A camisa canarinho um mito moderno em disputa

Conteúdo do artigo principal

Marcel Vejmelka

Resumo

A progressiva apropriação da camisa canarinho da seleção brasileira pelos movimentos da extrema-direita no Brasil entre 2013 e 2023 apresenta um contraste drástico com a imagem positiva e alegre do Brasil e do futebol brasileiro na segunda metade dos anos 1990, época em que a seleção brasileira foi construída e lançada como logomarca global. O veículo mais produtivo para esse projeto foi, sem dúvida, a camisa verde-amarela, com forte referência ao halo mítico que o uniforme tinha acumulado a partir da Copa do Mundo de 1970 no México, instituindo o Brasil como “país do futebol” e representante do “futebol-arte” e transformando o seu uniforme em mito moderno barthesiano. Neste artigo pretendo analisar a dimensão histórica desse mito, numa tentativa de entender a lógica da sua apropriação e ressignificação ao longo da década passada.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
VEJMELKA, M. A camisa canarinho: um mito moderno em disputa. FuLiA/UFMG , Belo Horizonte/MG, Brasil, v. 9, n. 2, p. 8–31, 2024. DOI: 10.35699/2526-4494.2024.48228. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/48228. Acesso em: 14 jul. 2024.
Seção
DOSSIÊ
Biografia do Autor

Marcel Vejmelka, Universidade Johannes Gutenberg de Mainz/Alemanha

Universidade de Mainz, Alemanha

Doutor em  Estudos Latino-americanos/Brasileiros, Freie Universität Berlin.

Share |

Referências

BARTHES, Roland. Mitologias. Trad. Rita Buongermino e Pedro de Souza. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

BENTO RIBEIRO, Maria de Fátima; SOUZA SILVA, Naiara da. A camiseta canarinho da seleção brasileira de futebol. FuLiA/UFMG, Belo Horizonte, v. 8, n. 1, p. 62-82, 2023.

CABO, Alvaro Vicente G. T. P. do. Será que 15 anos depois os “lobos/hienas da bola” continuarão a gargalhar?. Ludopédio, São Paulo, v. 73, n. 8, 2015.

CAMPOS, Flávio de. Verdeamarelismo na ponta das chuteiras: reconfiguração da identidade nacional brasileira e Golpe de Estado (2013-2018). In: FISCHER, Thomas; KÖHLER, Romy, REITH, Stefan. (Orgs.). Fútbol y sociedad en América Latina: Futebol e sociedade na América Latina. Frankfurt am Main / Madrid: Iberoamericana / Vervuert, 2021, p. 85-98.

FIGOLS, Victor de Leonardo. As camisas de Bolsonaro (ou muito além de uma coleção de camisas de futebol). Ludopédio, São Paulo, v. 159, n. 5, 2022.

FLORENZANO, José Paulo. Apropriações da verde e amarela. Ludopédio, São Paulo, v. 163, n. 25, 2023. https://rb.gy/3be6ib.

GUEDES, Simoni Lahud; SILVA, Edilson Márcio Almeida da. O segundo sequestro do verde e amarelo: futebol, política e símbolos nacionais. Cuadernos de Aletheia, La Plata, n. 3, 2019, p. 73-89.

GUIMARÃES, Gustavo Cerqueira; SCHLEE, Aldyr; PIAZZI, Giulia. Conversa com Aldyr Schlee (parte II). A criação da camisa canarinho e seu recente uso político [c/ áudio]. FuLiA/UFMG, Belo Horizonte, v. 3, n. 1, 2018, p. 139-153.

KNIJNIK, Jorge Dorfman. Divididos pela camisa amarela: o legado político e esportivo da Copa de 2014 na América do Sul. Ludopédio, São Paulo, v. 109, n. 32, 2018. Disponível em: https://rb.gy/ikwxt0.

OLIVEIRA, Ramon do Nascimento; FARIAS, Washington Silva de. Os novos sentidos da “amarelinha”: relações discursivas entre político e esportivo na camisa da seleção brasileira na copa 2018. Recorde, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, p. 1-19, 2021.

RICHTER, Louis. Untragbar. 11Freunde, Berlim, 2022. Disponível em: https://rb.gy/d68jrv.

SMITH, Eddie. The Hypocrisy of the Skinhead: Fashion, Fascism, and Cultural Appropriation. Bricks Magazine, 6 de novembro de 2020. Disponível em: https://rb.gy/3m50er.

VEJMELKA, Marcel. Futebol na literatura alemã – parte VII: “Sob as chuteiras, a praia”, de Daniel Cohn-Bendit. Memórias futebolísticas de um revolucionário franco-alemão. Ludopédio, São Paulo, v. 165, n. 6, 2023.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)