Acesso a serviços odontológicos e auto-percepção da saúde bucal em adolescentes, adultos e idosos

  • Cristina Gibilini Universidade Estadual de Campinas -Unicamp
  • Cláudia Elisa de Campos Esmeriz Universidade Estadual de Campinas -Unicamp
  • Luciana Fernandes Volpato Universidade Estadual de Campinas -Unicamp
  • Zuleica Maria de Almeida Pedroso Meneghim Universidade Estadual de Campinas -Unicamp
  • Débora Dias da Silva Universidade de São Paulo - USP
  • Maria da Luz Rosário de Sousa Universidade Estadual de Campinas -Unicamp

Resumo

Conhecer e identificar as condições e a auto-percepção da saúde bucal dos indivíduos contribui favoravelmente para o planejamento e implementação de ações e programas. O objetivo deste trabalho foi descrever a experiência de cárie, condições de acesso a serviços odontológicos no Estado de São Paulo,
e verificação da auto-percepção da saúde bucal de adolescentes, adultos e idosos, associada às condições clínicas encontradas. Um total de 1824 adolescentes (15 a 19 anos), 1612 adultos (35 a 44 anos) e 781 idosos (65 a 74 anos) participaram deste estudo. Os exames odontológicos foram realizados em domicílios, seguindo critérios da Organização Mundial de Saúde. As informações sobre acesso a serviços e autopercepção foram obtidas por meio de entrevistas. Os dados foram descritos e analisados com uso do teste Qui-quadrado, com 95% de confiança. O índice CPOD correspondeu a 28,6 para os idosos, 20,9 para os adultos e 6,5 para os adolescentes. Quanto ao acesso aos serviços odontológicos e tempo da última visita ao dentista, a maior freqüência foi há menos de 1 ano para adolescentes (60,1%) e adultos (47,9%), e há mais de 3 anos (58,5%) para idosos. Os adolescentes com menos experiência de cárie, ou seja, com CPOD abaixo da média, representaram 54,8%; a proporção de adultos com 20 ou mais dentes presentes foi de 64,3% e a prevalência de idosos edêntulos foi de 59,9%. A auto-percepção foi semelhante entre os grupos; com exceção
dos idosos. A auto-percepção apresentou dados positivos para os adolescentes e adultos que apresentaram condições clínicas mais favoráveis. Diante destes resultados, torna-se necessária a implantação de ações
de programas efetivos para educação e prevenção, com enfoque na manutenção dos dentes para adultos e idosos. Para adolescentes, há necessidade de controle e manutenção da saúde bucal para que futuramente
estes apresentem melhores condições de saúde bucal que as encontradas dentre os adultos e idosos.
Descritores: Assistência odontológica. Odontologia em saúde pública. Saúde bucal. Epidemiologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristina Gibilini, Universidade Estadual de Campinas -Unicamp

Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Piracicaba, SP, Brasil

Cláudia Elisa de Campos Esmeriz, Universidade Estadual de Campinas -Unicamp
Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Piracicaba, SP, Brasil
Luciana Fernandes Volpato, Universidade Estadual de Campinas -Unicamp
Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Piracicaba, SP, Brasil
Zuleica Maria de Almeida Pedroso Meneghim, Universidade Estadual de Campinas -Unicamp
Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Piracicaba, SP, Brasil
Débora Dias da Silva, Universidade de São Paulo - USP
Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Faculdade de Odontologia, Universidade de São Paulo (USP), SP, Brasil
Maria da Luz Rosário de Sousa, Universidade Estadual de Campinas -Unicamp

Departamento de Odontologia Social, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Piracicaba,
SP, Brasil

