado em 2020 ago. 19];28:e20160426. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2016-0426

World Health Organization. Healthy workplaces: a model for action. Geneva: WHO; 2010.

Lima DKS, Schoeller SD, Knihs NDS, Vargas CP, Tholl AD, Lopes SGR, et al. Protocol for a scoping review of skin self-care of people with spinal cord injury. BMJ Open [Internet]. 2017[citado em 2019 jun. 7];7:e017860. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1136/bmjopen-2017-017860

Arksey H, O'Malley L. Scoping studies: towards a methodological framework. Int J Soc Res Methodol [Internet]. 2005[citado em 2019 fev. 22];19-32. Disponível em: https://doi.org/10.1080/1364557032000119616

Teare G, Taks M. Extending the scoping review framework: a guide for interdisciplinary researchers. Int J Soc Res Methodol [Internet]. 2019[citado em 2020 ago. 19];23(3):311-5. Disponível em: https://doi.org/10.1080/13645579.2019.1696092

Moher D, Liberati A, Tetzlaff J, Altman DG. The PRISMA Group Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses: The PRISMA Statement. Int J Surg [Internet]. 2010[citado em 2020 ago. 19];6(7):e1000097. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.ijsu.2010.02.007

Carvalho DB, Araújo TM, Bernardes KO. Common mental disorders in primary health care workers. Rev Bras Saude Ocup [Internet]. 2016[citado em 2019 nov. 25];41:e17. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2317-6369000115915

Silva RNA, Lima AKM, Carvalho-Filha FSS, Vilanova JM, Silva FL. Conhecimento e entendimento de enfermeiros sobre as ações gerenciais na atenção primária à saúde. Ciênc Saúde [Internet]. 2016[citado em 2019 nov. 25];9(1):21-9. Disponível em: https://doi.org/10.15448/1983-652X.2016.1.21028

Silva CN, Potra TS. Uma revisão scoping. Pensar Enferm [Internet]. 2016[citado em 2019 nov. 25];20(2):33-50. Disponível em: http://comum.rcaap.pt/handle/10400.26/23709

Moreira DA, Horta NC, Brito MJM, Pereira LD, Montenegro LC. Estratégias de organização e fortalecimento do trabalho na equipe de saúde da família. Rev Enferm Centro-Oeste Min [Internet]. 2016[citado em 2019 nov. 25];6(1):2106-18. Disponível em: https://doi.org/10.19175/recom.v0i0.637

Kinalski DDF, Lampert AN, Machado BP, Lima SBS. Conflitos gerenciais: dificuldades para o enfermeiro gerente. REAS [Internet]. 2013[citado em 2019 nov. 25];2(3):96-105. Disponível em: https://doi.org/10.18554/

Oliveira FEL, Fernandes SCA, Oliveira LLO, Queiroz JC, Azevedo VRC. A gestão do enfermeiro na estratégia saúde da família. Rev Rene [Internet]. 2012[citado em 2019 nov. 25];13(4):834-44. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/index.php/rene/article/view/4044

Santos, IER, Vargas MM, Reis FP. Labor stressors in community health agents. Rev Psicol Organ Trab [Internet]. 2014[citado em 2019 nov. 25];14(3):324-35. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-66572014000300008&lng=pt&nrm=iso

Silva GS, Diniz BG, Rosa VG. Administração de conflitos: análise de percepções de enfermeiros gerentes. Rev Enferm Centro-Oeste Min [Internet]. 2012[citado em 2019 nov. 25];2(3):358-68. Disponível em: http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/227

Chaves LDP, Tanaka OY. Nurses and the assessment in health system management. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2012[citado em 2019 nov. 25];46(5):1274-8. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-62342012000500033

Oliveira HM, Pires TO, Parente RCP. As relações de poder na Estratégia de Saúde da Família sob o enfoque da teoria de Hannah Arendt. Sau & Transf Soc [Internet]. 2011[citado em 2019 nov. 25];1(2):17-26. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/2653/265319571004.pdf

Fernandes HN, Thofehrn MB, Porto AR, Amestoy SC, Jacondino MB, Soares MR. Interpersonal relationships in work of multiprofessional team of family health unit. Rev Pesq Cuid Fundam online [Internet]. 2015[citado em 2019 nov. 25];7(1):1915-26. Disponível em: https://doi.org/10.9789/2175-5361.2015.v7i1.1915-1926

