As novas formas de controle político

a guerra cultural e suas perspectivas na Reforma Trabalhista brasileira

Autores

  • João Pedro Braga de Carvalho Universidade Federal de Minas Gerais
  • Raphael Machado Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.35699/2525-8036.2021.24039

Palavras-chave:

Guerra Cultural, Neoliberalismo, Controle político, Reforma Trabalhista, Política

Resumo

O presente trabalho pretende contribuir para o entendimento das causas e efeitos da aprovação da Reforma Trabalhista brasileira. Sob a perspectiva da guerra cultural como ferramenta usada para concretizar o controle político da sociedade e do Estado, tal controle exercido pelo Mercado transnacional e por agentes do neoliberalismo global. Os pressupostos da hipótese de que a reforma trabalhista é fruto da guerra cultural contam com a filosofia para e do tempo presente, além da comparação de características do texto de lei e acontecimentos políticos prévios à sua aprovação. É necessário o reencontro do debate público sobre as questões das novas modalidades de guerra; das inovadoras formas de controle; das consequências da supressão da política; das causas do ódio ao Estado; da reificação do trabalho; das mazelas do neoliberalismo para a cidadania. O Brasil deve caminhar rumo a um Estado de Direito suprassumido, no qual estejam incluídos os direitos trabalhistas necessários para a efetivação dos valores soberanos da nação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Pedro Braga de Carvalho, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduando em Ciências do Estado pela Universidade Federal de Minas Gerais; pesquisador voluntario de Iniciação Científica no projeto Ciências do Estado: Caminhos e Soluções Institucionais para o Brasil e monitor bolsista da UFMG, sob orientação do Prof. Dr. José Luiz Borges Horta; membro do Grup Internacional de Recerca 'Cultura, Història i Estat' (GIRCHE) coordenado pelo Prof. Dr. Gonçal Mayos Solsona. Contacto: joaopedrobcarvalho@gmail.com

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-1107-633X

Raphael Machado, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduando em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais, com interesse no ensino e na pesquisa das áreas de Filosofia, Filosofia do Direito, Teoria do Estado e Direito Constitucional. Membro do grupo internacional de pesquisa Cultura, História e Estado na linha de pesquisa Estado, Razão e História. Foi bolsista em iniciação científica pela CNPq no projeto Macrofilosofia, Direito e Estado, sob orientação do Prof. Doutor José Luiz Borges Horta. Também foi orientando de iniciação científica pelo CNPq sob orientação da Profa. Dra. Daniela Muradas. Atualmente é Pesquisador voluntário de iniciação científica no projeto Ciências do Estado: Caminhos e Soluções Institucionais para o Brasil, sob orientação do Prof. Dr. José Luiz Borges Horta.

ORCID: http://orcid.org/0000-0002-6245-4724

Referências

ADASCALITEI, Dragos; PIGNATTI MORANO, Clemente. Labour market reforms since the crisis: drivers and consequences. International Labour Office Research Department. - Geneva: ILO, 2015 (Research Department working paper. No. 5).

ANTUNES, Daniela Muradas; RODRIGUES, Adriana L S. Lamounier Rodrigues; PINTO, Carolina Pereira. A mercantilização do trabalhador na reforma trabalhista. In: Revista do Advogado: Reforma Trabalhista (nº 137). São Paulo: AASP, 2018.

BATISTA JÚNIOR, Onofre Alves. O outro leviatã e a corrida ao fundo do poço. São Paulo: Almedina, 2015.

BRANDÃO, Marcelo. Temer diz que reforma trabalhista trará empregos e deixará país mais rico. Agência Brasil, 2017. Disponível em: <https://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2017-07/temer-diz-que-reforma-trabalhista-trara-empregos-e-deixara-pais-mais>.

BRASIL. Lei 13467/2017. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13467.htm#art6>

CARDOSO, Paulo Roberto. Diatética Cultural: Estado, soberania e defesa cultural. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2016. (Tese, Doutorado em Direito).

DELGADO, Maurício Godinho. Curso de Direito do Trabalho. São Paulo: LTr, 2016.

DRAY, Guilherme. O Direito do trabalho na jurisprudência constitucional da crise – o caso português. In: Democracia e Neoliberalismo: o legado da Constituição de 1988 em tempos de crise. Coord. de ARAUJO, Adriane Reis de; D’AMBROSO, José Ferlin. Salvador: Editora JusPodivm, 2018.

DUQUE, Félix. Historia de la Filosofía Moderna. Madrid: Ediciones Akal, 1998.

GOMES, Ciro. Projeto nacional: o dever da esperança. São Paulo: LeYa, 2020.

HAN, Byung-Chul. Sociedade da Transparência. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do Cansaço. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

HAN, Byung-Chul. Topologia da violência. Trad. Enio Paulo Giachini. Petrópolis: Vozes, 2017.

HORTA, José Luiz B.. Urgência e emergência do constitucionalismo estratégico. Revista Brasileira de Estudos Constitucionais, v. 23, p. 783-806, 2012.

HORTA, José Luiz B.; FREIRE, Thales M. ; SIQUEIRA, Vinicius de. . A Era Pós-Ideologias e suas ameaças à Política e ao Estado de Direito. Confluências (Niterói), v. 14, p. 120-133, 2012.

HORTA, José Luiz Borges &; SALGADO, Karine. História, Estado e idealismo alemão. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2017.

HORTA, José Luiz Borges. A subversão do fim da história e a falácia do fim do Estado; Notas para uma filosofia do tempo presente. In: HORTA, José Luiz Borges &; SALGADO, Karine. História, Estado e idealismo alemão. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2017, p. 83-96.

HORTA, José Luiz Borges. História do Estado de Direito. São Paulo: Alameda, 2011.

IBGE Notícias. Desemprego fica em 14,1% no trimestre encerrado em novembro. 2020. Disponível em : <https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/29935-desemprego-fica-em-14-1-no-trimestre-encerrado-em-novembro>.

KLEIN, Naomi. A doutrina do choque: a ascensão do capitalismo do desastre. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2007.

KONDER, Leandro. O que é dialética. São Paulo: Brasiliense, 1981.

MAYOS, Gonçal. Conflictos de legitimación en la turboglobalización. In: BILBENY. Nobert (Coord.). Legitimidad y acción política. Barcelona: Universitat de Barcelona, 2018, p. 317-338.

MAYOS, Gonçal. Macrofilosofía de la modernidad. Barcelona: Ediciones dLibro, 2012.

SALGADO, Joaquim Carlos. A ideia de justiça em Hegel. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

SALGADO, Joaquim Carlos. A Idéia de Justiça no Mundo Contemporâneo; fundamentação e aplicação do Direito como maximum ético. Belo Horizonte: Del Rey, 2006.

SALGADO, Joaquim Carlos. O Estado ético e o Estado Poiético. Revista Brasileira de Estudos Políticos. Belo Horizonte, n. 89, 9. 47-62, jan. /jun. 2004.

TEIXEIRA, Marilane Oliveira; [et.al.]. Contribuição crítica á reforma trabalhista. Campinas: UNICAMP, 2017.

ZIZEK, Slavoj. Maping ideology. New York: Verso, 2012.

Downloads

Publicado

2021-02-18

Como Citar

CARVALHO, J. P. B. de; CASTRO, R. M. de . As novas formas de controle político: a guerra cultural e suas perspectivas na Reforma Trabalhista brasileira. Revista de Ciências do Estado, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 1–17, 2021. DOI: 10.35699/2525-8036.2021.24039. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revice/article/view/e24039. Acesso em: 23 out. 2021.