Vivências do adolescente com HIV/AIDS

Autores

  • Maria da Graça Corso da Motta Porto AlegreRS, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Escola de Enfermagem , Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Brasil
  • Eva Neri Rubim Pedro Porto AlegreRS, UFRGS, Escola de Enfermagem , Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Brasil
  • Cristiane Cardoso de Paula Santa MariaRS, UFSM, Curso de Graduação em Enfermagem Programa de Pós-Graduação em Enfermagem , Brasil
  • Débora Fernandes Coelho Porto AlegreRS, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Curso de Bacharelado em Enfermagem , Brasil
  • Aline Cammarano Ribeiro Santa MariaRS, UFSM, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem , Brasil
  • Aramita Prates Greff CAPES, Programa de Redução de Danos ; Porto AlegreRS, Secretária Municipal da Saúde de Porto Alegre, Brasil
  • Stela Maris de Mello Padoin Santa MariaRS, UFSM, Escola de Enfermagem , Brasil
  • Paula Manoela Batista Poletto Santa MariaRS, UFSM, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem , Brasil
  • Nair Regina Ritter Ribeiro Santa MariaRS, UFSM, Escola de Enfermagem , Brasil
  • Helena Becker Issi Santa MariaRS, UFSM, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem , Brasil
  • Eliane Tatsch Neves Santa MariaRS, Universidade Federal de Santa Maria, Curso de Graduação em Enfermagem Programa de Pós-Graduação em Enfermagem , Brasil
  • Neiva Isabel Raffo Wachholz Porto AlegreRS, Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, Brasil
  • Regis Kreitchmann Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre
  • Aline Goulart Kruel Santa MariaRS, Universidade Federal de Santa Maria, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5935/1415-2762.20140014

Palavras-chave:

Saúde do Adolescente, HIV, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, Adesão à Medicação

Resumo

Neste estudo, caracterizado como uma pesquisa qualitativa, tenciona-se desvelar a vivência em relação ao tratamento antirretroviral do adolescente com síndrome da imunodeficiência adquirida. A pesquisa foi realizada em serviços de referência em dois municípios na região sul do Brasil. A produção dos dados foi desenvolvida com a dinâmica de criatividade e sensibilidade - mapa falante, por um grupo de cinco participantes. Foi aplicada a técnica de análise temática do conteúdo. Das produções artísticas e depoimentos emergiram as vivências acerca da doença, do tratamento, da revelação e do cuidado à saúde. Conclui-se que é necessário que o adolescente adquira autonomia para cuidar de si. Para tanto, é imprescindível um cuidado centrado no adolescente e sua família, que medeie o conhecimento e a compreensão do seu diagnóstico e de suas possibilidades no viver com HIV/AIDS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

01-03-2014

Como Citar

1.
Motta M da GC da, Pedro ENR, Paula CC de, Coelho DF, Ribeiro AC, Greff AP, Padoin SM de M, Poletto PMB, Ribeiro NRR, Issi HB, Neves ET, Wachholz NIR, Kreitchmann R, Kruel AG. Vivências do adolescente com HIV/AIDS. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 1º de março de 2014 [citado 20º de maio de 2024];18(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/50187

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.