Entrando em campo futebol e política nos documentários "Democracia em preto e branco" e "Barba, cabelo e bigode"

Conteúdo do artigo principal

Francisco Alves Junior

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar os documentários Democracia em preto e branco (2014), de Pedro Asbeg e Barba, cabelo e bigode (2016), de Lucio Branco, a fim de perceber como as personagens dos documentários, que são ex-jogadores de futebol, se colocam em cena (BOGADO, ALVES JUNIOR, SOUZA, 2020) e produzem dissenso (RANCIÈRE, 1996) ao trazerem para o debate público temas que atravessam a vida cotidiana e que se fazem presentes  dentro e fora do campo de jogo, como a luta pela democracia, a luta por melhores condições de trabalho, o combate ao racismo e o combate a homofobia. A partir de suas falas, gestos e do uso de seus corpos como expressão de contestação da ordem vigente, como a adoção de barbas e cabelos grandes, as personagens rasuram os lugares comuns destinados aos profissionais do esporte, associados normalmente como sujeitos alheios à vida política do país.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
ALVES JUNIOR, F. Entrando em campo: futebol e política nos documentários "Democracia em preto e branco" e "Barba, cabelo e bigode". FuLiA/UFMG , Belo Horizonte/MG, Brasil, v. 9, n. 1, p. 27–48, 2024. DOI: 10.35699/2526-4494.2024.47515. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/47515. Acesso em: 19 jul. 2024.
Seção
DOSSIÊ
Share |

Referências

ARFUCH, Leonor. A auto/biografia como (mal de) arquivo. In: SOUZA, Eneida Maria; MARQUES, Reinaldo. (Orgs.). Modernidades alternativas na América Latina. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

BARBA, CABELO E BIGODE. Direção: Lucio Branco. Brasil. Atacado Produções, 2016. DVD.

BOGADO, Angelita; ALVES JUNIOR, Francisco; DE SOUZA, Scheilla Franca. Um estudo sobre performance, dispositivos de regulagem entre formas de vida e formas de imagem no documentário contemporâneo. In. ALMEIDA, Gabriela; CARDOSO FILHO, Jorge. Comunicação, estética e política: epistemologias, problemas e pesquisas. Editora Appris, Curitiba, 2020, p. 265-280.

DAMATTA, Roberto. A bola corre mais que os homens. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2006.

DAMATTA, Roberto. Futebol: Ópio do povo x drama de justiça social. Novos Estudos CEBRAP. São Paulo, v. 1, n. 4, p. 54-60, 1982.

DAMATTA, Roberto. Universo do futebol: esporte e sociedade no Brasil. Rio de Janeiro: Edições Pinakotheke, 1982.

DEMOCRACIA EM PRETO E BRANCO. Direção: Pedro Asbeg. Brasil. TvZero, 2011. HD.

LORENZANO, José Paulo. A Democracia Corinthiana: práticas de liberdade no futebol brasileiro. São Paulo: EDUC-Editora PUC-SP, 2009.

FLORENZANO, José Paulo. Afonsinho e Edmundo: a rebeldia no futebol brasileiro. São Paulo: Musa Editora, 1998.

GASTALDO, Édison. A recepção coletiva de futebol midiatizado: apontamentos etnográficos. In: JACKS, Nilda; SOUZA, Maria C. J. de. (Org.). Mídia e recepção: televisão, cinema e publicidade. Salvador: EDUFBA, 2006, v. 1, p. 122-137.

KFOURI, Juca. Confesso que perdi: memórias. São Paulo: Cia das Letras, 2017.

MARQUES, Ângela. Comunicação, estética e política: a partilha do sensível promovida pelo dissenso, pela resistência e pela comunidade. Revista Galáxia, São Paulo, n. 22, p. 25-39, 2011.

MARQUES, Ângela. Três bases estéticas e comunicacionais da política: cenas de dissenso, criação do comum e modos de resistência. Revista Contracampo, Niterói, v. 26, n. 1, p.126-145, 2012.

MARQUES, Ângela. Cenas de dissenso e a política das rupturas e fraturas na evidência do visível. In: BRASIL, André; MORETTIN, Eduardo; LISSOVSKY, Maurício. (Org.). Visualidades hoje. Salvador: EDUFBA; Brasília: Compós, 2013, p. 243-262.

MARTINS, Mariana Zuaneti. Democracia Corinthiana: sentidos e significados da participação dos jogadores. Dissertação (Mestrado), Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física, Campinas, 2012.

MARTINS, Mariana Zuaneti; REIS, Heloisa Helena Baldy dos. Cidadania e direitos dos jogadores de futebol na Democracia Corinthiana. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 28, p. 429-440, 2014.

ORICCHIO, Luiz Zanin. Fome de bola: cinema e futebol no Brasil. São Paulo: Imprensa Oficial, 2006.

RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento: política e filosofia. Trad.: Ângela Leite Lopes. São Paulo: Editora 34, 1996.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. Tradução de Mônica Costa Netto. São Paulo: EXO experimental org. Editora 34, 2005.

RESENDE, Luiz Augusto. Microfísica do Documentário: ensaio sobre criação e ontologia do documentário. Rio de Janeiro: Azougue/ FAPERJ, 2013.

ROCHEDO, Aline.. BRock: o ensino de História por meio do rock brasileiro nos anos 1980. Anais do XV Encontro de História da Anpuh, São Gonçalo. Rio de Janeiro, p. 1-9, 2012.

SARMENTO-PANTOJA, Augusto. Mais branco do que preto na ditadura militar brasileira: a Democracia Corinthiana, o sindicalismo, a rebeldia e o rock and roll. FuLiA/UFMG, Faculdade de Letras da UFMG, Belo Horizonte, v. 4, p. 42-65, 2019.

SEDLMAYER, Sabrina; GINZBURG, Jaime. Apresentação. A fala do indizível. In: ______. (Orgs). Walter Benjamin: rastro, aura e história. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012, p. 7-12.

SILVA, Ana Paula da. Pelé e o complexo de “vira-latas”: discursos sobre raça e modernidade no Brasil. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia, IFCS/UFRJ, Rio de Janeiro, 2008.

SÓCRATES; GOZZI, Ricardo. Democracia Corintiana: a utopia em jogo. São Paulo: Boitempo Editorial, 2002.

SOUZA, Denaldo Alchorne de. Em Pra Frente, Brasil! Do Maracanazo aos mitos de Pelé e Garrincha, a dialética da ordem de desordem (1950-1983), São Paulo: Intermeios; Fapesp, 2018.

SOUZA, Scheilla Franca de; CARDOSO FILHO, Jorge. A ‘Morada’ como constelação e encruzilhada: estética e política em experiências audiovisuais. Revista Mídia e Cotidiano, Niterói, v. 16, p. 43-65, 2022.

WISNIK, José Miguel. Veneno remédio: o futebol e o Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.