Letramento digital: do uso das tecnologias digitais à formação dos professores de língua portuguesa, o que se discute sobre isso?

  • Edmilson Francisco UFLA - Universidade Federal de Lavras
  • Helena Maria Ferreira UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
  • Ilsa do Carmo Vieira Goulart Universidade Federal de Lavras
Palavras-chave: letramento digital, Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação, formação de professores de língua portuguesa, formação docente.

Resumo

RESUMO:Neste estudo, abordamos algumas proposições a respeito da formação inicial e continuada de professores de língua portuguesa no que tange ao uso das tecnologias digitais de comunicação como estratégia para reelaboração e reconfiguração de suas práticas pedagógicas. As transformações tecnológicas e digitais que vêm ocorrendo na sociedade e que, consequentemente, atingem o interior das salas de aula têm interferido em nossas práticas pedagógicas e nas relações entre o ensinar e o aprender, exigindo de nós, professores, uma busca constante por formação. Diante disso, este texto tem por objetivo refletir sobre a temática das tecnologias digitais de informação e comunicação no processo de formação docente e sobre a concepção de letramento digital no processo mediador do ensino e da aprendizagem para os professores de língua portuguesa. Para tanto, apresentamos uma pesquisa de abordagem qualitativa, a partir de uma reflexão bibliográfica, tomando como aporte teórico os estudos de Castells e Cardoso (2005), de Coscarelli (2016), a respeito das tecnologias digitais, bem como das pesquisas de Soares (2012) e Xavier (2005) sobre letramento digital. Os estudos apontam para o aprimoramento na formação inicial e continuada dos professores, no caso, os de língua portuguesa, de modo a oferecer e a vivenciar situações de letramento digitalmente dentro e fora das salas de aula.

PALAVRAS-CHAVE: letramento digital; Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação; formação de professores de língua portuguesa; formação docente.

 

ABSTRACT:In this study we present some proposals regarding the initial and continuous training of Portuguese teachers in the use of digital communication technologies as a strategy for re-elaboration and reconfiguration of their pedagogical practices. The technological and digital transformations that have been occurring in society and which consequently affect the interior of the classrooms have interfered in our pedagogical practices and in the relationships between teaching and learning, requiring of us, teachers, a constant search for formation. The purpose of this text is to reflect on the subject of digital information and communication technologies in the teacher formation process and about the design of digital literacy as a resource in the mediation of teaching and learning for teachers of Portuguese language. For that, we present a qualitative research, based on a bibliographical reflection, taking as theoretical contribution the studies of Castells and Cardoso (2005), by Coscarelli (2016), regarding digital technologies, as well as Soares’s researches (2012) and Xavier (2005) on digital literacy. The studies point to the improvement in the initial and continuing training of teachers, in the case of Portuguese-speaking teachers, in order to offer and experience literacy situations digitally inside and outside classrooms.

