Profissionalize-se como uma garota? efeitos das políticas de desenvolvimento do futebol de mulheres nas oportunidades da carreira esportiva no Brasil

Conteúdo do artigo principal

Mariana Zuaneti Martins
Gabriela Borel Delarmelina
Letícia Carvalho de Souza

Resumo

Este estudo tem como objetivo analisar a relação entre as recentes políticas de desenvolvimento do futebol de mulheres e as oportunidades de profissionalização da carreira de atletas de elite no Brasil. Para tanto, realizamos entrevistas semiestruturadas com 19 atletas sobre suas trajetórias esportivas. Dois marcos desviam tendências nas oportunidades de carreira: i) em 2013, a organização do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino; ii) a nova regulamentação da CONMEBOL, em 2019. Tais mudanças oportunizaram a entrada das mulheres nos clubes tradicionais do futebol de homens, diminuindo a incidência de clubes de elite específicos femininos. Além disso, a remuneração em forma de salário, a dedicação exclusiva às competições de futebol de campo e uma diminuição na incidência da existência da dupla carreira no esporte também são tendências que se inverteram na última década. Entretanto, a presença de contratos formais ainda não é prevalente entre as atletas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
MARTINS, M. Z.; DELARMELINA, G. B.; SOUZA, L. C. de. Profissionalize-se como uma garota? : efeitos das políticas de desenvolvimento do futebol de mulheres nas oportunidades da carreira esportiva no Brasil. FuLiA/UFMG , Belo Horizonte/MG, Brasil, v. 8, n. 3, p. 59–81, 2023. DOI: 10.35699/2526-4494.2023.45290. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/45290. Acesso em: 20 maio. 2024.
Seção
DOSSIÊ
Share |

Referências

ALMEIDA, Caroline Soares de. Do sonho ao possível: projeto e campo de possibilidades nas carreiras profissionais de futebolistas brasileiras. UFSC, Florianopólis, 2018.

ALVAREZ, Sonia E. Para além da sociedade civil: reflexões sobre o campo feminista, Cadernos Pagu (dossiê O gênero da política: feminismos, estado e eleições), p. 13-56, 2014.

ANDERSSON, Rebecca; BARKER-RUCHTI, Natalie. Career paths of Swedish top-level women soccer players. Soccer & Society, v. 20, n. 6, p. 857-871, 2019.

BARLEM, Cíntia. Corinthians anuncia fim da parceria com Audax e terá time feminino próprio em 2018, Ge, 2017. Disponível em: https://shre.ink/9m6Q. Acesso em: 15 mar. 2023.

BARREIRA, Júlia; MAZZEI, Leandro Carlos; DE CASTRO, Flavio Denardi et al. CONMEBOL e o futebol de mulheres: uma análise das estratégias de desenvolvimento (in) existentes na América do Sul. In: MARTINS, Mariana Zuaneti; WENETZ, Ileana. (Orgs.). Futebol de mulheres no Brasil: desafios para as políticas públicas. Curitiba: CRV Editora, v. 1, p. 29-44, 2020.

BORGES, Danilo. Libertadores, Brasileirão e Copa Brasil Sub-17 movimentam o futebol feminino, 2013. Disponível em: https://shre.ink/9m6V. Acesso em: 15 mar. 2023.

BRAIS, Rafael. Ministério do Esporte cria grupo de trabalho para debater futebol feminino no Brasil, 2012. Disponível em: https://encurtador.com.br/hrxGU. Acesso em: 15 mar. 2023.

BRANDT-HANSEN, Marianne; OTTESEN, Laila S. Caught between passion for the game and the need for education: a study of elite-level female football players in Denmark. Soccer & Society, v. 20, n. 3, p. 494-511, 2019.

BRASIL DE FATO. CBF cobra mais direitos para atletas do futebol feminino. Brasil de Fato, Pernambuco, 2020. Disponível em: https://encurtador.com.br/stu02. Acesso em: 15 mar. 2023.

