A intertextualidade em hipertextos

uma análise de tweets de cunho didático

Autores

  • Ana Claudia Oliveira Azevedo Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, Bahia, Brasil https://orcid.org/0000-0002-8729-6515
  • Márcia Helena de Melo Pereira Departamento de Estudos Linguísticos e Literários, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, Bahia, Brasil http://orcid.org/0000-0002-3663-3462

DOI:

https://doi.org/10.35699/1983-3652.2021.32557

Palavras-chave:

Hipertexto, Intertextualidade, Tweet, Twitter

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar diferentes categorias do fenômeno de intertextualidade em tweets de cunho didático. O termo “intertextualidade”, que está relacionado ao conceito bakhtiniano de dialogismo, vem da teoria literária e é usado para se referir ao diálogo entre textos, tanto em sentido restrito quanto em sentido amplo. Trata-se de um aspecto comum a todos os textos, inclusive nos textos da internet, isto é, nos hipertextos, caracterizados, dentre outros aspectos, por um alto grau de multimodalidade. Neste artigo, foram observadas os tipos de intertextualidade elencados por Koch, Bentes e Cavalcante (2012) em quatro (hiper)textos do gênero tweet que abordam conteúdos didáticos de diferentes áreas do conhecimento — Ciências Naturais, Ciências Humanas, Linguagens e Matemática —, coletados por meio de capturas de tela. A análise mostrou que diversas categorias de intertextualidade ocorrem produtivamente em (hiper)textos do gênero tweet, o que confirma o pressuposto de que esse fenômeno é constitutivo da linguagem. Além disso, constatou-se que a intertextualidade se dá não apenas a nível verbal, considerando que o tweet, por ser um hipertexto, permite a convergência de linguagens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Claudia Oliveira Azevedo, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, Bahia, Brasil

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Línguística (PPGLin) da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB (2020-2022), com bolsa Fapesb, sob a orientação da Professora Doutora Márcia Helena de Melo Pereira. Licenciada em Letras Modernas (Português, Inglês e respectivas literaturas) pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB (2019). Foi bolsista Fapesb (2018-2019) e voluntária (2016-2018) de Iniciação Científica no projeto de pesquisa A relação entre estilo e gênero vista sob a perspectiva processual: desvendando segredos da criação, coordenado pela Professora Doutora Márcia Helena de Melo Pereira. Tem experiência na área de Linguística Textual, com foco em gêneros discursivos digitais, hipertexto, letramento acadêmico e dados processuais. 

Márcia Helena de Melo Pereira, Departamento de Estudos Linguísticos e Literários, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, Bahia, Brasil

É doutora em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas, onde também realizou o curso de mestrado em Linguística Aplicada. Atualmente, é professora titular do Departamento de Estudos Linguísticos e Literários da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e docente do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGLin-UESB), campus de Vitória da Conquista, atuando na área de Linguística de Texto. Desenvolve, atualmente, projeto de pesquisa sobre processo de construção de textos, gênese de textos, relação entre estilo individual e estilo de gênero, gêneros digitais, crítica genética, autoria e ensino de texto.

Referências

ARAÚJO, Júlio César; LOBO-SOUSA, Ana Cristina. Considerações sobre a intertextualidade no hipertexto. Linguagem em (Dis)curso, v. 9, n. 3, p. 565–584, out. 2009. Disponível em: http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Linguagem_Discurso/article/view/429. Acesso em: 13 ago. 2021.

AZEVEDO, Ana Claudia Oliveira; PEREIRA, Márcia Helena de Melo; GUERRA, Filipe Santos. Estratégias de adequação estrutural no twitter: ajustes hipertextuais ao limite de 280 caracteres. Anais do Encontro Virtual de Documentação em Software Livre e Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online, v. 9, n. 1, nov. 2020. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/anais_linguagem_tecnologia/article/view/17713. Acesso em: 13 ago. 2021.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In: Estética da criação verbal. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2011. p. 261–306.

BARTH, Pedro Afonso. Letramento digital no ensino de língua materna: uma análise sobre twitter. 2014. Monografia (Especialização em Língua Portuguesa) – Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo.

