A escrita feminina e as narrativas da Copa de 2010 através das crônicas 'Tiro Livre'

Conteúdo do artigo principal

Leonardo Turchi Pacheco
Bárbara Gonçalves Mendes

Resumo

O texto teve como objetivo debater as divergências e convergências no que tange à possibilidade de uma escrita feminina, para além da lógica binária de gênero. Para tanto, procuramos pensar a diversidade que o termo "mulheres" implica, tendo em vista como as normas de gênero vigentes na sociedade, por meio de dinâmicas de poder, constroem o que é esperado das pessoas às quais esse gênero é atribuído, alijando-as do mundo da escrita e do mundo futebolístico. Para pensar tais temáticas e as concessões dadas às "mulheres" para a participação no mundo público, nesse caso expresso pelo jornalismo esportivo, foi feita a análise das crônicas "Tiro Livre" sobre a Copa do Mundo da África do Sul. A escolha dos textos se deu pelo fato de que eles guardam especificidades: desde 2009, são publicados em um jornal de grande circulação no estado de Minas Gerais, bem como são escritos por uma "mulher".

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Pacheco, L. T., & Mendes, B. G. (2018). A escrita feminina e as narrativas da Copa de 2010 através das crônicas ’Tiro Livre’. FuLiA/UFMG, 2(3), 39–59. https://doi.org/10.17851/2526-4494.2.3.39-59
Seção
DOSSIÊ
Biografia do Autor

Leonardo Turchi Pacheco, UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS -UNIFAL-MG

Pós-doutorando no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar de Estudos do Lazer da EEFFTO da Universidade Federal de Minas Gerais. Professor Adjunto IV do instituto de Ciências Humanas e Letras da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG). Doutor em História Social da Cultura pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mestre em Sociologia da Cultura pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Bacharel em Ciências Sociais com ênfase em Antropologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Tem experiência nas áreas de Antropologia e História. Trabalha com os seguintes temas: masculinidade, envelhecimento, esporte, juventude, corporeidade, identidade, relação de gênero e violência de gênero

Bárbara Gonçalves Mendes, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Mestre em Psicologia Social pela UFMG na linha: "Cultura e Processos de Subjetivação". Integra o Grupo de Pesquisa em Memórias, Representações e Práticas Sociais, o Grupo de Estudos sobre Futebol e Torcidas (GEFUT/UFMG) e o Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania LGBT da UFMG (NUH). É professora do curso de Psicologia na Faculdade Ciências da Vida. Atua principalmente nos seguintes temas em psicologia social: gênero; diversidade sexual; futebol; ditadura militar brasileira; identidade, representação e memória social; e outros estudos culturais.

Referências

ARRIGUCCI JR, Davi. Fragmentos sobre a crônica. In: ______. Enigma e comentário: ensaios sobre literatura e experiência. São Paulo: Companhia das Letras, 1987, p. 51-66.

AZEREDO, Sandra. Preconceito contra a “mulher”: diferença, poemas e corpos. São Paulo: Cortez, 2011.

BOURDIEU, Pierre. Sobre a Televisão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1997.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do sexo. In: LOURO, Guacira Lopes (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

BUTLER, Judith. Deshacer el género. Barcelona: Paidos, 2006.

CÂNDIDO, Antônio. A vida ao rés do chão. In: ANDRADE, Carlos Drummond de et al. Para gostar de ler. São Paulo: Ática, 2003, p. 89-99. Disponível em: https://goo.gl/yAx52J. Acesso em: 21 fev. 2018.

CAPRARO, André Mendes. Mário Filho e a “invenção” do jornalismo esportivo profissional. Movimento. Porto Alegre, v.17, n.02, p. 213-224, abr.-jun. 2011.

CARDOSO, Izabela. Personagem de uma história: Kellen Cristina – Estado de Minas. Associação Mineira de Cronistas Esportivos. Disponível em: https://goo.gl/iKXZZz. Acesso em: 26 fev. 2018.

CHABAUD-RYCHTER, Danielle; DESCOUTURES, Virginie; DEVEREUX, Anne-Marie; VARIKAS, Eleni. Introdução: questões de gênero nas Ciências Sociais “normásculas”. In: ______ (org.). O gênero nas Ciências Sociais: releituras críticas de Max Weber a Bruno Latour. São Paulo: Editora Unesp; Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2014. p. 3-24.

CLASTRES, Pierre. Da tortura nas sociedades primitivas. In: ______. A sociedade contra o Estado: pesquisa de antropologia política. São Paulo: Cosac & Naify, 2003, p. 193-204.