BRYAN, Amée; POPE, Stacey; RANKIN-WRIGHT, Alexandra J. On the periphery: examining women’s exclusion from core leadership roles in the “extremely gendered” organization of men’s club football in England. Gender & Society, v. 35, n. 6, p. 940-970, 2021.

CÔTÉ, Jean; ERICSSON, K. Anders; LAW, Madelyn P. Tracing the development of athletes using retrospective interview methods: a proposed interview and validation procedure for reported information. Journal of Applied Sport Psychology, v. 17, n. 1, p. 1-19, 2005.

CULVIN, Alex. Football as work: the lived realities of professional women footballers in England. Managing Sport and Leisure, p. 1-14, 2021.

CULVIN, Alex; BOWES, Ali. Introduction: women’s football in a global, professional era. Women’s football in a global, professional era. Emerald Group Publishing, 2023, v. 1, p. 1-16.

DAMO, Arlei. Do dom à profissão: uma etnografia do futebol de espetáculo a partir da formação de jogadores no Brasil e na França. UFRGS, 2005.

FIFPRO, World Players’ Union. Global employment report: working conditions in professional women’s football. Hoofddorp, Netherlands, FIFPro, 2017.

FIFPRO, World Players’ Union. Raising our game report, FIFPro, 2020.

GOMES, Gabrielle. Bahia suspende futebol feminino até abril e dispensa jogadoras: “Estamos acabadas”, relata atleta, Ge, 2021. Disponível em: https://encurtador.com.br/itOQU. Acesso em: 15 mar. 2023.

GRYGOROWICZ, Monika; MICHALOWSKA, Martyna; JURGA, Paulina; et al. Thirty percent of female footballers terminate their careers due to injury: a retrospective study among polish former players. Journal of Sport Rehabilitation, v. 28, n. 2, p. 109-114, 2017.

HARRISON, Grace E.; VICKERS, Emma; FLETCHER, David; et al. Elite female soccer players’ dual career plans and the demands they encounter. Journal of Applied Sport Psychology, v. 34, n. 1, p. 133-154, 2020.

JACOBS, Josephine C. Programme-level determinants of women’s international football performance. European Sport Management Quarterly, v. 14, n. 5, p. 521-537, 2014.

KESSLER, Claudia Samuel. Mais que barbies e ogras: uma etnografia do futebol de mulheres no Brasil e nos Estados Unidos. Tese (Doutorado em Antropologia Social), UFRGS, Porto Alregre, 2015.

PASSARINHO, Nathalia. Dilma recebe Marta e promete maior ‘atenção’ ao futebol feminino, G1, 2011. Disponível em: https://encurtador.com.br/przY9. Acesso em: 15 mar. 2023.

PFISTER, Gertrud. The future of football is female!?: on the past and present of women’s football in Germany. German Football, Routledge, 2006, v. 1, p. 93-126.

RYBA, Tatiana V.; STAMBULOVA, Natalia B.; RONKAINEN, Noora J. et al. Dual career pathways of transnational athletes. Psychology of Sport and Exercise, v. 21, p. 125-134, 2014.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica, Educação & Realidade, v. 20, n. 2, p. 71-99, 1995.

SOUZA, Ana Claudia Ferreira; MARTINS, Mariana Zuaneti. O paradoxo da profissionalização do futsal feminino no Brasil: entre o esporte e outra carreira. Pensar a prática, v. 21, n. 1, 2018.

SOUZA JÚNIOR, Osmar Moreira de. Futebol como projeto profissional de mulheres: interpretações da busca pela legitimidade. Tese (Doutorado em Educação Física e Sociedade), UNICAMP, Campinas, 2013.

WILLIAMS, Jean. An equality too far? Historical and contemporary perspectives of gender inequality in British and international football. Historical Social Research/Historische Sozialforschung, v. 31, n. 1, p. 151-169, 2006.