BEZERRA, Paulo. Prefácio: uma obra à prova do tempo. In: Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução: Paulo Bezerra. 5 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2018. p. v–xxii.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2018.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães; FARIA, Maria da Graça dos Santos; CARVALHO, Ana Paula Lima de. Sobre intertextualidades estritas e amplas. Revista de Letras, v. 2, n. 36, 2017. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/revletras/article/view/31250. Acesso em: 14 ago. 2021.

FOGAÇA, Jennifer. Gases Nobres. Elementos da família dos gases nobres. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/gases-nobres.htm. Acesso em: 15 ago. 2021.

FREITAS, Ernani Cesar; BARTH, Pedro Afonso. Gênero ou suporte? O entrelaçamento de gêneros no Twitter. Revista (Con)Textos Linguísticos, v. 9, n. 12, p. 8–26, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/index.php/contextoslinguisticos/article/view/8888. Acesso em: 13 ago. 2021.

GARCIA, Carlos Eduardo Nunes. Intertextualidade multimodal. Diacrítica, v. 34, n. 1, p. 122–134, abr. 2020. DOI: 10.21814/diacritica.352. Disponível em: http://diacritica.ilch.uminho.pt/index.php/dia/article/view/352. Acesso em: 14 ago. 2021.

KOCH, Ingedore G. Villaça; BENTES, Anna Christina; CAVALCANTE, Mônica Magalhães. Intertextualidade: diálogos possíveis. São Paulo: Cortez, 2012.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Intertextualidade e polifonia: um só fenômeno? DELTA. Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, v. 7, n. 2, p. 529–541, 1991.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça; TRAVAGLIA, Luiz Carlos. A coerência textual. 18 ed. São Paulo: Ed. Contexto, 2015. (Repensando a língua portuguesa).

KRISTEVA, Julia. Introdução a semanálise. 2ª edição. São Paulo: Perspectiva, 2005.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros Textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, Ângela Paiva; BEZERRA, Maria Auxiliadora; MACHADO, Anna Rachel (Org.).Gêneros Textuais & Ensino. São Paulo:Parábola Editorial, 2010. p. 19–38.

MOZDZENSKI, Leonardo. Intertextualidade verbo-visual: como os textos multissemióticos dialogam? Bakhtiniana: Revista de Estudos do Discurso, v. 8, n. 2, p. 177–201, dez. 2013. DOI: 10.1590/S2176-45732013000200011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732013000200011&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 14 ago. 2021.

PEDROSA, Cleide Emília Faye. “Frases”: caracterização do gênero e aplicação pedagógica. In: DIONISIO, Ângela Paiva; BEZERRA, Maria Auxiliadora; MACHADO, Anna Rachel (Ed.). Gêneros Textuais & Ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2010. p. 163–178.

ROJO, Roxane; BARBOSA, Jacqueline Peixoto. Hipermodernidade, Multiletramentos e Gêneros Discursivos. Edição: Marcos Marcionilo. 1ª edição. São Paulo: Parábola, 2015.

STURM, Luciane. O Gênero mapa mental e o letramento do professor de línguas. Revista Linguagem & Ensino, v. 22, n. 3, p. 689–709, out. 2019. DOI: 10.15210/rle.v22i3.16667. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/rle/article/view/16667. Acesso em: 14 ago. 2021.

TESTA, Luana Fossatti. Uma análise dialógica do discurso sobre o trabalho docente no gênero meme. Fev. 2020. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco. Acesso em: 14 ago. 2021.

XAVIER, Antonio Carlos. Desafio do hipertexto e estratégias de sobrevivência do sujeito contemporâneo (Challenge hypertext and survival strategies of the subject of contemporary). Estudos da Língua(gem), v. 13, n. 2, p. 73–90, dez. 2015. DOI: 10.22481/el.v13i2.1302. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1302. Acesso em: 14 ago. 2021.

Downloads

Publicado

2021-08-18

Como Citar

AZEVEDO, A. C. O.; PEREIRA, M. H. de M. A intertextualidade em hipertextos: uma análise de tweets de cunho didático. Texto Livre: Linguagem e Tecnologia, Belo Horizonte-MG, v. 14, n. 3, p. e32557, 2021. DOI: 10.35699/1983-3652.2021.32557. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/32557. Acesso em: 27 nov. 2021.