COLANSANTI, Marina. Por que nos perguntam se existimos. In: RODRIGUES, Carla; BORGES, Laura; RAMOS Tânia Regina de Oliveira (org.). Problemas de gênero. Rio de Janeiro: Funarte, 2016, p. 323-331.

COSTA, Felipe Rodrigues da; NETO, Amarílio Ferreira; SOARES, Antônio Jorge Gonçalves. Crônica esportiva brasileira: histórico, construção e cronista. Pensar a Prática. 10/1, p. 15-31, jan.-jun. 2007.

COUTO, André Alexandre Guimarães. Cronistas esportivos em campo: letras, imprensa e cultura no Jornal dos Sports (1950-1958). Tese (Doutorado em História). Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

CRISTINA, Kellen. A Copa para os íntimos. Estado de Minas. Belo Horizonte 11 jun. 2010. Superesportes: Tiro Livre, p. 15.

CRISTINA, Kellen. A vingança da Jabulani. Estado de Minas. Belo Horizonte 18 jun. 2010. Superesportes: Tiro Livre, p. 15.

CRISTINA, Kellen. Os gringos dos gringos. Estado de Minas. Belo Horizonte 25 jun.2010. Superesportes: Tiro Livre, p. 11.

CRISTINA, Kellen. De japonês a uzbeque. Estado de Minas. Belo Horizonte 02 jul. 2010. Superesportes: Tiro Livre, p. 8.

CRISTINA, Kellen. Pela lógica, dá Espanha. Estado de Minas. Belo Horizonte 09 jul. 2010. Superesportes: Tiro Livre, p. 8.

DUNNING, Eric. O esporte como um domínio masculino: observações sobre fontes sociais da identidade masculina e suas transformações. In: ______. Sociologia do esporte e os processos civilizatórios. São Paulo: Annablume, 2014, p. 233-254.

FOUCAULT, Michel. Verdade e poder. In: ______. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2001, p. 1-14.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Ed. Loyola, 2008.

HARAWAY, Donna. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu. Campinas, SP. n. 5, p. 7-41, 1995.

HARGREAVES, Jennifer. Sporting females: critical issues in the history and sociology of women’s sports. London: Routledge, 1994.

HOLLANDA, Bernardo Buarque. O cor-de-rosa: ascensão, hegemonia e queda do Jornal dos Sports entre 1930 e 1980. In: HOLLANDA, Bernardo Buarque; MELO, Victor Andrade de. (Org.). O esporte na imprensa e a imprensa esportiva no Brasil. Rio de Janeiro: 7Letras, 2012, p. 80-106.

LEAL, Juliana. Gênero e escrita. Revista Ártemis. João Pessoa, PB, v. 5, dez., 2006.

LEVI-STRAUSS, Claude. Lições de escrita. In: ______. Tristes Trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1996, p. 278-287.

MARQUES, José Carlos. A função autor e a crônica esportiva no Brasil: representações da Copa do Mundo em alguns jornais paulistas e cariocas. LOGOS 33. Comunicação e Esporte, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 39-50, 2010.

NEVEU, Érik. Sociologia do jornalismo. São Paulo: Ed. Loyola, 2006.

PERROT, Michelle. Práticas da memória feminina. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 9, n. 18, p. 9-18, ago.-set., 1989.

PERROT, Michelle. As mulheres ou o silêncio da história. Bauru, SP: Edusc, 2005.

RIBEIRO, André. Os donos do espetáculo: histórias da imprensa esportiva do Brasil. São Paulo: Terceiro Nome, 2007.

RICHARD, Nelly. Intervenções críticas: arte, cultura, gênero e política. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

RUBIN, Gayle. O tráfico de mulheres: notas sobre a “economia política” do sexo. In: ______. Políticas do sexo. São Paulo: Editora UBU, 2017, p. 9-61.

SCOTT, Joan. Experiências. In: DA SILVA, Alcione; LAGOS, Mara Coelho de Souza; RAMOS, Tânia Regina de Oliveira. (Org.). Falas de gênero: teorias, análises, leituras. Florianópolis: Editora Mulheres, 1999, p. 21-56.

THERBERGE, Nancy. Gender and sport. In: COAKLEY, Jay; DUNNING, Eric. (Ed.). Handbook of sports studies. London: Sage, 2000, p. 322-334.

WHANNEL, Garry. Sport and the media. In: COAKLEY, Jay; DUNNING, Eric. (Ed.). Handbook of sports studies. London: Sage, 2000, p. 291-308.

WITTIG, Monique. The point of view: universal or particular? In: ______. The straight mind and other essays. Boston: Beacon Press, 1992, p. 60-67.