Diversity, Multiculturalism and Science Education at Enpec

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2020u497521

Palavras-chave:

Science Education, Diversity and Multiculturalism, Enpec

Resumo

The goal of this paper is to provide an overview of the thematic group created at the 2009 Enpec [Brazilian National Conference on Science Education Research] edition under the name Diversity, Multiculturalism and Science Education (DMSE). Our research question was: What is that working group like? We set out to examine the group’s production considering the DMSE sessions to be a forum where research is presented and debated. The methodology involved reading and organizing presentation titles, abstracts, keywords, problem questions, and references using the Free Interpretation Analysis approach, which  draws connections between a researcher’s perspective and their study’s theoretical framework. Graphs show the most frequent topics within DMSE studies and their oscillations over the years. This paper provides data and results indented to help: a) mapping Science Education studies, observing how they address the reality and the particular conditions of teaching-learning processes in different Brazilian schools; b) introducing a more critical vein to the education of those involved in Science Education , encouraging them to think beyond instrumental aspects and to incorporate a political and ethical approach committed to building a less unequal society and to the defense of human rights; and c) advocating for a more plural Science Education,  in which diverse voices can be heard.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Anjos, J. J. T. (2013). História das disciplinas escolares: Quatro abordagens historiográficas. Revista Reflexão e Ação. 21(n. esp), 281–298. http://dx.doi.org/10.17058/rea.v0i0.2590

Anjos, M. B., Rôças, G., Pereira, M. V. (2019). Análise de livre interpretação como uma possibilidade de caminho metodológico. Ensino, Saúde e Ambiente, 12(3), 27–39. https://doi.org/10.22409/resa2019.v12i3

Barreto, M. I., & Araújo, M. I. O. (2009). Professores e professoras de Ciências de Aracaju/SE frente à homossexualidade. In VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Florianópolis/SC.

Batista, I. L., Souza, D. C, Kikuchi, L. A., Corrêa, M. L., Heerdt, B., Stal, J. et al. (2015). Formação de professores no Brasil e questões de gênero feminino em atividades científicas. In X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Águas de Lindóia, SP.

Bonnewitz, P. (2003). Primeiras lições sobre a Sociologia de Pierre Bourdieu. Editora Vozes.

Bourdieu, P. (1998). O poder simbólico. Bertrand Brasil.

Bourdieu, P. (2009). A economia das trocas simbólicas. Editora Perspectiva.

Brown, W. (2018). Cidadania sacrificial: neoliberalismo, capital humano e políticas de austeridade. Zazie Edições.

Butler, J. (2002). Cuerpos que importam: sobre los limites materiales y discursivos del “sexo”. Paidós.

Butler, J. (2015). Quadros de guerra: Quando a vida é passível de luto? Civilização Brasileira.

Castro, D. J. F. A., & Monteiro, B. A. P. (2019). A decolonialidade no Ensino de Ciências através da análise dos trabalhos publicados no ENPEC. In XII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Natal, RN.

Castro-Gómez, S. (2000). Ciencias sociales, violencia epistémica y el problema de la invención del otro. CLACSO/Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales.

Delizoicov, D. (2004). Pesquisa em Ensino de Ciências como Ciências Humanas Aplicadas. In R. Nardi (org). A pesquisa em Ensino de Ciências no Brasil: Alguns recortes (pp. 413–449). Escrituras Editora.

Durkheim, E. (2014). As formas elementares da vida religiosa: O sistema totêmico na Austrália. Martins Fontes.

Egypto, A. C. (2012). Orientação sexual na escola: Um projeto apaixonante. Editora Cortez.

Franco, L. G., & Munford, D. (2019). O cotidiano da sala de aula e perspectiva de diálogo sobre gênero na pesquisa em Educação em Ciências. In XII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Natal, RN.

Gondim, M. S. C., & Gauche, R. (2019). Interculturalidade Crítica, Saberes Populares e Educação CTS em perspectiva freireana. In XII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Natal, RN.

