Os Fantasmas Latino-Americanos

As lutas sociais por direitos e a constituição da Modernidade

Autores

  • Rayann Kettuly Massahud de Carvalho Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.35699/2525-8036.2021.34216

Palavras-chave:

Modernidade, América Latina, Colonialidade, Aníbal Quijano, Lutas Sociais por Direitos

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo apresentar, a partir da obra do sociólogo peruano Aníbal Quijano, a compreensão descolonial sobre a Modernidade. Sendo possível concluir que a América Latina não é pré moderna ou não moderna, mas pelo contrário, ela possui um papel constituidor da própria Modernidade. Para tanto, primeiramente, é apresentado o modo com que o autor compreende o poder - composto por três elementos: dominação, exploração e conflito. Em segundo lugar, é analisada a tensão entre a legítima pretensão de igualdade, de liberdade e de cidadania e a desigualdade abissal presente no mundo. Em seguida, é apresentada a relevância do contato com os povos andinos para a alteração da noção de temporalidade e a sua formulação moderna, bem como para a construção do projeto moderno de emancipação social. Por fim, expor-se-á a importância de resgatar as experiências latino-americanas de lutas sociais e políticas, cristalizadas em direitos, e contra as formas de dominação e de exploração modernas - nesse sentido, contra a colonialidade -, que estiveram presentes desde o alvorecer da modernidade. Referidas lutas são a expressão do conflito, um dos elementos que constituem o poder, na chave de A. Quijano. Em relação à metodologia, o caminho utilizado é a revisão de literatura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rayann Kettuly Massahud de Carvalho, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorando e Mestre em Direito pela UFMG, Brasil. Bacharel em Direito pela UFLA.  Membro do Grupo de Pesquisa Constitucionalismo e Aprendizagem Social (CONAPRES), do Grupo de Pesquisa Trabalho e Capital (GPTC) e do Núcleo de Estudos Direito, Modernidade e Capitalismo (UFMG). ORCID: https://orcid.org/0000-0002-0956-5580. Contato: rayannkmassahud@gmail.com

Referências

BALLESTRIN, Luciana Maria de Aragão. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, v. 2, p. 89-117. 2013.

CLIMACO, Danilo de Assis. Prólogo. In: QUIJANO, Aníbal. Cuestiones y horizontes. Buenos Aires: CLACSO, 2014.

DUSSEL, Enrique. Europa, modernidad y eurocentrismo. LANDER, Edgardo (coord.). La colonialidad del saber: eurocentrismo y ciencias sociales, perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clacso, 2000.

DUSSEL, Enrique. Europa, Modernidade e eurocentrismo. LANDER, Edgardo (Org.) A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americana. Buenos Aires: Clacso, p. 55-70, 2005.

DUSSEL, Enrique. Materiales para una política de la liberación. México-Madrid: Plaza y Valdés, 2007.

DUSSEL, Enrique. Para um diálogo Inter-filosófico Sul-Sul. In: Filosofazer: Revista do Instituto Superior de Filosofia Berthier. n. 41, p. 11-30. 2012.

DUSSEL, Enrique. Paulo de Tarso na filosofia política atual e outros ensaios. São Paulo: Paulus, 2016.

GERMANA, César. Una epistemología otra: el proyecto de Aníbal Quijano. Nómadas, 32, Bogotá, 2010, pp. 211-221,

MASSAHUD DE CARVALHO, R. K. Colonialidade, democracia e o risco permanente de ruptura:: uma reflexão a partir da obra de A. Quijano. Revista de Ciências do Estado, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 1–26, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revice/article/view/e26617. Acesso em: 15 maio. 2021.

MIGNOLO, Walter. Desafios decoloniais hoje. Revista Epistemologias do Sul, Foz do Iguaçu, n. 1, v. 1, pp. 12-32, 2017

MIGNOLO, Walter. La idea de América Latina (la derecha, la izquierda y la opción decolonial). Crítica y Emancipación. 2009.

QUIJANO, Aníbal. “Colonialidad y modernidad/racionalidad”. In: BONILLA, Heraclio (comp.). Los conquistados: 1492 y la población indígena de las Américas. Quito: FLACSO; Libri Mundi; Bogotá: Tercer Mundo, 1992.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del poder y des/colonialidad del poder, Conferencia dictada en el XXVII Congreso de la Asociación Latinoamericana de Sociología, Buenos Aires, 2009a, p. 1-15.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del poder, eurocentrismo y América Latina. Lander, Edgardo (org.): La colonialidad del saber: eurocentrismo y ciencias sociales. Perspectivas latinoamericanas, Buenos Aires, CLACSO/UNESCO, 2000a.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del poder, eurocentrismo y América Latina. In: Palermo Zulma y Quinterom Pablo. Aníbal Quijano textos de fundación. 1º ed. Buenos Aires: Del Siglo, 2014.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (orgs.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade, Poder, Globalização e Democracia. Novos Rumos. nº 37. 2002.

QUIJANO, Aníbal. Dom Quixote e os moinhos de vento na América Latina. Estudos Avançados, 2005.

QUIJANO, Aníbal. El fantasma del desarrollo en América Latina. Rev. Venez. de Econ. y Ciencias Sociales, v. 6, n. 2, p. 73-90, 2000b.

QUIJANO, Aníbal. Modernidad, identidad y utopía en América Latina. Lima, Ediciones Sociedad y Política, 1988.

QUIJANO, Aníbal. Otro horizonte de sentido histórico. América Latina en Movimiento, n. 441, 2009b.

QUIJANO, Aníbal. Poder y Derechos Humanos. In: Carmen Pimentel Sevilla, (comp.) Poder, Salud Mental y Derechos Humanos. CECOSAM. Lima, Perú. 2001.

QUIJANO, Aníbal. Solidaridad y capitalismo colonial-moderno. Otra economía. São Leopoldo: UNISINOS, vol II, n. 2, 1º semestre de 2008.

QUIJANO, Aníbal; WALLERSTEIN, Immanuel. Americanidad como concepto, o América en el moderno sistema mundial. Revista internacional de ciencias sociales. París: UNESCO, n. 134, diciembre 1992.

QUINTERO, Pablo. Notas sobre la teoría de la colonialidad del poder y la estructuración de las sociedades en América Latina. Papeles de Trabajo, n. 19, 2010, p. 3-18.

Downloads

Publicado

2021-12-15

Como Citar

CARVALHO, R. K. M. de. Os Fantasmas Latino-Americanos: As lutas sociais por direitos e a constituição da Modernidade. Revista de Ciências do Estado, Belo Horizonte, v. 6, n. 2, p. 1–24, 2021. DOI: 10.35699/2525-8036.2021.34216. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revice/article/view/e34216. Acesso em: 28 maio. 2022.