Situação de saúde bucal de adolescentes internados em unidades socioeducativas de Belo Horizonte

  • Daniella Borges Machado
  • Mauro Henrique Nogueira Guimarães de Abreu Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG
  • Andréa Maria Duarte Vargas Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG

Resumo

Este estudo objetivou relacionar a saúde bucal dos adolescentes de unidades socioeducativas de Minas Gerais com os dados sócio demográficos desse grupo. Participaram 183 adolescentes de três unidades de internação pertencentes a Subsecretaria de Atendimento Socioeducativo de Minas Gerais na cidade de Belo Horizonte. O exame bucal foi realizado pela pesquisadora principal nos próprios locais de internação. Os códigos utilizados para classificação da saúde bucal foram os mesmos utilizados pela Secretaria Municipal de Belo Horizonte. Os resultados mostraram que os adolescentes em situação de privação de liberdade
apresentaram-se em sua maioria livres das doenças cárie e periodontal (61,0%). Os dados sócio demográficos apresentaram pouca relação com a presença das doenças em questão.
Descritores: Adolescente institucionalizado. Saúde bucal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniella Borges Machado
Cirurgiã-dentista
Mauro Henrique Nogueira Guimarães de Abreu, Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG

Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Minas Gerais,
Belo Horizonte, MG, Brasil

Andréa Maria Duarte Vargas, Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG

Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Minas Gerais,
Belo Horizonte, MG, Brasil

Referências

1. Méndez EG. Infância e cidadania na América Latina. São Paulo: Hucitec; 1998.
2. Ferreira SL. Estudo comparativo sobre o adolescente autor de ato infracional no centro
(Estados Unidos da América) e na periferia (Brasil) do capitalismo. Rev Urutágua. 2007;
14:1-13.
3. Brasil. Lei 8.069, de 13 de Julho de 1990. Estatuto da criança e do adolescente. Brasília:
Ministério da Justiça. Brasília; 1991.
4. Siqueira MD. A vida escorrendo pelo ralo: as alternativas de existência dos meninos de rua.
Estud Psicol. 1996; 2:161-4.
5. Assis SG, Souza ER. Criando Caim e Abel: pensando a prevenção da infração juvenil.
Ciênc Saúde Coletiva. 1999; 4:131-44.
6. Narvai PC, Frazão P, Roncalli AG, Antunes JLF. Cárie dentária no Brasil: declínio,
polarização, iniquidade e exclusão social. Rev Panam Salud Pública 2006; 19:385-93.
7. Silva ERA, Gueresi S. Adolescentes em conflito com a lei: situação do atendimento
institucional no Brasil. Brasília: IPEA; 2003. (Texto para discussão, 979)
8. Brasil. Ministério da Saúde. Resultados iniciais do SB- Brasil. Brasília: Ministério da Saúde;
2004.
9. Borges CM, Cascaes AM, Fischer TK, Boing AF, Peres MA, Peres KG. Dor nos dentes e
gengivas e fatores associados em adolescentes brasileiros: análise do inquérito
nacional de saúde bucal SB-Brasil 2002-2003. Cad Saúde Pública, 2008; 24:1825-34.
10. Rangel H. Estratégias sociais e educação prisional na Europa: visão de conjunto e
reflexões. Rev Bras Educ. 2007; 12:81-93.
11. Feijó MC, Assis SG. O contexto de exclusão social e de vulnerabilidades de jovens
infratores e de suas famílias. Estud Psicol. 2004; 9:157-66.
12. Peres KGA, Bastos JRM, Latorre RDO. Severidade de cárie em crianças e relação
com aspectos sociais e comportamentais. Rev Saúde Pública. 2000; 34:402-8.
13. Souza GA, Silva AMM, Galvão R. A autoeficácia como mediadora da melhora em
índices clínicos de saúde oral. Pesqui Odontol Bras. 2002; 16:57-62.
14. Teixeira JAC. Psicologia da Saúde. Anál Psicol. 2004; 3:441-8.
15. Carvalho MJL. Jovens, espaços, trajectórias e delinquências. Sociologia, Problemas e Práticas. 2005; 49:71-93.
16. Kaminer Y, Szobot CO. Tratamento de adolescentes com transtornos por uso de
substâncias psicoativas. In: Pinsky L, Bessa MA, organizadores. Adolescência e drogas.
17. Jesus DE. Título I: da aplicação da lei penal. In: Jesus DE. Código penal anotado. 6.ed. São
Paulo: Saraiva; 1999. p.1-29.
18. Raupp L, Milnitsky-Sapiro C. Reflexões sobre concepções e práticas contemporâneas das
políticas públicas para adolescentes: o caso da drogadição. Saúde Soc. 2005; 14:60-8.
19. Mager M, Silvestre E. Mitos e verdades sobre o estatuto da criança e do adolescente. In:
Pinsky L, Bessa MA, organizadores. Adolescência e drogas. São Paulo: Contexto; 2004. p.79-91.
Publicado
2016-05-10
Como Citar
Machado, D. B., Abreu, M. H. N. G. de, & Vargas, A. M. D. (2016). Situação de saúde bucal de adolescentes internados em unidades socioeducativas de Belo Horizonte. Arquivos Em Odontologia, 46(3). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3541
Seção
Artigos

Most read articles by the same author(s)