A educação de jovens e adultos no contexto da formação de professores de Biologia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2020.20389

Palavras-chave:

Formação Docente, Educação em Ciências, Educação de Jovens e Adultos, Componente curricular

Resumo

O artigo relata o processo de criação e implementação de uma disciplina que trata da modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA), oferecida em um curso de Ciências Biológicas – Licenciatura. O relato toma como ponto de partida a demanda de formar professores de Biologia para a EJA e, a partir disso, apresenta a criação de uma disciplina de EJA que se deu no conjunto de atividades ligadas à reformulação do Projeto Pedagógico de Curso (PPC). Quanto ao processo de implementação, são destacados as unidades didáticas e os objetivos; o processo de avaliação; e a percepção dos estudantes sobre as atividades desenvolvidas durante a disciplina. Fica sinalizada a necessidade de a EJA integrar parte da formação de professores de Biologia e espera-se que o relato motive o desenvolvimento de outras experiências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rones de Deus Paranhos, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil.

Doutor em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de Brasília. Professor do Departamento de Educação em Ciências, Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Goiás (ICB/UFG). Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECM – UFG). Coordenador da Rede de Pesquisa em Ensino de Ciências na EJA (REPEC-EJA).

Lucas Martins de Avelar, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil.

Licenciado em Ciências Biológicas pelo Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Goiás. Discente do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECM – UFG). Membro da Rede de Pesquisa em Ensino de Ciências na EJA (REPEC-EJA).

Cristina da Costa Krewer Mascioli, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil.

Doutora em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Professora do Departamento de Histologia e Embriologia, Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Goiás (ICB/UFG). Membro da Rede de Pesquisa em Ensino de Ciências na EJA (REPEC-EJA).

Simone Sendin Moreira Guimarães, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil.

Doutora em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (Campus Araraquara). Professora do Departamento de Educação em Ciências, Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Goiás (ICB/UFG). Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECM – UFG). Coordenadora da Rede de Pesquisa em Ensino de Ciências na EJA (REPEC-EJA).

Referências

ALVES, Thiago et al. Jovens e adultos não escolarizados: uma multidão de invisíveis. In: OLIVEIRA, Edna Casto et al. (org.). Educação de jovens e adultos: trabalho e formação humana. São Carlos: Pedro & João Editores, 2014. p. 167-190.

ARROYO, Miguel. Balanço da EJA: o que mudou nos modos de vida dos jovens-adultos populares? REVEJ@ – Revista de Educação de Jovens e Adultos, Belo Horizonte, v. 1, n. 0, p. 5-19, ago. 2007.

BERTOGLIO, Diana Schuch. Estratégias pedagógicas para o ensino de ciências na EJA incluindo atividades em um museu interativo. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDB. 9394/1996, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF. 23 dez. 1996.

BRASIL, Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB 11/2000, de 9 de junho de 2000. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF. 9 jun. 2000.

BRASIL, Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 1/2002, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF. 19 fev. 2002.

BRASIL, Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 02/2015, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF. 02 jul. 2015.

BRASIL, Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 02/2019, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF. 10 fev. 2020.

COSTA, Lorenna Silva Oliveira. Análise da elaboração conceitual nos processos de ensino-aprendizagem em aulas de química para jovens e adultos: por uma formação integrada. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2010.

COSTA, Lorenna Silva Oliveira; ECHEVERRÍA, Agustina Rosa. Contribuições da teoria sócio-histórica para a pesquisa sobre a escolarização de jovens e adultos. Ciência & Educação, Bauru, v. 19, n. 2, p. 339-357, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-73132013000200008

COSTA, Rita Mara Reis. Conversando nas aulas de ciências: um diálogo entre educomunicação e abordagem temática na EJA. 2012. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) – Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

DANTAS, Aline Cristina. Fóruns de EJA: mobilização na luta pelo direito à educação de jovens e adultos. In: Anais do 17º Congresso de Leitura do Brasil. Campinas: ALB, 2009, p. 45.

HADDAD, Sérgio; DI PIERRO, Maria Clara. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 14, p. 108-130, mai. /ago. 2000. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782000000200007

HADDAD, Sérgio; SIQUEIRA, Filomena. Analfabetos entre os jovens e adultos no Brasil. Revista Brasileira de Alfabetização, Florianópolis, v. 1, n. 2, p. 88-110, 2016. DOI: https://doi.org/10.47249/rba.2015.v1.81

MACHADO, Maria Margarida. Política Educacional para Jovens e Adultos: a experiência do PROJETO AJA (93/96) na Secretaria Municipal da Educação de Goiânia. 1997. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar Brasileira) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 1997.

MACHADO, Maria Margarida. Formação de professores para EJA: uma perspectiva de mudança. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 2, n. 2-3, p. 161-174, jan./dez. 2008. DOI: https://doi.org/10.22420/rde.v2i2/3.133

MACHADO, Maria Margarida. A educação de jovens e adultos no Brasil pós-Lei nº 9.394/96: a possibilidade de constituir-se como política pública. Em Aberto, Brasília, v. 22, n. 82, p. 17-39, nov. 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.22i82.%25p

MACHADO, Maria Margarida; RODRIGUES, Maria Emília de Castro. A EJA na próxima década e a prática pedagógica do docente. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 8, n. 15, p. 383-395, jul./dez. 2014. DOI: https://doi.org/10.22420/rde.v8i15.448

MOTA, Diego. Formação de professores de Educação Física para atuar na educação de jovens e adultos. 2019. Trabalho de conclusão de curso (Graduação) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2019.

MURÇA, Jenyffer Soares Estival et al. As licenciaturas em Ciências Biológicas no estado de Goiás: silêncios que perpassam o perfil profissional do professor para a educação de jovens e adultos. In: V Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino, Goiânia 2013.

