Cuidados odontológicos e fatores associados em escolares do município de Indaiatuba-SP

Autores

  • Regiane Cristina do Amaral Pontifica Universidade Católica de Campinas
  • Marília Jesus Batista Pontifica Universidade Católica de Campinas
  • Silvia Cypriano Pontifica Universidade Católica de Campinas
  • Maria da Luz Rosário de Sousa Pontifica Universidade Católica de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.7308/aodontol/2013.49.1.06

Resumo

Objetivo: Avaliar os cuidados odontológicos bem como fatores associados em escolares de 12 anos de idade, residentes em Indaiatuba-SP. Materiais e Métodos: Estudo transversal realizado a partir de um levantamento epidemiológico de saúde bucal em 151 estudantes provenientes de amostra probabilística por conglomerado e ponderada de escolas públicas e particulares, utilizando critérios da OMS. A amostra foi examinada quanto à experiência de cárie (CPOD), por quatro dentistas, treinados e calibrados, atingindo níveis de concordância aceitáveis para a coleta dos dados. Foi aplicado um questionário para obtenção de dados sociodemográficos. O índice de cuidados odontológicos foi calculado a partir da razão O/CPO multiplicado por 100. O último quartil (75%) foi a variável dependente deste estudo: os que apresentaram maior cuidado odontológico (O/CPO≥91%) e menor cuidado odontológico (< 91%). Foram realizadas análises bivariadas,
sendo incluídas no modelo as variáveis com p≤0,25 para análise de Regressão de Poisson. Resultados: Das 151 crianças examinadas, 52,3% (n=79) apresentavam-se livres de cárie, sendo o CPOD de 1,56 (±2,1). No
município a média do índice de cuidados odontológicos foi de 47,3%. Foram associados ao maior índice de cuidados odontológicos: procurar o dentista motivado por rotina (RP=2,32; IC 95%=1,29–4,19), utilizar
serviço odontológico diferente do público (RP=2,37; IC 95%=1,11-5,48) e apresentar renda familiar mais alta (RP=2,68; IC95%= 2,10 - 7,66) após o ajuste do modelo de regressão. Conclusão: Os fatores renda, tipo de
serviço odontológico e motivo da consulta odontológica foram associados ao maior cuidado odontológico.
Descritores: Assistência odontológica para crianças. Saúde bucal. Epidemiologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Regiane Cristina do Amaral, Pontifica Universidade Católica de Campinas

Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Universidade Estadual de Campinas (FOPUNICAMP), Campinas, SP, Brasil

Marília Jesus Batista, Pontifica Universidade Católica de Campinas

Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Universidade Estadual de Campinas (FOPUNICAMP), Campinas, SP, Brasil

Silvia Cypriano, Pontifica Universidade Católica de Campinas

Faculdade de Odontologia da Pontifica Universidade Católica de Campinas, Campinas, SP, Brasil.

Maria da Luz Rosário de Sousa, Pontifica Universidade Católica de Campinas

Departamento de Odontologia Social e Preventiva, Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Universidade Estadual de Campinas (FOPUNICAMP), Campinas, SP, Brasil

Referências

1. Ministério da Saúde. SB Brasil 2010 nota a imprensa [Internet].[acesso em 2011 nov 21] Disponível em: http://www.mrchip.com.br/
mrchip/angelo/SBBrasil 2010_Nota_Imprensa. pdf.
2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Infográficos. [Internet].[acesso em 2011 junho 21] Disponível em: http://www.ibge.gov.br/ cidadesat/painel/painel.php?codmun=352050.
3. Secretaria do Estado da Saúde; Direção Regional de Saúde de Campinas. Levantamento epidemiológico em saúde bucal: estado de São Paulo– DIR XII. Campinas: 1998.
4. Antunes JL, Peres MA, Jahn GM, Levy BB. The use of dental care facilities and oral health: a multilevel approach of schoolchildren in
the Brazilian context. Oral Health Prev Dent. 2006;4(4):287-94.
5. Alves LS, Damé-Teixeira N, Susin C, Maltz M. Association among quality of life, dental caries treatment and intraoral distribution in 12-year-old South Brazilian schoolchildren. Community Dent Oral Epidemiol. No prelo 2012.
6. World Health Organization. Oral health surveys, basic methods. 4nd ed. Geneve: WHO; 1997.
7. Moraes JFD, Souza VBA. Fatores associados ao envelhecimento bem-sucedido de idosos socialmente ativos da região metropolitana de
Porto Alegre. Rev Bras de Psiquiatr. 2005; 27: 302-8.
8. Rihs LB, Sousa MLR, Cypriano S, Abdalla NM. Desigualdades na distribuição da cárie dentária em adolescentes de Indaiatuba (SP), 2004. Ciên Saúde Coletiva. 2010; 15: 2173-80.
9. Antunes JLF. Construção e significado dos indicadores de saúde. In: Botazzo C; Oliveira MA. Organizadores. Atenção básica no Sistema
Único de Saúde: abordagem interdisciplinar para os serviços de saúde bucal. São Paulo: Páginas & Letras; 2008. p. 113-22.
10. Antunes JL, Narvai PC, Nugent ZJ. Measuring inequalities in the distribution of dental caries. Community Dent Oral Epidemiol. 2004 ;32:41-8.
11. Piovesan C, Mendes FM, Antunes JLF, Ardenghi TM. Inequalities in the distribution of dental caries among 12-year-old brazilian schoolchildren. Braz Oral Res. 2011;25:69-75.
12. Traebert J, Jinbo Y, de Lacerda JT. Association between maternal schooling and caries prevalence: a cross-sectional study in southern
Brazil. Oral Health Prev Dent. 2011; 9 (1):47-52

Downloads

Publicado

2016-06-10

Como Citar

Amaral, R. C. do, Batista, M. J., Cypriano, S., & Sousa, M. da L. R. de. (2016). Cuidados odontológicos e fatores associados em escolares do município de Indaiatuba-SP. Arquivos Em Odontologia, 49(1). https://doi.org/10.7308/aodontol/2013.49.1.06

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)