A gênese da pesquisa de Angel e Klauss Vianna sobre a dança brasileira

Décadas de 1950 a 1970

Autores

  • Marina Campos Magalhães Universidade de Lisboa (ULisboa), Lisboa, Portugal

Palavras-chave:

Angel Vianna, Klauss Vianna, Dança Brasileira

Resumo

O casal Angel e Klauss Vianna é reconhecido pelo trabalho corporal desenvolvido no Brasil, cujo início se deu em meados da década de 1950. Na trajetória artística e pedagógica dos Vianna percebe-se que a brasilidade é uma tônica recorrente. Esse artigo visa analisar o conceito de dança brasileira defendido pelo casal, através de obras artísticas e outras publicações, desde o início de seu desenvolvimento até o final da década de 1970.

Biografia do Autor

Marina Campos Magalhães, Universidade de Lisboa (ULisboa), Lisboa, Portugal

Doutoranda em Artes Performativas e da Imagem em Movimento pela Universidade de Lisboa, Mestre em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2017), possui Licenciatura em Dança (2011) e pós graduação em Preparação Corporal nas Artes Cênicas (2010), ambas pela Faculdade Angel Vianna. Atriz e bailarina - formada pela Casa das Artes de Laranjeiras (2014) e pelo Centro de Formação Artística do Palácio das Artes (2005), tem experiência na área de Artes, com ênfase em Dança e Teatro. Coordenou a pós graduação em "Preparação Corporal nas Artes Cênicas" da Faculdade Angel Vianna de 2011 a 2013, onde também lecionou as matérias de "Dança Contemporânea", "Introdução à Metodologia Angel Vianna" e "Conscientização do Movimento", de 2013 a 2017. Com mais de 20 anos de experiência profissional em dança e teatro, participou de diversas companhias artísticas em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, além de atuar como preparadora corporal e diretora de movimento ao lado de importantes diretores do meio artístico. Esse percurso teve seu mérito reconhecido através de prêmios como o FITA (2011) e o Artes Qualidade Brasil (2011) de melhor espetaculo por “Outside – um musical noir”; o Prêmio Itamaraty (2009) de melhor curta-metragem pela vídeo-dança “Insomne”; o Prêmio Usiminas/Sinparc (2007) de melhor espetáculo e melhor público para “Geraldas e Avencas” e a indicação ao prêmio Sesc Sated (2006) na categoria Revelação em Artes Cênicas.

Referências

A MELHOR ESCOLA é viver. Deixar o corpo e a cuca eternamente abertos. Jornal da Bahia. Salvador, 4 nov. 1980.

AGAMBEM, Giogio. Notas sobre o gesto. In: Revista Artefilosofia. Ouro Preto: Universidade

Federal de Ouro Preto, IFAC, 2008.

ALVARENGA, Arnaldo Leite de. A Construção da Dança Moderna em Belo Horizonte: 1957-1975. Dissertação (Mestrado em Educação). Belo Horizonte: UFMG, 2002.

__________. Klauss Vianna e o ensino de dança: uma experiência educativa em movimento

(1948-1990). Tese de doutorado. Programa de Pós-graduação: Educação e Inclusão Social. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2009.

___________. Klauss Vianna: abrindo caminhos. Livro no 3. Missão Memória da Dança no Brasil. Série Personalidades da Dança em Minas Gerais. Belo Horizonte: Instituto Cidades Criativas, 2010.

AQUINO, Dulce. Klauss Vianna: conexão da dança brasileira com a modernidade. Revista de Arte e Cultura Piracema, Rio de Janeiro: Funarte, n. 1, ano 1. p. 111-118, 1993.

BALLET KLAUSS VIANNA cria dança brasileira: primeira apresentação de O Amanuense Belmiro será na capital. Diário de Minas. Belo Horizonte, 3 set. 1960.

CÉSAR, Antônio. Ballet Klauss Vianna quer expressão própria para uma dança brasileira!

