Núcleo Docente Estruturante da Enfermagem da UFMG

da criação aos tempos da pandemia da Covid-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2020.23903

Palavras-chave:

Educação em Enfermagem, Instituições de ensino superior, Ensino de graduação, Covid-19, Enfermagem

Resumo

Trata-se de um relato de experiência, cujo objetivo foi refletir sobre a atuação do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso de Enfermagem desde sua criação até o primeiro semestre letivo de 2020, momento em que foi anunciada pela Organização Mundial de Saúde a pandemia mundial da doença Covid-19 (Corona Virus Disease). Para tal, utilizou-se a abordagem sociológica da “Análise Institucional”, fundamentada nos conceitos propostos por Castoriadis (1982), Barbier (1985) e Lourau (1995). Observou-se que, até o momento, o tema da “avaliação” foi o mais debatido nas oficinas pedagógicas promovidas pelo NDE. Não restam dúvidas da importância dessas reflexões para a implantação do Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem e no processo de formação permanente dos docentes. Isso representa, ao mesmo tempo, a legitimação da atuação do NDE e um estímulo para que se continue investindo na consolidação das práticas pedagógicas já instauradas por este núcleo na formação dos futuros enfermeiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia dos Santos Pereira, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Membro do Núcleo Docente Estruturante do curso de Enfermagem, enfermeira, professora adjunta do Departamento de Enfermagem Aplicada da Escola de Enfermagem da UFMG. Doutora em Ciências da Saúde pela UFMG. Mestre em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da UFMG. Especialista em Sistematização da Assistência de Enfermagem pela Escola de Enfermagem da UFMG. Especialista em Gestão de Pessoas pela UFMG e em Gestão de Redes de Atenção à Saúde pela FIOCRUZ.

Fabíola Carvalho de Almeida Lima Baroni, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Coordenadora do Colegiado de Graduação e Membro do Núcleo Docente Estruturante do Curso de Enfermagem. Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL). Especialista em Saúde Pública, Mestre e doutora em Saúde e Enfermagem pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professora adjunta no Departamento de Enfermagem Básica da Escola de Enfermagem da UFMG.

Eunice Francisca Martins, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Coordenadora do Núcleo Docente Estruturante e sub-coordenadora do Colegiado do Curso de Enfermagem Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Mestre e doutora em Enfermagem pela UFMG. Atualmente, professora associada no Departamento de Enfermagem Materno Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem da UFMG.

Lívia Cozer Montenegro, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Membro do Núcleo Docente Estruturante do curso de Enfermagem, professora adjunta do Departamento de Enfermagem Materno Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais. Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Paraná (2006), mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal de Minas Gerais, doutorado pela mesma instituição, com estágio sanduíche na Universidad de Navarra – Espanha, e pós-doutorado pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais.

Meiriele Tavares Araújo, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Membro do Núcleo Docente Estruturante do curso de Enfermagem. Enfermeira. Professora adjunta do Dept. de Enfermagem Aplicada da Escola de Enfermagem da UFMG - Estágio pós-doutoral na Faculty of Nursing da University of Alberta - UofA, Canadá. Doutora em Enfermagem pela EEUFMG, com estágio sanduíche na Faculty of Nursing UofA. Mestre em Enfermagem pela EEUFMG. Especialista em Trauma, Emergência e Terapia Intensiva pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais.

Barbara Maximino Rezende, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Membro do Núcleo Docente Estruturante do curso de Enfermagem. Graduada em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). É mestre e doutora em Biologia Celular pela UFMG e pós-doutora em Bioquímica e Imunologia pela mesma instituição. Professora adjunta no Departamento de Enfermagem Básica da Escola de Enfermagem da UFMG.

Ludmila Rodrigues Pinto Ferreira, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Membro do Núcleo Docente Estruturante do curso de Enfermagem. Professora adjunta do Departamento de Morfologia, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

AFONSO, Maria Lúcia Miranda. Oficinas em dinâmica de grupo: um método de intervenção psicossocial. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

ARANTES Bárbara Morais et al. As ações do Núcleo Docente Estruturante no processo de educação permanente dos professores em um curso de graduação em Odontologia. Scientific Investigation in Dentistry, v. 22, n. 1, p. 19-25, 2017. DOI: https://doi.org/10.29232/2317-2835.2017v22i1.p19-25.