Maun A, Nilsson K, Furåker C, Thorn J. Primary health care in transition - a qualitative study of how managers perceived a system change. BMC Health Serv Res [Internet]. 2013[citado em 2019 nov. 25];13(1):382-9. Disponível em: https://doi.org/10.1186/1472-6963-13-382

Shimizu HE, Carvalho DAJ. The working process in the Family Health Strategy and its repercussions on the health-disease process. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2012[citado em 2019 nov. 25];17(9):2405-14. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000900021

Thofehrn MB, Amestoy SC, Porto AR, Arrieiral CO, Dal Pai D. A dimensão da subjetividade no processo de trabalho da Enfermagem. J Nurs Health [Internet]. 2011[citado em 2019 nov. 25];1(1):190-8. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/enfermagem/article/view/3423

Campos PC, Chaves AN, Pereira CM, Fontaine JDL, Santos LJ, Cardoso LMF, et al. Equipes do programa saúde da família: estresse profissional e dinâmica de trabalho. Rev APS [Internet]. 2010[citado em 2019 nov. 25];13(1):46-54. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/aps/article/view/14293/7734

Grando MK, Dall'agnol CM. [Challenges of the group process in team meetings on family health strategy]. Esc Anna Nery Rev Enferm [Internet]. 2010[citado em 2019 nov. 25];14(3):504-10. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-81452010000300011

Pegoraro PBB, Schaefer R, Zoboli ELCPD. Psychic and moral exhaustion in primary care workers. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2017[citado em 2019 nov. 25];51:e03257. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1980-220X2016035203257

Hirdes A. The perspective of professionals in primary health care on matrix support in mental health. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2015[citado em 2019 nov. 25];20(2):371-82. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232015202.11122014

Becchi AC, Albiero ALM, Pavão FO, Pinto IS, Godoi AV, Dias BC, et al. Current perspectives of co-management in healthcare: experiences of the Humanization Working group on primary healthcare. Saúde Soc [Internet]. 2013[citado em 2019 nov. 25];22:653-60. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-12902013000200032

SPagnol CA, L´abbate S. Conflito organizacional: considerações teóricas para subsidiar o gerenciamento em Enfermagem. Ciênc Cuid Saúde [Internet]. 2010[citado em 2019 nov. 25];9(4):822-7. Disponível em: https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v9i4.7721

Vilela RAGV, Silva RCS, Jackson Filho JM. Poder de agir e sofrimento: estudo de caso sobre Agentes Comunitários de Saúde. Rev Bras Saude Ocup [Internet]. 2019[citado em 2019 nov. 25];35(122):289-302. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0303-76572010000200011

Lucas PRMB, Nunes EMGT. Nursing practice environment in Primary Health Care: a scoping review. Rev Bras Enferm [Internet]. 2020[citado em 2020 jun. 30];73(6):e20190479. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2019-0479

Harvey C, Thompson S, Otis E, Willis E. Nurses’ views on workload, care rationing and work environments. J Nurs Manag [Internet]. 2020[citado em 2020 dez. 2];28:912-8. Disponível em: https://doi.org/10.1111/jonm.13019

Koskenvuori J, Numminen O, Suhonen R. Ethical climate in nursing environment: a scoping review. Nursing Ethics [Internet]. 2019[citado em 2020 dez. 3];26(2):327-45. Disponível em: https://doi.org/10.1177%2F0969733017712081

Sanderson K, Dawe J. Perspectives: getting to the heart of workforce wellbeing in health and social care: from personal practice to organisational change. J Res Nurs [Internet]. 2019[citado em 2020 dez. 3];24(8):729-33. Disponível em: https://doi.org/10.1177%2F1744987119890922

Jean E, Perroux M, Pepin J, Duhoux A. How to measure the collective intelligence of primary healthcare teams? Learn Health Sys [Internet]. 2020[citado em 2020 dez. 3];4:e10213. Disponível em: https://doi.org/10.1002/lrh2.10213

Arquivos adicionais

Publicado

28-12-2022

Como Citar

1.
Diaz P da S, Barth PO, Silva MP da, Ferreira DS, Brehmer LC de F, Brito MJM, Dalmolin G de L, Ramos FRS. Gestão e ambientes de trabalho na atenção primária à saúde : Revisão de escopo . REME Rev Min Enferm. [Internet]. 28º de dezembro de 2022 [citado 4º de fevereiro de 2023];26. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/40472

Edição

Seção

Revisão