KEYWORDS: digital literacy; Digital Information and Communication Technologies; Portuguese teacher education; teacher education.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edmilson Francisco, UFLA - Universidade Federal de Lavras
Mestre em Educação pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) (2019), Graduado em LETRAS pelo CENTRO UNIVERSITARIO DE LAVRAS - UNILAVRAS (2000), graduado em FILOSOFIA pela UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI/MG(2009), CURSO TÉCNICO EM PROCESSAMENTO DE DADOS pela ESCOLA DA COMUNIDADE JUVENTINO DIAS-CENEC/LAVRAS/MG, Especialista em UEI (Uso Educacional da Internet), pela UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS(2014). Atualmente sou PROFESSOR DE INGLÊS E PORTUGUÊS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE LAVRAS/MG
Helena Maria Ferreira, UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Possui graduação em Letras pelo Centro Universitário de Patos de Minas (1993), graduação em Letras (Português/Espanhol) pela Universidade de Uberaba (2010) e graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Uberlândia (2013). Possui Curso de Especialização em Linguística pelo Centro Universitário de Patos de Minas, Mestrado em Linguística pela Universidade Federal de Uberlândia (1998) e doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2008). Foi professora de Educação Básica nas redes municipal e estadual e coordenadora de área de Português pela Prefeitura Municipal de Patos de Minas (1991 a 2000). Atuou como professora (1998 a 2010) e como Coordenadora de Extensão no Centro Universitário de Patos de Minas (2001 a 2010). Atualmente, é professora adjunta da Universidade Federal de Lavras. Foi coordenadora do Curso de Letras -modalidade presencial - (2012-2016). É coordenadora de área do Projeto Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID - CAPES), pelo Curso de Letras/ UFLA. É integrante do GT Formação em Educadores na Linguística Aplicada (ANPOLL). Coordena o grupo de estudos e pesquisa Textualiza (Textualidades em Gêneros Multissemióticos e Formação de Professores de Língua Portuguesa. É vice-líder do grupo Grupo de Estudos Discursivos sobre o Círculo de Bakhtin. Atua como coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação - modalidade mestrado profissional (PPGE/UFLA). Tem interesse na área de Linguística, com ênfase em Aquisição da Linguagem, Leitura/Escrita de textos multissemióticos, Textualização de produções multissemióticas, Ensino de Língua Portuguesa, Linguagens e Formação de professores.
Ilsa do Carmo Vieira Goulart, Universidade Federal de Lavras
Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (2013). Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (2009), na Área: Educação, Conhecimento, Linguagem e Arte. Especialista em Psicopedagogia pela UCB (2005). Graduada em Letras, pela Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí (1997). Professora Ajunto A, classe A, do Departamento e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Lavras. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino-Aprendizagem, atuando principalmente nos seguintes temas: história da literatura didática brasileira, cultura material escolar, leitura, livro, leitor, alfabetização e práticas de leitura. Coordenadora Adjunta do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Lavras. Coordenadora do Núcleo de Estudos em Linguagens, Leitura e Escrita (NELLE) e do Grupo de Pesquisa Linguagem, Leitura e Cultura Escrita, da Universidade Federal de Lavras.

Referências

ARAÚJO, V.; GLOTZ, R. O Letramento digital enquanto instrumento de inclusão social e democratização do conhecimento: desafiosatuais. Revista Paidéi@, Unimes Virtual, v. 2, n. 1, jun. 2009.

BIZZO, N. Ciências: fácil ou difícil. Ed. Ática, São Paulo, SP, 1998.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Secretaria de Educação Básica. Brasília: MEC/SEB, 2017.

CAMPOS, C. M. Saberes docentes e autonomia dos professores. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTELLS, M. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Tradução Maria Luiza X. de A. Borges; Revisão Paulo Vaz. Rio de Janeiro: Zahar, 2003. Disponível em: https://zahar.com.br/sites/default/files/arquivos/trecho_-_a_galaxia_da_internet.pdf. Acesso em: 13 maio 2019.

CASTELLS, M.; CARDOSO, G. A sociedade em rede: do conhecimento à ação política. Conferência. Belém (Por): Imprensa Nacional, 2005. Disponível em: http://www.egov.ufsc.br/portal/conteudo/sociedade-em-rede-do-conhecimento-%C3%AOac%C3%A7%C3%A3o-pol%C3%ADtica. Acesso em: 13 maio 2019.

COSCARELLI, C. V. (org.). Tecnologias para aprender. 1. Ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2016.

COSTA VAL, M. G. Texto, textualidade e textualização. In: CECCANTINI, J. L. T.; PEREIRA, R. F.; ZANCHETTA JR., J. Pedagogia cidadão – cadernos de formação. Vol. I: Língua portuguesa. São Paulo: UNESP, Pró-Reitoria de Graduação, p. 113-128, 2004.

REINALDO FILHO, D. Problemas decorrentes do uso de hiperlinks. Revista CEJ, Brasília, v. 6, n. 19, p. 15-23, out./dez. 2002.

FONSECA, A. F., ALQUERÉS H. Um novo olhar. Revista Educação. Editora Segmento. Ano 12, nº 143, p. 178, 2009.

FREIRE, P. A educação na cidade. São Paulo: Cortez Editora, 1991.

FREITAS, M. T. A. Letramento digital e formação de professores. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 26, n. 3, p. 335-352, Dez. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982010000300017. Acesso em: 12 maio 2019.