BARBIER, René. A pesquisa-ação na instituição educativa. Rio de Janeiro: Zahar, 1985. 280p.

BARONI, Fabíola Carvalho de Almeida Lima et al. Relatório Final PAIE. In: I ENCONTRO DE EX-ALUNOS DO SÉCULO XXI DA ESCOLA DE ENFERMAGEM DA UFMG "Da formação ao mercado": caminhos percorridos. Belo Horizonte: Escola de Enfermagem da UFMG, 2018.

BORK, Ana Margherita Toldi. Enfermagem de Excelência: da visão à ação. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Senado Federal, Brasília, DF. 05 out. 1988.

BRASIL, Ministério da Educação. Resolução CNE/CES nº 3, de 7 de novembro de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. Diário Oficial da União, Brasília, DF). 9 nov. 2001.

BRASIL. Resolução nº 01, de 17 de junho de 2010. Normatiza o Núcleo Docente Estruturante e dá outras providências. Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES), Brasília, DF. 17 jun. 2010.

BRASIL, Ministério da Educação e Cultura. Portaria nº 356, de 20 de março de 2020. Dispõe sobre a atuação dos alunos dos cursos da área de saúde no combate à pandemia do COVID-19. Fica autorizada aos alunos regularmente matriculados nos dois últimos anos do curso de medicina, e do último ano dos cursos de enfermagem, farmácia e fisioterapia do sistema federal de ensino, definidos no art. 2º do Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017, em caráter excepcional, a possibilidade de realizar o estágio curricular obrigatório em unidades básicas de saúde, unidades de pronto atendimento, rede hospitalar e comunidades a serem especificadas pelo Ministério da Saúde, enquanto durar a situação de emergência de saúde pública decorrente do COVID-19. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 20 mar. 2020a.

BRASIL, Ministério da Saúde. Portaria nº 492, de 23 de março de 2020. Institui a Ação Estratégica "O Brasil Conta Comigo", voltada aos alunos dos cursos da área de saúde, para o enfrentamento à pandemia do coronavírus. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 23 mar. 2020b.

BRASIL. Ministério da Saúde. Edital nº 04, de 31 de março de 2020. Conclama alunos dos cursos de graduação em Medicina, Enfermagem, Farmácia e Fisioterapia para se cadastrarem visando participação na Ação Estratégica "Brasil Conta Comigo", em caráter excepcional e temporário. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 01 abr. 2020c.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Medida Provisória nº 934, de 1º de abril de 2020. Estabelece normas excepcionais sobre o ano letivo da educação básica e do ensino superior decorrentes das medidas para enfrentamento da situação de emergência de saúde pública de que trata a Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 01 abr. 2020d.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura, Portaria nº 383, de 9 de abril de 2020. Dispõe sobre a antecipação da colação de grau para os alunos dos cursos de Medicina, Enfermagem, Farmácia e Fisioterapia, como ação de combate à pandemia do novo coronavírus - Covid-19. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 13 abr. 2020e.

CASTORIADIS, Cornélius. A instituição imaginária da sociedade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

LOURAU, René. A análise institucional. Petrópolis: Vozes, 1995.

FREITAS, Maria Imaculada Fátima; ARGELLIES, Jean Louis. Stratégies du changement institutionnil. Paris: UFR Santé Medécine et Biologia Humana Léonard de Vinci, 1998.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social: Teoria Método e Criatividade. 19. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2001.