Referências

1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção a Saúde. Departamento de Atenção Básica. Projeto SB Brasil 2003: condições de saúde bucal da população brasileira 2002-2003: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.
2. Pinheiro RS, Torres TZG. Access to oral health services between Brazilian States. Ciênc Saúde Coletiva. 2006; 11:999-1010.
3. Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. 2004 [acesso em 2008 mai 20]. Disponível em: www.saude.gov.br/bucal
4. Silva SRC, Castellanos FRA. Autopercepção das condições de saúde bucal por idosos. Rev Saúde Pública. 2001; 35:349-55.
5. Nickel DA, Lima FG, Silva BB. Dental care models in Brazil. Cad Saúde Pública. 2008;24:241-6.
6. World Health Organization. Oral health surveys: basic methods. 4ªed. Geneva. 1997.
7. Mascarenhas, AK. A comparison of oral health in elderly populations seeking and not seeking dental care. Spec Care Dent. 1999; 19:248-53.
8. Matthias, RE, Atchison, KA, Lubben, JE, De Jong, F, Scheweitzer, SO. Factors affecting selfratings of oral health. J Public Health Dent. 1995; 55:197-204.
9. São Paulo. Secretaria de Estado da Saúde de SãoPaulo. Centro Técnico de Saúde Bucal: condições de saúde bucal no estado de São Paulo em 2002. São Paulo: Secretaria do Estado de São Paulo;
2002.
10. Organização Pan-Americana da Saúde/Ministério da Saúde. Unidade Técnica de Desenvolvimento de Sistemas e Serviços de Saúde/ Coordenação Nacional de Saúde Bucal. A Política Nacional de
Saúde Bucal do Brasil: registro de uma conquista histórica. (Série Técnica: Desenvolvimento de Sistemas e Serviços de Saúde). Brasília,
2006 [acesso em 2006 mai 15]. Disponível em: http://dtr2004.saude.gov.br/dab/saudebucal/ publicacoes/serie_tecnica_11_port.pdf.
11. Colussi CF, Freitas SFT. Aspectos epidemiológicos da saúde bucal do idoso no Brasil. Cad Saúde Pública. 2002; 18:1313-20.
12. Moreira RS, Nico LS, Tomita NE, Ruiz T. Oral health of Brazilian elderly: a systematic review of epidemiologic status and dental care access. Cad Saúde Pública. 2005;21:1665-75.
13. Lisboa IC, Abbeg C. Hábitos de higiene bucal e uso de serviços odontológicos por adolescentes e adultos no Município de Canoas, Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Epidemiol Serv Saúde.
2006; 15: 29-39.
14. Matos DL, Lima-Costa MF. Self-rated oral health among Brazilian adults and older adults in Southeast Brazil: results from the SB-Brasil
Project, 2003. Cad Saúde Pública. 2006; 22:1699- 707.
15. Martins AM, Barreto SM, Pordeus IA. Characteristics associated with use of dental services by dentate and edentulous elders: the SB
Brazil Project. Cad Saúde Pública. 2008;24:81- 92.
16. Martins AMEBL, Barreto SM, Pordeus IA. Objective and subjective factors related to selfrated oral health among the elderly. Cad. Saúde
Pública. 2009; 25: 421-35.
17. Araújo CS, Lima RC, Peres MA, Barros AJ. Utilização de serviços odontológicos e fatores associados; um estudo de base populacional no Sul do Brasil. Cad Saúde Pública. 2009; 25:1063-72.
18. Baldani MH, Brito WH, Lawder, JAC, Mendes YBE, Silva FFM, Antunes JLF. Determinantes da utilização de serviços odontológicos PR adultos e idosos de baixa renda. Rev Bras Epidemiol. 2010; 13: 150-62.
19. Barbato PR, Peres MA. Perdas dentárias em adolescentes brasileiros e fatores associados: estudo de base populacional. Rev Saúde Publica. 2009, 43:13-25.
20. Matos DL, Lima-Costa MF, Guerra HL, et al. Bambuí project: an evaluation of private, public and unionized dental services. Rev Saúde Pública. 2002; 36:237-43.
21. Andersen RM. Revisiting the behavioral model and access to medical care: does it matter? J Health Soc Behav. 1995; 36:1-10.
22. De Paula ACF, Ferreira RC, Neto JFR, De Paula AMB. Percepção dos usuários do Sistema Único de Saúde de Montes Claros/MG quanto à saúde bucal e ao serviço público odontológico. Arq
Odontol. 2009; 45: 199-205.
Publicado
2016-05-10
Como Citar
Gibilini, C., Esmeriz, C. E. de C., Volpato, L. F., Meneghim, Z. M. de A. P., Silva, D. D. da, & Sousa, M. da L. R. de. (2016). Acesso a serviços odontológicos e auto-percepção da saúde bucal em adolescentes, adultos e idosos. Arquivos Em Odontologia, 46(4). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3548
Seção
Artigos

Most read articles by the same author(s)