Antropofagia e brasilidade na Copa do Mundo de 2010 uma leitura das crônicas de Xico Sá

Conteúdo do artigo principal

Zeca Marques
Patricia Souza de Lima

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar as crônicas de futebol do jornalista e escritor Xico Sá, publicadas no jornal a Folha de S. Paulo, no período da Copa do Mundo de Futebol de 2010 disputada na África do Sul entre os dias 11 de junho e 11 de julho daquele ano. Pretende-se mostrar que Xico rejeita a escrita pragmática do jornalismo contemporâneo e que, por meio da emotividade e do sentido lúdico da escrita, consegue trazer à tona elementos da cultura brasileira que configuram alguns aspectos da chamada “identidade nacional”, de acordo com definições do antropólogo Roberto DaMatta. Além disso, a escrita coloquial e as imagens antropofágicas provocadas por Xico Sá atestam a presença, em seus textos, de várias contribuições e elaborações dos modernistas brasileiros do início do Século XX, especialmente do escritor Oswald de Andrade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Marques, J. C., & Lima, P. S. de. (2023). Antropofagia e brasilidade na Copa do Mundo de 2010: uma leitura das crônicas de Xico Sá. FuLiA/UFMG, 7(3), 125–146. https://doi.org/10.35699/2526-4494.2022.38605
Seção
DOSSIÊ
Biografia do Autor

Patricia Souza de Lima, Universidade Estadual Paulista

Especialista em "Linguagem, Cultura e Mídia” pela Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, da
Universidade Estadual Paulista  (Unesp) - câmpus de Bauru (SP). Graduada em Letras  pela Universidade do Sagrado Coração (USC) e em Ciências Biológicas pela Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Paulista (Unesp) .

Referências

ANDRADE, Oswald de. O manifesto antropófago. TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda européia e modernismo brasileiro: apresentação e crítica dos principais manifestos vanguardistas. Petrópolis: Vozes; Brasília: INL, 1976.

ARRIGUCCI JR., Davi. Fragmentos sobre a crônica. In: ______. Enigma e comentário. São Paulo, Companhia das Letras, 1987.

BARTHOLO, T. L.; SOARES, A. J. G. Identidade, negócio, esporte no mundo globalizado: o conflito entre Guga e os patrocinadores na Olimpíada de Sydney. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas: Autores Associados, v. 28, n. 1, p. 55-72, 2006.

CANDIDO, Antonio. A vida ao rés-do-chão. In: ______. Recortes. Companhia das Letras, 1993.

CULLER, Jonathan. Teoria literária: uma introdução. São Paulo: Beca Produções Culturais, 1999.

DAMATTA, Roberto. Universo do futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1982.

DAMATTA, Roberto. O que faz o Brasil, Brasil?. Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

DINIZ, Anna Carolina Paiva. O futebol como epopéia: análise das crônicas de Nelson Rodrigues sobre a Copa do Mundo de Futebol de 1958. Ciências Humanas em Revista, v. 7, n. 2, São Luís/MA, 2009.

FRANCO JÚNIOR, Hilário. A dança dos deuses: futebol, sociedade, cultura. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

FOER, Franklin. Como o futebol explica o mundo: Um olhar inesperado sobre a globalização. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

FREYRE, Gilberto. Prefácio. FILHO, M. R. O negro no futebol brasileiro. Rio de Janeiro: Irmãos Pongetti Editores, 1947.

GIULIANOTTI, Richard. Sociologia do futebol: dimensões históricas e sócio-culturais do esporte das multidões. São Paulo: Nova Alexandria, 2002.

GUTERMAN, Marcos. O futebol explica o Brasil: uma história da maior expressão popular do país. São Paulo: Contexto, 2010.

HELAL, Ronaldo; SOARES, Antônio Jorge; LOVISOLO, Hugo. A invenção do país do futebol: mídia, raça e idolatria. Rio de Janeiro: Mauad, 2001.

KONZEN, Paulo Cezar. Ensaios sobre a arte da palavra. Cascavel: Edunioeste, 2002.

LAURITO, Ilka; BENDER, Flora. A crônica: história, teoria e prática. São Paulo: Scipione, 1993.

LOPES, Jorge Sérgio Leite. Futebol mestiço: história de sucessos e contradições. Ciência Hoje – Revista de Divulgação Científica da SBPC, Rio de Janeiro, v. 24, n. 139, 1998.

LUCENA, Ricardo de Figueiredo. A crônica como gênero que introduziu o esporte no Brasil. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas, v. 25, n. 1, 2003.

MARQUES, José Carlos. A literatura invade a grande área: a crônica durante as Copas do Mundo de futebol. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 26, n. 2, 2005, p. 55-71.

MARQUES, José Carlos. A crônica de esportes no Brasil: algumas reflexões. In: LOSNAK, Célio José; VICENTE, Maximiliano Martin. (Org.). Imprensa & Sociedade Brasileira. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011. p. 85-101.

MARQUES, José Carlos. O futebol em Nelson Rodrigues. São Paulo: EDUC-FAPESP, 2012.

MELO, José Marques de. A opinião no jornalismo brasileiro. Petrópolis: Vozes, 1994.

MOISÉS, Massaud. Crônica. A criação literária (prosa). São Paulo: Cultrix, 1983.

PINHEIRO, Amálio. Aquém da identidade e da oposição. Piracicaba: Unimep, 1994.

RODRIGUES FILHO, Mário. O negro no futebol brasileiro. Petrópolis: Firmo, 1994.

RODRIGUES, Nelson. Mário Filho, o criador de multidões. In: MARON FILHO, Oscar; FERREIRA, Renato. (Org.). Fla-Flu... e as multidões despertaram. Rio de Janeiro: Europa, 1987.

RODRIGUES, Nelson. À sombra das chuteiras imortais. São Paulo: Cia. das Letras, 1993.

RODRIGUES, Nelson. “O Jornal da véspera sai hoje”. O Reacionário. São Paulo, Companhia das Letras, 1995.

ROSSETI, Regina; VARGAS, Herom. A recriação da realidade na crônica jornalística brasileira. UNIrevista, v. 1, n. 3, 2006.

SILVA, Eliazar João da. Bola na rede: o futebol em São Paulo e no Rio de Janeiro: do amadorismo à profissionalização. Dissertação de Mestrado. Unesp (Assis): 2000.

VIANA, Nildo. Notas sobre o significado político do futebol. Revista Espaço Acadêmico, UFG, n. 111, 2010.