Determinantes clínicos e sócio-comportamentais da cárie dentária nas dentições decídua e permanente em município com concentração ótima de fluoreto na água

  • Danilo Bonadia Catani Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
  • Silvia Cypriano Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC CAMP
  • Maria da Luz Rosário de Sousa Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Resumo

O objetivo deste estudo foi verificar a prevalência de lesões e atividade de cárie em escolares residentes em um município com concentração ótima de fluoreto na água e investigar os possíveis fatores associados. A amostra foi composta por 603 escolares, sendo 315 de 5 anos e 288 de 12 anos. As prevalências de lesões e atividade de cárie foram quantificadas de acordo com os critérios da OMS e de Nyvad, respectivamente. Variáveis sócio-demográficas e questões sobre saúde bucal foram investigadas através de um questionário enviado aos pais/responsáveis. Associações foram verificadas por meio de um modelo hierárquico de análise estatística baseado num quadro teórico de ocorrência de cárie. Aos 5 anos, o ceod foi 2,63 (±3,37)
e a porcentagem de escolares com atividade de cárie foi de 62,2%. Aos 12 anos o CPOD foi igual a 2,23 (±2,57) e a porcentagem de escolares com atividade de cárie foi de 78,8%. O componente cariado foi o que apresentou maior percentual para dentições decídua e permanente. Na dentição decídua, a presença de lesões de cárie esteve associada à falta de automóvel na família (p=0,02) e à ausência de visita a cirurgiãodentista no último ano (p=0,01). Atividade de cárie, em ambas as dentições, esteve associada à ausência de
consulta a cirurgião-dentista no último ano (p=0,01). Nenhum fator esteve associado com lesões de cárie na dentição permanente. Os resultados deste estudo corroboram os relatos na literatura quanto à importância do
monitoramento constante e a influência do fator socioeconômico na presença da doença cárie em ambas as dentições.
Descritores: Cárie dentária. Epidemiologia. Flúor. Fatores socioeconômicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danilo Bonadia Catani, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Departamento de Odontologia Social, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP),
Piracicaba, SP, Brasil

Silvia Cypriano, Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC CAMP
Centro de Ciências da Vida, Faculdade de Odontologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC CAMP), Campinas,SP, Brasil
Maria da Luz Rosário de Sousa, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Departamento de Odontologia Social, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP),
Piracicaba, SP, Brasil