Última Hora. Belo Horizonte, 6 set. 1960.

COSTA, Mauro José. Grupo Teatro do Movimento. Novas Danças. Jornal Opinião. Rio de

Janeiro, 10 dez. 1976.

DANÇA, os passos sem direção. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, 21 set. 1974, Caderno B, p. 4.

FONSECA, Ione. Canto, teatro e dança. Klauss Vianna. Revista Horizonte. Belo Horizonte, jun. 1953.

GODARD, Hubert. Gesto e Percepção. In: PEREIRA, Roberto; SOTER, Silvia (Org.). Lições de Danca 3. Rio de Janeiro: Ed. UniverCidade, 2005.

HAYDÉE. I Temporada de Ballet da cidade. Diario de Minas. Belo Horizonte, 26 jun. 1959.

LEVI, Clovis. Forma e espaço. O cotidiano vivo da dança. O Globo. Rio de Janeiro, 18 nov. 1976. Cultura, p. 35.

MACHADO, Amélia Carmem. Pela primeira vez em Belo Horizonte um espetáculo de ballet com coreografia moderna. Diário de Minas. Belo Horizonte, 16 jan. 1955.

MACHADO, Lúcia Helena Monteiro. A filha da paciência: na época da Geração Complemento. Belo Horizonte: BDMG Cultural, 2001.

MARILENA; JURA. Minha intenção é refletir a índole do povo e não suas exterioridades. Diário de Minas. Belo Horizonte, 28 ago. 1960.

MARSCHNER, João. Festival Klauss Vianna. Estado de Minas. Belo Horizonte, 15 set. 1960.

MORAIS, Frederico. É preciso que o ballet tenha consciência nacional. O Diário. Belo Horizonte, 13 abr. 1958.

______. Balé Nacional. Estado de Minas. Belo Horizonte, 15 set. 1962. NAVAS, Cassia. Dança brasileira, no final do séc XX. Dicionário SESC. A Linguagem da Cultura. São Paulo: Perspectiva, 2003. Disponível em http://cassianavas.com.br/wpcontent/uploads/pdf/campo_da_danca_danca_brasileira.pdf>. Acesso em: 30 out. 2016.

PAIXÃO, Paulo. Por uma política cidadã do corpo: A função comunicativa do nacionalismo na dança no Brasil. Tese de doutorado em Comunicação e Semiótica. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2009.

PASSOS NATIVOS no Teatro do Movimento. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, 20-21 nov. 1976. Serviço, p. 9.

PEREIRA, Roberto. A formação do balé brasileiro: nacionalismo e estilização. Rio de Janeiro: FGV, 2003.

TAVARES, Joana Ribeiro da Silva. Klauss Vianna, do coreógrafo ao diretor. São Paulo: Annablume; Brasília, DF: CAPES, 2010.

_________. Escola Angel Vianna – Uma escola “em movimento”. O Percevejo Online. Periódico do Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas PPGAC/UNIRIO. Rio de Janeiro, 2009. Volume 1, Fascículo 2.

TAVARES, Joana Ribeiro da Silva; KEISERMAN, Nara (Org.). O corpo cênico: entre a dança e o teatro. São Paulo: Annablume; Rio de Janeiro: UNIRIO, CAPES, 2013.

UMA DANÇA QUE SE INSPIRA pelo gesto cotidiano. Jornal da Tarde. São Paulo, 1 mar. 1978.

TEATRO DO MOVIMENTO: uma nova proposta de dança de Vianna. Jornal da Bahia. Salvador, 19 set. 1978.

VIANNA, Klauss. Pela criação de um ballet brasileiro. Revista Horizonte. Belo Horizonte, 1952.

______. A dança. São Paulo: Summus, 2005.

Downloads

Publicado

2018-11-29

Como Citar

MAGALHÃES, M. C. A gênese da pesquisa de Angel e Klauss Vianna sobre a dança brasileira: Décadas de 1950 a 1970. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], v. 8, n. 16, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15598. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Seção temática