A “teoria da complexidade” de Edgar Morin e suas implicações às políticas educacionais do Estado brasileiro para a educação do campo

Resumo

O artigo analisa a teoria da complexidade de Edgar Morin e suas implicações nas políticas educacionais brasileiras, com enfoque específico na educação camponesa. A análise foi realizada a partir de um estudo bibliográfico sobre as obras do autor, os livros “Sete Saberes necessários à educação do futuro” e “A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento” baseando-se nos fundamentos teóricos de Souza (2014), Giolo (2004), Leher (2003;), entre outros. Os resultados apontaram que o paradigma do “pensamento complexo” converge aos objetivos do imperialismo capitalista em “adequar a educação brasileira às novas tecnologias e demandas do mercado”, demandas que perpassam pela educação. Ressalta-se, ainda, um retorno ao antigo idealismo filosófico, revestido de pensamento novo e moderno, revelando-se como uma posição reacionária diante das contradições entre este próprio pensamento idealista e as ações empreendidas pelo autor no seio das políticas educacionais pleiteadas pelo capital monopolista.

Biografia do Autor

Franciel Coelho Luz de Amorim, Universidade de Pernambuco

Mestrado em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI), Universidade de Pernambuco - UPE Campus Petrolina (2018.1). Graduado em História pela mesma instituição e Pedagogia pela Faculdade de Educação Superior de Pernambuco - FAESPE. Atualmente é Professor da Educação Básica, atuando como Coordenador Pedagógico do Município de Petrolina - PE.

Tainá Christine da Conceição Peixoto, Universidade de Pernambuco

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI), Universidade de Pernambuco - campus Petrolina. Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Pernambuco - campus Recife. 

Maria Jorge dos Santos Leite, Universidade de Pernambuco

Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Ceará-UFC (2012, Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará-UFC (2001), Especializada em Afabetização pela Universidade Regional do Cariri-URCA (1997) e Licenciatura em História pela Universidade Regional do Cariri-URCA (1989). Atualmente é Professora-adjunta do Colegiado de Nutrição da Universidade de Pernambuco-UPE, Campus Petrolina. Atua como professora permanente do Programa de Pós-graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinas -PPGFPPI,da Universidade de Pernambuco-UPE. 

Publicado
2019-09-30