OLIVEIRA, Marta Kohl. Jovens e Adultos como sujeitos de conhecimento e aprendizagem. In: BRASIL. Educação como exercício de diversidade. Brasília: UNESCO, MEC, ANPEd, 2005. p. 61-84.

PAIVA, Jane. Imaginando uma EJA que atenda a demandas de cidadania, equidade, inclusão e diversidade. Currículo sem Fronteiras, Uberlândia, v. 19, n. 3, p. 1142-1158, set./dez. 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.35786/1645-1384.v19.n3.20

PEREIRA, Marsílvio Gonçalves; OLIVEIRA, Júlio César Rufino Ramos; FERREIRA, Thiago dos Santos. Análise da pesquisa em educação em ciências e ensino de biologia sobre educação de jovens e adultos (EJA) em periódicos brasileiros. Revista Insignare Scientia, Cerro Largo, v. 2, n. 2, p. 100-114, 16 set. 2019. DOI: https://doi.org/10.36661/2595-4520.2019v2i2.10817

PARANHOS, Rones de Deus. A relação entre a educação ambiental e a educação de jovens e adultos. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2009.

PARANHOS, Rones de Deus. O ensino de ciências na educação de jovens e adultos: uma análise sob o viés da pedagogia histórico-crítica. In: PIRES, Luciene de Assis; SOUZA, Marta João Francisco Silva; DIOGO, Rodrigo Claudino. Ensino de ciências e matemática: do mundo das ideias à sala de aula. Goiânia: Editora IFG, 2016. p. 59-70.

PARANHOS, Rones de Deus. Ensino de Biologia na educação de jovens e adultos: o pensamento político-pedagógico da produção científica brasileira. 2017. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

PARANHOS, Rones de Deus; CARNEIRO, Maria Helena da Silva. Ensino de Biologia para a educação de jovens e adultos: desafios para uma formação que proporcione o desenvolvimento humano. Revista EJA em Debate, Florianópolis, v. 8, n. 14, p. 1-24, 2019.

PARANHOS, Rones de Deus; FIRMINO, Simone Gomes. Professor, onde eu encontro células no meu corpo? – as necessidades formativas do professor para atuar na EJA. In: GUIMARÃES, Simone Sendin Moreira; PARANHOS, Rones de Deus; SILVA, Karolina Martins Almeida. A formação de professores de Biologia: dos desa(fios) da trama. São Carlos: Pedro & João Editores, 2013. p. 87-105.

PARANHOS, Rones de Deus; SHUVARTZ, Marilda. A relação entre a educação ambiental e a educação de jovens e adultos sob a perspectiva da trajetória dos educadores. Contexto & Educação, Unijuí, v. 28, n. 91, p. 84-105, 2013. DOI: https://doi.org/10.21527/2179-1309.2013.91.84-105.

SANTOS, Sayonara Martins. O diálogo como estratégia na formação inicial de professores de Ciências/Biologia. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia Histórico-Crítica. 11. ed. Campinas: Autores Associados, 2013.

SOARES, Leôncio. A formação inicial do educador de jovens e adultos: um estudo da habilitação de EJA nos cursos de Pedagogia. In: XXVIII REUNIÃO DA ANPED. Caxambu, 2005.

SOARES, Leôncio. Formação de educadores de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica/SECAD‐MEC/UNESCO, 2006.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. Conselho de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cultura. Resolução CEPEC nº 1527 de 13 de julho de 2017. Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Ciências Biológicas, grau acadêmico Licenciatura, modalidade presencial, do Instituto de Ciências Biológicas da Regional Goiânia, para os alunos ingressos a partir de 2015. Goiânia, 2017.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS, RESOLUÇÃO - CEPEC nº 1557R de 29 de novembro de 2019. Regulamento Geral dos Cursos de Graduação (RGCG) da Universidade Federal de Goiás. Goiânia, 2019.

VENTURA, Jaqueline. A EJA e os desafios da formação docente nas licenciaturas. Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 21, n. 37, p. 71-82, jan./jun. 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n37.p%25p

VENTURA, Jaqueline. Educação ao longo da vida e organismos internacionais: apontamentos para problematizar a função qualificadora da Educação de Jovens e Adultos. Revista Brasileira de Educação de Jovens e Adultos, Salvador, v. 1, n. 1, p. 29-44, 2013.

VENTURA, Jaqueline; BOMFIM, Maria Inês. Formação de professores e educação de jovens e adultos: o formal e o real nas licenciaturas. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 31, n. 2, p. 211-227, abr./ jun. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-4698127011

VILANOVA, Rita; MARTINS, Isabel. Educação em Ciências e educação de jovens e adultos: pela necessidade do diálogo entre campos e práticas. Ciência & Educação, Bauru, v. 14, n. 2, p. 331-346, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-73132008000200011.

VIÑAL-JR, José Veiga; MIRANDA, Helga Porto. Formação do professor para a educação de jovens e adultos: a importância do processo formativo na perspectiva emancipatória. Revista Cocar, Belém, v. 13, n. 27, p. 473-501, set./dez. 2019.

YOUNG, Michael. Para que servem as escolas? Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 101, p. 1287-1302, set./dez. 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302007000400002

Downloads

Publicado

2020-09-15

Como Citar

PARANHOS, R. de D.; AVELAR, L. M. de .; MASCIOLI, C. da C. K.; GUIMARÃES, S. S. M. . A educação de jovens e adultos no contexto da formação de professores de Biologia. Revista Docência do Ensino Superior, [S. l.], v. 10, p. 1-19, 2020. DOI: 10.35699/2237-5864.2020.20389. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/20389. Acesso em: 20 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)