A Odontologia no contexto do Sistema Único de Saúde de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil

Autores

  • Mânia de Quadros Coelho Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Simone de Melo Costa Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Daniella Reis Barbosa Martelli Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Hercílio Martelli Junior Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Paulo Rogério Ferreti Bonan Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Sâmia Francy Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Resumo

Objetivo: Identificar o perfil do cirurgião-dentista e verificar o exercício profissional na Atenção Primária à Saúde (APS), no âmbito do SUS de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Materiais e Métodos: O desenho do estudo foi o quantitativo transversal e descritivo-analítico realizado com 94 cirurgiões-dentistas do setor público municipal de Montes Claros. Para a coleta de dados utilizou-se questionário estruturado abordando variáveis de perfil e exercício profissional na APS. Os dados foram analisados através do SPSS,
versão 17, e apresentados por meio da estatística descritiva (distribuições absolutas e percentuais). As análises bivariadas foram feitas com o uso do teste do Qui-quadrado, empregando-se um nível de significância de
5%. Resultados: A maior parte dos entrevistados era mulher (61,7%), pessoas com idade entre 25 e 34 anos (40,4%), formados há menos de 10 anos (36,2%) e que trabalhavam na ESF (47,9%). A percepção
do SUS foi majoritariamente positiva, como principio norteador de políticas de saúde (85,2%). Atividades de caráter assistencial, gerencial e multiprofissional, tanto individuais como coletivas, foram relatadas
pelos pesquisados. A maioria não apresentou dificuldades no exercício de suas funções. Conclusões: As competências essenciais para operacionalização do SUS na área da odontologia provocaram mudanças no serviço, no entanto, dificuldades não foram apresentadas para o exercício das funções, uma vez que a grande maioria relatou já ter feito treinamento em serviço e ter formação recente.
Descritores: Saúde pública. Recursos humanos. Odontologia. Força de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mânia de Quadros Coelho, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Departamento de Odontologia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros, MG, Brasil

Simone de Melo Costa, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Departamento de Odontologia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros, MG, Brasil

Daniella Reis Barbosa Martelli, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Departamento de Odontologia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros, MG, Brasil

Hercílio Martelli Junior, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Departamento de Odontologia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros, MG, Brasil

Paulo Rogério Ferreti Bonan, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Departamento de Odontologia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros, MG, Brasil

Sâmia Francy, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Departamento de Odontologia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros, MG, Brasil

Referências

1. Brasil. Fundação Nacional de Saúde. Saúde dentro de casa: Programa Saúde da Família. Brasília: Fundação Nacional de Saúde; 1994.
2. Narvai PC. Recursos humanos para promoção da saúde bucal. In: Kriger L, editor. ABOPREV: promoção de saúde bucal. São Paulo: Artes Médicas, 1999. p. 447-63
3. Santana JP, Chistófaro MAC. Educação, trabalho e formação profissional em saúde, 2004. [acesso em 2010 maio 20]. Disponível em: http://www. opas.org.br/rh/admin/documentos/Educacao_
Trabalho
4. Bailar III JC, Louis TA, Lavori PW, Polansky M. Una classificación de los informes de investigación biomédica. In: OPS: Oficina
Sanitária Panamericana. Aspectos metodológicos, éticos y prácticos en ciencias de la salud. Publicación Científica nº 550; 1994. p.3-13
5. Haddad N. Metodologia de estudos em ciências
da saúde. São Paulo: Roca; 2004.
6. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010).
7. Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Ministério da Saúde. Resolução n. 196/96 Sobre pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília. 1996.
8. Moysés SJ. Políticas de saúde e formação de recursos humanos em Odontologia. Revista da ABENO. 2004; 4:30-7.
9. Costa SM, Duraes SJA, Abreu MHNG. Feminização do curso de odontologia da Universidade Estadual de Montes Claros. Cienc
Saude Colet. 2010; 15:1865-73.
10. Girard SN, Carvalho CL. Contratação e qualidade do emprego no Programa Saúde da Família no Brasil. In: Brasil/ Ministério da Saúde.
Observatório de recursos humanos ou saúde no Brasil: estudos e análises. Rio de Janeiro, FIOCRUZ, 2003. p.157-90.
11. Brasil. Ministério da Educação. Parecer CNE/ CES 3/2002 de 19 de fevereiro de 2002. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Farmácia e Odontologia. Diário Oficial, Brasília,
04 Mar 2002.
12. Ceccim RB. Educação Permanente em Saúde: descentralização e disseminação de capacidade pedagógica na saúde. Cienc Saude Colet. 2005; 10:975-86.
13. Sanchez HF, Drumond MM, Vilaça EL. Adequação de recursos humanos ao PSF: percepção de formandos de dois modelos de
formação acadêmica em odontologia. Cienc Saude Colet. 2008; 13:523-31.
14. Vasconcelos AF. Qualidade de vida no trabalho: origem, evolução e perspectiva. Caderno de Pesquisas em Administração. 2001; 8:23-35.
15. Nunes CM, Tronchin DMR, Melleiro MM, Kurcgant P. Satisfação e insatisfação no trabalho na percepção de enfermeiros de um hospital
universitário. Rev Eletr Enf. 2010; 12:252-7.
16. Brasil. Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes
e dá outras providências. [acesso em 2010 agos 20]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/Leis/L8080.htm
17. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Nacional de Saúde Bucal. 2004. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. [acesso em 2010 agos 20]. Disponível em: http://www.saude.gov.br
18. Brasil. Ministério da Saúde/Ministério da Educação. Programa Nacional de Reorientação da formação do Profissional em Saúde - Pró-Saúde: objetivos, implementação e desenvolvimento potencial/Ministério da Saúde, Ministério da Educação. Brasília: Ministério da Saúde. 2007.
19. Secretaria Estadual de Saúde do Estado de Minas Gerais- SES/MG. Implantação do Plano Diretor da Atenção Primária à Saúde. Oficina 1: Redes de Atenção à Saúde. Guia do Tutor/Facilitador. Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais - ESPMG. Belo Horizonte, 2008a.
20. Rawls J. Uma teoria da justiça. São Paulo:Martins Fontes. 1997.
21. Brasil. Ministério da Saúde. Acolhimento nas práticas de produção de saúde. 2ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.
22. Secretaria Estadual de Saúde do Estado de Minas Gerais- SES/MG. Linha Guia de Saúde Bucal. Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais - ESPMG. Belo Horizonte, 2008b.

Downloads

Publicado

2016-05-10

Como Citar

Coelho, M. de Q., Costa, S. de M., Martelli, D. R. B., Junior, H. M., Bonan, P. R. F., & Francy, S. (2016). A Odontologia no contexto do Sistema Único de Saúde de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Arquivos Em Odontologia, 47(2). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3562

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>