RAMAL, Andrea Cecilia. A nova Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Revista de Educação e Assessoria Pedagógica, São Paulo, n. 17, p. 5-21,1997.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Resolução nº 15, de 31 de maio de 2011. Cria, no âmbito da UFMG, o Núcleo Docente Estruturante. Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, Belo Horizonte, MG. 31 maio 2011.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Núcleo Docente Estruturante. Síntese das Oficinas de Planejamento Integrado do Ensino 2013-2016. MIMEO. Escola de Enfermagem da UFMG, Belo Horizonte, MG. out. 2016.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Colegiado de Graduação. Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem versão atualizada. Escola de Enfermagem da UFMG, Belo Horizonte, MG. out. 2017.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Resolução nº 10, de 19 de junho de 2018, reedita a Resolução nº 15, de 31 de maio de 2011, que criou o Núcleo Docente Estruturante. Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, Belo Horizonte, MG. 19 jun. 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Resolução n° 02, de 03 de dezembro de 2019. Estabelece diretrizes gerais para elaboração da estrutura curricular dos cursos de graduação da UFMG. Câmara de Graduação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, Belo Horizonte, MG. 03 dez. 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Portaria nº 1.819, de 18 de março de 2020. A reitora da Universidade Federal de Minas Gerais resolve: Suspender, temporariamente e por tempo indeterminado, as aulas presenciais dos cursos de graduação, de pós-graduação e de extensão e as aulas da Educação Básica e Profissional - Centro Pedagógico, Colégio Técnico e Teatro Universitário - nos campi de Belo Horizonte e Montes Claros da Universidade Federal de Minas Gerais, tendo em vista as orientações do Ministério da Saúde e em face da decretação, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), da pandemia da doença COVID-19, causada pelo novo coronavírus. Reitoria da UFMG, Belo Horizonte, MG. 18 mar. 2020a.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Colegiado de Graduação em Enfermagem. Carta Aos Docentes. Escola de Enfermagem, Belo Horizonte, MG. 13 maio 2020b.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Ofício nº 9, de 18 de maio de 2020. Pró-Reitoria de Graduação, Belo Horizonte, MG. 18 maio 2020c. Disponível em: https://www2.ufmg.br/prograd/content/download/29063/194648/file/OfCirc0920.html. Acesso em: 30 de out. de 2020.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Ações Formativas para as Práticas Pedagógicas. Criado em 10 de junho de 2020, com o objetivo de apresentar as principais ferramentas e metodologias utilizadas pelo ensino à distância à comunidade acadêmica, fruto da parceria entre a Diretoria de Inovação e Metodologias de Ensino (GIZ), o Centro de Apoio à Educação a Distância (Caed) e a Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI). Site do Programa de Integração Docente, Belo Horizonte, MG. 10 jun. 2020d. Disponível em: https://www.ufmg.br/integracaodocente/normas-no-ensino-remoto-emergencial/. Acesso em: 30 out. 2020.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Resolução nº 2, de 17 de agosto de 2020, que estabeleceu critérios para a integralização do Curso de Graduação em Enfermagem da UFMG, em caráter excepcional, pelos concluintes, em razão da pandemia da Covid-19. Escola de Enfermagem da UFMG, Belo Horizonte, MG. 17 ago. 2020e.

VERHINE, Robert Evan. Avaliação e regulação da educação superior: uma análise a partir dos primeiros 10 anos do SINAES. Avaliação (Campinas), Sorocaba, v. 20, n. 3, p. 603-619, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772015000300003.

VIEIRA, Alboni Maria Dudeque Pianovski; FILIPAK Sirley Teresinha. Avaliação da Educação Superior: limites e possibilidades do Núcleo Docente Estruturante. Revista Diálogo Educacional, [S.l.], v. 15, n. 44, p. 61-87, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.15.044.DS03.

Núcleo Docente Estruturante da Enfermagem da UFMG: da criação aos tempos da pandemia da Covid-19

Publicado

2020-11-08

Como Citar

PEREIRA, M. dos S.; BARONI, F. C. de A. L. .; MARTINS, E. F. .; MONTENEGRO, L. C. .; ARAÚJO, M. T. .; REZENDE, B. M. .; FERREIRA, L. R. P. . Núcleo Docente Estruturante da Enfermagem da UFMG: da criação aos tempos da pandemia da Covid-19. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 10, p. 1–19, 2020. DOI: 10.35699/2237-5864.2020.23903. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/23903. Acesso em: 18 set. 2021.

Edição

Seção

Seção especial: docência no ensino superior em tempos de pandemia

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)