Goodson, I. F. (2018). Currículo: Teoria e história. Editora Vozes.

Grosfoguel, R. (2016). A estrutura do conhecimento nas universidades ocidentalizadas: racismo/sexismo epistêmico e os quatro genocídios/epistemicídios do longo século XVI. Sociedade e Estado, 31(1), 25–49. https://doi.org/10.1590/S0102-69922016000100003

Janning, D. P., & Cassiani, S. (2015). A Co-docência na formação de professores em Timor Leste: Reflexões sobre colonialidade e transnacionalização. In X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Águas de Lindóia, SP.

Júnior, P. L, Ostermann, F., & Rezende, F. (2009). Gênero e educação científica: uma revisão da literatura. In VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Florianópolis, SC.

Laval, C. (2019). A escola não é uma empresa. Boitempo.

Mateus, W. D., & Higuchi, M. I. G. (2015). Um mundo, olhares diferentes ou um olhar, mundos diferentes? Problematizando o perspectivismo ameríndio e questões ambientais. In X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Águas de Lindóia, SP.

Mateus-Vargas, M., Anunciação, B. C.P., & Andrade, A. M. (2019). A distinção de saberes dentro dos processos de descolonização: campos temáticos baseados no Mapeamento Informacional Bibliográfico. In XII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Natal, RN.

Meyer, D. E., & Paraíso, M. A. (2014). Metodologias de pesquisa pós-criticas em educação. Mazza Edições.

Moreira, A. F., & Candau, V. M. (2013). Multiculturalismo: Diferenças culturais e práticas pedagógicas. Editora Vozes.

Nussbaum, M. (2015). Sem fins lucrativos: Por que a democracia precisa das humanidades? Editora WMF Martins Fontes.

Oliveira, R. D. V. L., & Queiroz, G. R. P. C. (2017). Conteúdos cordiais: Química humanizada para uma escola sem mordaça. Editora Livraria da Física.

Oliveira, R. D. V. L., Trindade, Y, R. A., & Queiroz, G. R. P. C. (2013). O filme ‘Jardim das folhas sagradas e a possibilidade de uma abordagem intercultural em aulas de ciências. In IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Águas de Lindóia, SP.

Ortiz, R. (1983). Pierre Bourdieu: Sociologia (Coleção Grandes Cientistas Sociais). Editora Ática.

Outhwaite, W. (2017). Teoria social: Um guia para entender a sociedade contemporânea. Zahar.

Pereira, P. B., & Cassiani, S. (2011). Ser X Saber: Efeitos simbólicos da colonialidade nas relações entre os sujeitos e o conhecimento científico. In VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Campinas, SP.

Pérez, M. U., & Suárez, C. J. M. (2015). El enfoque intercultural en la enseñanza de las ciências. In IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Águas de Lindóia, SP.

Pinto, L. (2000). Pierre Bourdieu e a teoria do mundo social. Editora FGV.

Pizzinato, L. A. R. (2013). Estudos sobre a diversidade cultural e ensino de ciências na Colômbia. In IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Águas de Lindóia, SP.

Quijano, A. (2005). Colonialidade do poder, Eurocentrismo e América Latina. In Lander, E. (org). Colonialidade do saber: Eurocentrismo e ciências (pp. 345–392). Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais.

Segalen, M. (2002). Ritos e rituais contemporâneos. Editora FGV.

Silva, T. T. (2013). Documentos de identidade: Uma introdução às teorias do currículo. Editora Autêntica.

Viñao, A. (2008). A história das disciplinas escolares. In Revista Brasileira de História da Educação, 8(3 [18]), 173–215.

Weber, M. (2000). Economia e sociedade (v. 1). Editora da UnB.

Williams, J. (2013). Pós-estruturalismo (2. ed.). Editora Vozes.

Downloads

Publicado

2020-07-03

Como Citar

Nascimento , H. A., & Gouvêa, G. . (2020). Diversity, Multiculturalism and Science Education at Enpec. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 20(u), 497-521. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2020u497521

Edição

Seção

Artigos