Mulheres torcedoras de futebol no Brasil refazendo gênero no interior da cultura fanática

Conteúdo do artigo principal

Mariana Zuaneti Martins
Gabriela Borel Delarmelina
Kerzia Railane Santos Silva

Resumo

Considerando a cultura fanática do futebol um espaço de manifestação de um currículo de masculinidades no qual as mulheres são invisibilizadas ou deslegitimadas, aqui nos debruçamos nas experiências de uma rede de torcedoras ativistas que buscam resistir a esse cenário. Com isso, o objetivo deste artigo é descrever a forma pela qual essas mulheres (re)fazem gênero na cultura torcedora e disputam representações sobre autenticidade nas formas de torcer. Para tanto, entrevistamos 37 torcedoras de diversos clubes e estados do Brasil. Seus relatos foram categorizados, enfatizando duas temáticas: a forma segundo a qual essas mulheres constroem visibilidade para sua presença na cultura torcedora e, em segundo lugar, a forma como disputam os sentidos sobre ser torcedor(a) autêntico. Por fim, demonstramos que elas refazem gênero na cultura torcedora e oferecem a possibilidade de transformação de uma cultura sexista e discriminatória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
MARTINS, M. Z.; DELARMELINA, G. B.; SILVA, K. R. S. . Mulheres torcedoras de futebol no Brasil: refazendo gênero no interior da cultura fanática. FuLiA/UFMG , Belo Horizonte/MG, Brasil, v. 7, n. 2, p. 70–91, 2022. DOI: 10.35699/2526-4494.2022.36793. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/36793. Acesso em: 22 maio. 2024.
Seção
DOSSIÊ
Share |

Referências

ABEL, João; PANNUNZIO, Pedro. 3 abr. 2019. Torcida, substantivo feminino. Mulheres se unem para ocupar arquibancadas. Estadão. Disponível em:https://bit.ly/2KRtspj. Acesso em: maio 2022.

BANDEIRA, Gustavo Andrada. Um currículo de masculinidades nos estádios de futebol. Revista Brasileira de Educação, v. 15, n. 44, p. 342–351, 2010.

BANDEIRA, Gustavo Andrada; SEFFNER, Fernando. Futebol, gênero, masculinidade e homofobia: um jogo dentro do jogo. Espaço Plural, v. 14, n. 29, p. 246–270, 2013.

BUTLER, Judith. Gender trouble: Feminism and the Subversion of Identity. New York: Routledge, 1990.

CAMPOS, Priscila. Mulheres torcedoras do Cruzeiro Esporte Clube presentes no Mineirão. Dissertação (Mestrado), EEFFTO/UFMG, Belo Horizonte, 2010.

CESAR, Benedito Tadeu. Os gaviões da fiel e a águia do capitalismo: ou, o duelo. Dissertação (mestrado). Unicamp, Campinas/SP, 1981.

DAMO, Arlei Sander. A magia da seleção. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 28, n. 1, p. 73-90, 2006.

DUNN, Carrie. Female Football Fans: Community, Identity and Sexism. Manchester: Palgrave Macmillan, 2014.

DUNNING, Eric. El fenómeno deportivo: estudios sociológicos em torno al deporte, la violencia y la civilización. Barcelona: Editorial Paidotribo, 2003.

GIULIANOTTI, Richard. Supporters, Followers, Fans, and Flaneurs: A Taxonomy of Spectator Identities in Football. Journal of Sport and Social Issues, v. 26, n. 1, p. 25-46, 2002.

HOLLANDA, Bernardo Borges Buarque de. O clube como vontade e representação: o jornalismo esportivo e a formação das torcidas organizadas de futebol no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008.

JONES, Katharine W. Female Fandom: Identity, Sexism, and Men’s Professional Football in England. Sociology of Sport Journal, v. 25, n. 4, p. 516–537, 2008.

LOPES, Felipe Tavares Paes. A construção do problema social da violência no futebol brasileiro: dominação e resistência. Athenea Digital. Revista de pensamiento e investigación social, v. 16, n. 2, p. 89–113, 2016.

LOPES, Felipe Tavares Paes; CORDEIRO, Mariana Prioli. Torcidas organizadas do futebol brasileiro: singularidades e semelhanças com outros grupos de torcedores da América do Sul e da Europa. Revista espaço acadêmico, v. 9, n. 104, p. 75–83, 2010.

MARTINS, Mariana Zuaneti; SANTOS, Kerzia Railane. Do futebol de mulheres às mulheres no futebol: outras identidades e identificações circulantes nos estádios. In: MARTINS, Mariana Zuaneti; WENETZ, Ileana. (Orgs.). Futebol de mulheres no Brasil: desafios para as políticas públicas. Curitiba: CRV, p. 117-35, 2020.

MEYER, Dagmar Estermann. Gênero e educação: teoria e política. Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação, v. 2, p. 9-27, 2003.

MONTEIRO, Rodrigo de Araújo. Torcer, lutar, o inimigo massacrar – Raça Rubro-Negra!: uma etnografia sobre futebol, violência e masculinidade. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003.

MORAES, Carolina Farias. As torcedoras querem torcer. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade), UFBA, Salvador, 2018.

PFISTER, Gertrud; LENNEIS, Verena; MINTERT, Svenja. Female Fans of Men’s Football – A Case Study in Denmark. Soccer & Society, v. 14, n. 6, p. 850-71, 2013.

POPE, Stacey. “The Love of my Life”: The Meaning and Importance of Sport for Female Fans. Journal of Sport and Social Issues, v. 37, n. 2, p. 176-95, 2013.

RUBIN, Herbert J.; RUBIN, Irene S. Structuring the Interview. Qualitative interviewing: The Art of Hearing Data, v. 2, p. 129-51, 2005.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & realidade, v. 20, n. 2, 1995.

TOFFOLETTI, Kim. Women sport fans: Identification, Participation, Representation. [s.l.]: Taylor & Francis, 2017.

TOLEDO, Luiz Henrique. Torcer: a metafísica do homem comum. Revista de História, n. 163, p. 175-89, 2010.

TOLEDO, Luiz Henrique. Torcidas organizadas de futebol. Campinas: Autores Associados/FAPESP, 1996.