FUZA, A. F. O conceito de leitura na Prova Brasil. 2010. 116 f. Dissertação (Mestrado em Letras), Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2010.

GHEDIN, E. Teorias Psicopedagógicas do Ensino Aprendizagem. Boa Vista: UERR Editora, 2012, p. 19-20. Disponível em: http://www.nelsonreyes.com.br/Teorias_Psicopedagogicas_Evandro_Ghedin.pdf. Acesso em: 17 out. 2019.

LEMOS, A. L. M. Anjos interativos e retribalização do mundo. Sobre interatividade e interfaces digitais, 1997. Disponível em: http://www.facom.ufba.br/pesq/cyber/lemos/interac.html. Acesso em: 12 fev. 2019.

LEU. D. J. et al. The New Literacies of On-Line Research and Comprehension: Assessing and Preparing Students for the 21st Century with Commons Core State Standards. In: LEU, D.; SENDRANSK, N. Quality Reading Instruction in the Age of Common core Standars. Newwake: International Reading Association, 2013. p. 219-235.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999. LÜCK, H. Pedagogia interdisciplinar: fundamentos teórico-metodológicos. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 1994, p. 30.

OLIVEIRA, M. K. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento, um processo sócio-histórico. São Paulo, Scipione, 1997.

PEIXOTO, J.; ARAÚJO, C. H. S. Tecnologia e Educação: algumas considerações sobre o discurso pedagógico contemporâneo. Educ. Soc., Campinas, v. 33, 118, p. 253-268, jan.- mar. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v33n118/v33n118a16.pdf. Acesso em: 15 mar. 2019.

RIBEIRO, A. E; NOVAIS, A. E. C. (org.). Letramento digital em 15 cliques. 1. ed. Belo Horizonte: RHJ, 2012. v. 1.

RODRIGUES, A. Z. A utilização das tecnologias de informação e comunicação – TICs no processo de ensino-aprendizagem. Congresso Nacional de Educação. III CONEDU – Natal/RN. 2016. Anais… 2016. Disponível em: http://www.editorarealiza.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV056_MD1_SA19_ID8895_17082016120256.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.

SELFE, C. L. A New Literacy Agenda and Its Challenges. In. Technology and literacy in the twenty-first century: the importance of paying attention. In: The Conference on College Composition and Communication of the National Council of Teacher of English, United States of America. 1999. p. 2-39.

SERIM, F. The importance of contemporary literacy in the digital age: a response to digital transformation: a framework for information communication technologies (ICT) literacy. Mensagem postada em The Big 6: information skills for student achievement em 10 mai. 2002. Disponível em: http://web.british.edu.uy/Senior_Library/LibraryInfo/recommendations/contemporary_literacy.htm. Acesso em: 12 maio 2019.

SERRES, M. Polegarzinha: uma nova forma de viver em harmonia, de pensar as instituições, de ser e de saber. Tradução Jorge Bastis. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 2012.

SILVA, S. P. Pedagogia da leitura: o que mudou nos últimos trinta anos? Revista Querubim, n. 21, p. 130-137, 2013.

SILVEIRA, S. A. Exclusão digital: a miséria na era da informação. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2001.

SOARES, M. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81 p. 143-160, dez. 2002.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 3º ed., Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012.

SOUZA, V. V. S. Letramento digital e formação de professores. Revista Língua Escrita, n. 2, p. 55-69, dez. 2007.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins fontes, 1984.

XAVIER, A. C. S. Letramento digital e ensino. In: SANTOS, C. F.; MENDONÇA, M. (org.). Alfabetização e letramento: conceito e relações. Belo Horizonte: Autêntica, 2005, p. 133- 148.

Publicado
2019-12-23
Como Citar
Francisco, E., Ferreira, H. M., & Goulart, I. do C. V. (2019). Letramento digital: do uso das tecnologias digitais à formação dos professores de língua portuguesa, o que se discute sobre isso? . Texto Livre: Linguagem E Tecnologia, 12(3), 109-127. https://doi.org/10.17851/1983-3652.12.3.109-127
Seção
Educação e Tecnologia