QUANTIFICAÇÃO TEMPORAL DAS VAZÕES MÁXIMAS DE PROJETO PARA A BACIA DO CÓRREGO MELANCIAS - MG

Autores

  • Felipe Bernardes Silva
  • Nayara Paula Andrade Vieira
  • Micael Souza Fraga
  • Edson Oliveira Vieira
  • Cristina Rodrigues Nascimento

Resumo

O crescimento urbano desordenado é evidente em inúmeras cidades brasileiras, sendo comum a ocupação sobre áreas de risco como encostas de morros, e, principalmente, margens de rios e córregos. Diante disso o objetivo do presente trabalho foi avaliar a variação do coeficiente de escoamento super ficial provocado pela urbanização na bacia do Córrego Melancias, município de Montes Claros, Minas Gerais, a partir daí determinar as vazões máximas para os períodos de retorno de 5, 50 e 100 anos. A metodologia consistiu da aquisição e classificação das imagens LANDSAT-5/TM para quatro anos (1984, 1990, 2000 e 2011). A Bacia do Córrego Melancias/MG apresentou valores crescentes de vazão máxima, em função do aumento do período de retorno e do aumento das áreas impermeabilizadas Ao longo do período de estudo observou-se um incremento de vazão, apresentando uma vazão acumulada, para o ano de 2011, de 239,42 m³ s-1 para o período de retorno de 5 anos e uma vazão de 447,71 m³ s -1 para o período de retorno de 100 anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-11-01

Como Citar

Silva, F. B., Vieira, N. P. A., Fraga, M. S., Vieira, E. O., & Nascimento, C. R. (2015). QUANTIFICAÇÃO TEMPORAL DAS VAZÕES MÁXIMAS DE PROJETO PARA A BACIA DO CÓRREGO MELANCIAS - MG. Caderno De Ciências Agrárias, 7(1), 102–118. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/ccaufmg/article/view/2800

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)