Capturando Borboletas

A intertextualidade como gesto biográfico em Não Estou Lá

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2022.35184

Palavras-chave:

Não Estou Lá, Todd Haynes, intertextualidade, Bob Dylan, cinebiografia

Resumo

Lançado em 2007, o filme Não Estou Lá pode ser definido como uma rede de intertextualidades, tecidas pelo realizador Todd Haynes com o intuito de analisar, questionar e dar a conhecer novos pontos de vista sobre a obra do músico Bob Dylan. Ao colocar os conceitos inerentes ao estudo dessa intertextualidade em diálogo com as ferramentas de análise fílmica, a presente reflexão procura demonstrar o modo como o cineasta se apropria das linguagens dos dispositivos biográficos do cinema (documentário, drama romântico e entrevista) para refletir e traduzir audiovisualmente as diversas personas do cantor. Neste processo, e ao longo de 135 minutos de filme, Haynes eleva Não Estou Lá do estatuto de mero retrato imagético do legado de Dylan a comentário crítico sobre a tradição das cinebiografias.

Biografia do Autor

Ana Catarina Pereira, Universidade da Beira Interior

Ana Catarina Pereira é docente na Universidade da Beira Interior e doutorada em Ciências da Comunicação, pela mesma universidade. É membro da Comissão para a Igualdade da UBI e investigadora do LabCom, licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa e mestre em Direitos Humanos pela Universidade de Salamanca. É autora dos livros A Mulher-Cineasta: Da arte pela arte a uma estética da diferenciação e do Estudo do Tecido Operário Têxtil da Cova da Beira. Co-organizou as obras Cinema e Outras Artes (volumes I, II e III), Filmes (Ir)refletidosUBICinema 2007/2017Geração Invisível: Os novos cineastas portugueses, e Colectânea de Poesia - Poetas do Fundão.

Autora de diversos artigos científicos publicados em revistas nacionais e internacionais, trabalhou vários anos como jornalista, colaborando com as revistas FocusNotícias Sábado e Notícias Magazine (Diário de Notícias), jornal I, entre outras. Fundou e dirigiu a revista online Magnética Magazine e foi directora do curso de Ciências da Cultura (UBI). É curadora e júri de diversas exposições e festivais de cinema; uma das fundadoras da Conferência Internacional de Cinema e Outras Artes, realizada anualmente na UBI; e coordenadora do GT de Estudos Fílmicos da Sopcom.

Referências

ARANTES, Mariana Oliveira. Música folk nos Estados Unidos: demarcações e definições de um gênero. In: ArtCultura, Uberlândia, v. 19, n. 34, p. 27-37, jan-jun 2017. Disponível em https://doi.org/10.14393/ArtC-V19n34-2017-1-02 Acesso em 12-07-2021

AUMONT, Jacques & MARIE, Michelle. A análise do filme. Lisboa: Edições texto & grafia, 2004

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da obra de Dostoiévski. Rio de Janeiro: Forense, 1981

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes (4ª Ed.), 2003

BARROS, José d’Assunção. Sobre a feitura da micro-história. In: OPSIS, 7(9), 167-186, 2010. Disponível em https://doi.org/10.5216/o.v7i9.9336. Acesso em 28-06-2021

BRUCK, Mozahir Salomão. A Denúncia da Ilusão Biográfica e a Crença na Reposição do Real: o literário e o biográfico em Mário Cláudio e Ruy Castro. 2008. 202p. Tese de doutorado em Literaturas de Língua Portuguesa – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte. Disponível em http://www.biblioteca.pucminas.br/teses/Letras_BrukMS_1.pdf. Acesso em 12.06.2021.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003

CORRALES, Luciano. A Intertextualidade e suas origens. In: 70 anos: a FALE fala. 10ª Semana de Letras. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010. Disponível em http://editora.pucrs.br/anais/Xsemanadeletras/comunicacoes/Luciano-Corrales.pdf. Acesso em 12.06.2021

DEANGELIS, Michael. The Characteristics of New Queer Filmmaking: Case Study – Todd Haynes. In: Aaron, M. New Queer Cinema: A Critical Reader. New Jersey: Rutgers University Press, 2004, p. 41-52

ECO, Umberto. Os limites da interpretação. Algés: Difel Editora, 2004

GOMES, Wilson. La poética del cine y la cuestión del método en el análisis fílmico. Em: Significação — Revista de cultura audiovisual, n. 21, p. 85-105, 2004 a. Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais — PPGMPA: Universidade de São Paulo (USP)

GOMES, Wilson. The Mwga’s book. Laboratório de Análise Fílmica, PPG de Comunicação e Cultura Contemporâneas, Salvador, UFBa, 2004 b

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Produção de presença. Rio de Janeiro: Contraponto, Editora PUC Rio, 2010

HATHERLY, Ana. A Idade da Escrita. Coleção Ponte Velha, edição apoiada pelo Ministério da Cultura de Portugal e a Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas (DGLB), 2005

HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. Petrópolis: Editora Vozes, 1923 - 2005

KRISTEVA, Julia. Introdução à Seminálise. São Paulo: Debates, 1969

SANT’ANNA, Affonso Romano de. Paródia, Paráfrase & Cia. São Paulo: Editora Ática (7ª ed.). ISBN 85 08 00703 5, 2003

SONTAG, Susan. Against interpretation. 1966. Disponível, na íntegra, em: http://shifter-magazine.com/wp-content/uploads/2015/10/Sontag-Against-Interpretation.pdf

TYNIANOV, Yuri. Dostoevsky and Gogol (Toward a Theory of Parody). 1919/21. In: Morse, A. & Redko, P. (ed.). Permanent Evolution. Boston: Academic Studies Press, pp. 27-63, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1515/9781644690635-004. Acesso em 19.06. 2021

Downloads

Publicado

2022-04-28

Como Citar

SILVA, D. O.; PEREIRA, A. C. dos S. Capturando Borboletas: A intertextualidade como gesto biográfico em Não Estou Lá. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], v. 12, n. 24, p. 75–99, 2022. DOI: 10.35699/2237-5864.2022.35184. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/35184. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Seção temática