Referências

1. Narvai PC, Frazão P, Castellanos FRA. Declínio na experiência de cárie em dentes permanentes de escolares brasileiros no final do século XX. Odontologia e Soc. 1999; 1:25-9.
2. Couto GBL, Vasconcelos MMVB, Melo MMC, Camelo CAC, Valença PAM. Prevalência de cárie, mancha branca e placa visível em crianças
de 0 a 36 meses, assistidas pelo Programa de Saúde da Família na Cidade de Camaragibe – PE. Odontol Clín Cient. 2005; 4:19-28.
3. Bonecker M, Cleaton-Jones P. Trends in dental caries in Latin American and Caribbean 5-6 and 11-13-year-old children: a systematic review. Community Dent Oral Epidemiol. 2003; 31:152-
7.
4. Kamp AA. Well baby dental examinations: a survey of preschool children’s oral health. Pediatr Dent. 1991; 13:86-9.
5. Grytten J, Rossow I, Holst D, Steele L. Longitudinal study of dental health behaviors and other caries predictors in early childhood.
Community Dent Oral Epidemiol. 1988; 16:356- 9.
6. Cangussu MCT, Coelho EO, Castellanos FRA. Epidemiologia e iniquidade em saúde bucal aos 5, 12 e 15 anos de idade no município de Itatiba, São Paulo, 2000. Rev Fac Odontol Bauru. 2001; 9:77–85.
7. Catani DB, Amaral R, Oliveira C, Sousa MLR, Cury JA. Dez anos de acompanhamento do heterocontrole da fluoretação da água feito por
municípios brasileiros, Brasil, 1996-2006. RGO. 2008; 56:151-5.
8. Pinto VG. A odontologia do município: guia para organização de serviços e treinamento de profissionais em nível local. RGO; 1996. 253p.
9. Organização Mundial da Saúde. Levantamento epidemiológico básico de saúde bucal: manual de instruções. 3ª ed. São Paulo: Santos; 1991.
10. Word Health Organization. Bucal health surveys, basics methods. 4ªed. Geneve. 1997.
11. Nyvad B, Machiulskiene V, Baelum V. Reliability of a new caries diagnostic system differentiating between active and inactive caries lesions. Caries Res. 1999; 33:252-60.
12. Catani DB, Hugo FN, Cypriano S, Sousa MLR, Cury JA. Relação entre níveis de fluoreto na água de abastecimento público e fluorose dental. Rev Saúde Pública. 2007; 41:732-9.
13. Bastos JL, Gigante DP, Peres KG, Nedel FB. Determinação social da odontologia em estudos epidemiológicos: revisão teórica e proposta de um modelo conceitual. Ciênc Saúde Coletiva. 2007; 12:1611-21.
14. Fuchs SC, Victora CG, Fachel J. Hierarchical model: a proposal for a model to be applied in the investigation of risk factors for severe diarrhea. Rev Saúde Pública. 1996; 30:168-78.
15. Burt BA. Fluoridation and social equity. J Public Health Dent. 2002; 62:195-200.
16. Tenuta LMA, Cury JA. Fluoreto: da ciência a prática clínica. In: Assed S. Odontopediatria: bases científicas para a prática clínica. São Paulo: Artes Médicas; 2005. p.113-52.
17. Narvai PC, Castellanos FRA. Levantamento das condições de saúde bucal: estado de São Paulo, 1998 Relatório apresentado à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo como conclusão
do projeto de pesquisa. São Paulo: Núcleo de Estudos e Pesquisas de Sistemas de Saúde; 1999.
18. Tagliaferro EPS, Cypriano S, Sousa MLR, Wada RS. Caries experience among school children in relation to community fluoridation status and town. Acta Odontol Scand. 2004; 62:124-8.
19. Cortellazzi KL, Tagliaferro EPS, Assaf AV, Tafner APMF, Ambrosano GMB, Bittar TO, et al. Influência de variáveis socioeconômicas, clínicas e demográfica na experiência de cárie dentária em pré-escolares de Piracicaba, SP. Rev Bras Epidemiol. 2009; 12:490-500.
20. Narvai PC, Castellanos FRA, Frazão P. Prevalência de cárie em dentes permanentes de escolares do município de São Paulo, SP 1970-
1996. Rev Saúde Pública. 2000; 34:198-200.
21. Rihs LB, Sousa MLR, Cypriano S, Abdalla NM. Desigualdades na distribuição da cárie dentária em adolescentes de Indaiatuba (SP), 2004. Ciênc Saúde Coletiva. 2010; 15:2173-80.
22. Peres SHCS, Carvalho FS, Carvalho CP, Bastos JRM, Lauris JRP. Polarização da cárie dentária em adolescentes, na região sudoeste do Estado de São Paulo, Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2008; 13:2155-62.
23. Rihs LB, MLR, Cypriano S, Abdalla NM, Guidini DDN, Amgarten C. Atividade de cárie na dentição decídua, Indaiatuba, São Paulo, Brasil,
2004. Cad Saúde Pública. 2007; 23:593-600. 24. Ekstrand KR, Ricketts DNJ, Kidd EAM, Qvist V, Schou S. Detection, diagnosis, monitoring and logical treatment of occlusal caries in relation to lesion activity and severity: an in vivo examination with histological validation. Caries Res. 1998; 32:247–54.
25. Truin GJ, König KG, Bronkhorst EM, Farnkenmolen F, Mulder J, Van´t Hof MA. Time trends in caries experience of 6 and 12-year-old
children of different socioeconomic status. Caries Res. 1998; 32:1-4.
26. Thylstrup A, Fejerskov O. Clinical appearance and surface distribution of dental fluorosis in permanent teeth in relation to histologic changes. Community Dent Bucal Epidemiol. 1978; 6:315-
28.
27. Monteiro CA, Modini L, Costa RBL. Mudanças na composição e adequação nutricional da dieta familiar nas áreas metropolitanas do Brasil (1988-1996). Rev Saúde Pública. 2000; 34:251- 8.
28. Pinto VG. Açúcares: suas relações epidemiológicas e econômicas com a cárie dental. In: Saúde bucal coletiva. São Paulo: Santos; 2000.
29. Cury JA, Rebelo MAB, Del Bel Cury AA, Derbyshire MTVC, Tabchoury CPM. Biochemical composition and cariogenicity of
dental plaque formed in the presence of sucrose or glucose and fructose. Caries Res. 2000; 34:491- 7.
30. Majem LS, Garcia CR, Ramos JM. Dietary habits and dental caries in a population of Spanish schoolchildren with low levels of caries
experience. Caries Res. 1993; 27:488-94.
31.Peres KGA, Bastos JRM, Latorre MRDO. Severidade de cárie em crianças e relação com aspectos sociais e comportamentais. Rev Saúde Pública. 2000; 34:402-8.
Publicado
2016-05-10
Como Citar
Catani, D. B., Cypriano, S., & Sousa, M. da L. R. de. (2016). Determinantes clínicos e sócio-comportamentais da cárie dentária nas dentições decídua e permanente em município com concentração ótima de fluoreto na água. Arquivos Em Odontologia, 46(4). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3546
Seção
Artigos

Most read articles by the same author(s)